GiGi Fala Tudo

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Alckmin Gasta R$ 18 Milhões da Fundação Casa Com Empresa Envolvida nos Escândalos Cabral e Arruda

Sócio do deputado Jorge Picciani - PMDB/RJ investigado na Lava Jato por envolvimento com esquemas no governo Sergio Cabral, faz locação de computadores usados e leva R$ 18 milhões da Fundação Casa de São Paulo enquanto servidores ficam sem receber seus direitos e amargam prejuízos. 

A palavra mais ouvida pelos servidores da Fundação Casa  e servidores públicos no estado de São Paulo no último ano é corte  de despesas e redução dos gastos.

Ora! é claro que diante da crise gerada pelo golpe do governo Temer e PSDB, a hora é de apertar o cinto para garantir a sobrevivência da maquina estatal.

Para manter a coerência com seu discurso de cortar gastos, deveria o governo tucano em primeiro lugar atacar a corrupção e os contratos milionários duvidosos, principalmente os firmados com empresas suspeitas, pois além de escoar de forma ilícita os recursos públicos,  acabam beneficiando apenas pessoas e empresas sem qualquer retorno para o contribuinte.

No entanto, toda vez que o governo Geraldo Alckmin entoa seu discurso saneador, seu alvo principal e predileto são os servidores públicos do estado que sempre pagam a conta com congelamento de salários, corte de benefícios, precarização das instituições publicas  entre outros que acabam atingindo diretamente trabalhadores e sociedade.

Um bom exemplo desta falta de coerência do governo Alckmin é a Fundação casa de São Paulo, instituição que tem papel relevante na sociedade paulistana de recuperar jovens infratores que cumprem medidas de privação de liberdade em função de cometerem crimes dos mais variados, tráfico de drogas, homicídio, latrocínio, assalto a mão armada entre outros.

Nos últimos anos os servidores travam um luta intensa com o governo em busca de garantir direitos, benefícios, melhores salários e condições de trabalho, haja visto que a situação de segurança e salubridade nas unidades da Fundação estão entre as piores do mundo.

O nível de adoecimento dos servidores da fundação casa esta entre um dos mais altos do mundo para o setor, causando enorme prejuízo aos cofres públicos.

Não bastasse este cenário de horror sobre os servidores, o assedio moral, descumprimento da legislação trabalhista, abuso de autoridade dos cargo de confiança e o não cumprimento das conquistas em dissídios coletivos de greve,  gera nos trabalhadores uma sensação de impotência e revolta, acaba refletindo diretamente na recuperação dos jovens infratores internados.

Um bom exemplo do descumprimento dos direitos por parte do governo do estado é o bônus anual, que corresponde a uma parcela do salário de acordo com a assiduidade do servidor.  Foi conquistado em norma coletiva,  mesmo estando em previsão orçamentária não foi e nem vai ser pago em 2017, segundo as informações das ultimas rodadas de negociação entre trabalhadores e direção da fundação.

A alegação para o não cumprimento deste direito já garantido na previsão orçamentária é a falta de recursos, chegando a senhora Ana Claudia (membro do alto escalão da instituição), chacotear os representantes dos empregados dizendo que "os servidores deveriam ficar felizes pelos salários estarem em dia".

Porém contrastando o argumento governamental da falta de recursos no cumprimento dos direitos dos trabalhadores, o Gigi Fala Tudo recebeu uma denuncia de servidores da área técnica de informática da Fundação Casa de São Paulo um tanto inusitada.

A denuncia indicava que a instituição vinha celebrando contratos astronômicos com a empresa Investiplan Computadores e Sistemas de Refrigeração LTDA para a locação de computadores semi-novos ou seja já usados. 

Segundo os dados apresentados pelo servidor, nos últimos 5 anos a Fundação Casa gastou aproximadamente R$ 18 milhões neste tipo de locação, sendo que em 2017 o contrato com os aditamento somam mais de R$ 5 milhões.

Diante desta informações, o Gigi fala tudo saiu a campo para entender o porque alugar computadores usados ao invés de adquirir equipamentos novos, que além de serem mais baratos, passariam a fazer parte do patrimônio da instituição, ao contrário dos locados que ao termino do contrato voltam para o patrimônio do locador.

Processo SDE 4307/2012 - Valor Inicial R$ 1.285.200,00 - 1° Aditamento: R$ 1.285.200,00 - 2° Aditamento: R$ 445.032,00 - 3° Aditamento: R$ 680.618,60 - Total desse processo: R$ 3.696.050,60. 

Processo SDE 4657/2013- valor inicial R$ 6.783.000,00 - 1° Aditamento: R$ 1.610.640,00 - 2° Aditamento R$ 3.221.280,00 - Total até agora desse contrato: R$ 11.614.920,00 - Esse contrato está vigente até 05/01/2018.

Processo SDE 2195/2017 - valor Inicial R$ 2.670.000,00.-Esse contrato se iniciou agora.

Então, somando os 3 processos temos: SDE 4307/2012 - R$ 3.696.050,60 + SDE 4657/2013 - R$ 11.614.920,00 + SDE 2195/2017 - R$ 2.670.000,00 = R$ 17.980.970,60

Para que nosso navegante possa ter uma ideia desse valor, vamos levar como base essa última contratação, que previa no edital as seguintes características do computador a ser locado:

-Desktop All in one (esse termo é pra designar um computador que tenha a CPU e o Monitor numa peça só,  com a vantagem que ocupa menos espaço).
-Monitor de 19 polegadas - Processador Intel Core i3 ou AMD compatível - Velocidade mínima de Clock de 3.0 Gigahertz -Memória de 4 Gigabytes - HD 500 Gigabytes.

Para buscarmos o melhor, consultamos a loja da DELL uma das maiores referências em computadores do mundo, sendo esta a marca utilizada pela empresa contratada na Fundação CASA.
Para uma pessoa física, que não tem poder de barganha que tem uma empresa jurídica, pois a pessoa jurídica pode realizar compra de grandes quantidades,  quem dirá um Governo do Estado do tamanho de São Paulo, que além da quantidade possuiria isenções tributárias como o ICMS.



Pois bem, para uma pessoa física encontramos o seguinte preço: 

R$ 2.402,00 em uma máquina que tem 1 Terabyte de HD, ou seja, o dobro do solicitado no edital e fornecido pela empresa contratada.

Então dividindo o valor dos 3 contratos pelo valor desse computador pesquisado na loja da DELL teremos:

R$ 17.980.970,60 ÷ R$ 2.402,00 = 7.485 computadores.

Isso mesmo, essa fortuna toda poderia ter comprado 7.485 computadores de ponta, última geração, sem levar em consideração os fatores já explicados, ou seja, como pessoa jurídica poderia comprar bem mais, e como pessoa jurídica pública, MUITO MAIS ainda.

Outro detalhe importante é que a contratação feita pela Fundação CASA é de LOCAÇÃO, ou seja, no final não terá patrimônio algum pois será restituído ao locador.

Pior que isso, estamos falando da  Locação de computadores seminovos (usados) e não novos.

Buscamos ainda fazer um cálculo como se fosse o Estado comprando, para isso vamos tirar 18% referente ao ICMS do valor desse computador (pois o estado estaria isento), logo teremos: R$ 2.402,00 - 18% = R$ 1.969,64 valor final, sem o ICMS.

Agora vamos pegar o montante pago até então, R$ 17.980.970,60 e dividir por R$ 1.969,64, para saber quantos computadores novinhos e de ultima geração daria para se comprar:

R$ 17.980.970,60 ÷ R$ 1.969,64 = 9.129 computadores

Como nosso caro internauta pode ver, ao invés de adquirir 9.129 computadores de ultima geração novinhos e com garantia que passariam a fazer parte do patrimônio da instituição e daria para atender todos os setores, inclusive para as atividades na formação e capacitação dos internos infratores, o governo Alckmin preferiu locar aproximadamente 3.000 computadores usados.

Mas outra questão chamou nossa atenção. Em entrevista a rede bandeirantes de televisão e a Rádio Zap Gigi Fala tudo, servidores da equipe técnica das semi-liberdade e unidades de internação denunciaram que não tem se quer computador para realizarem seu trabalho, como por exemplo os relatórios dos internos que são encaminhados ao judiciário.

Vários destes profissionais denunciaram que acabam levando o trabalho para casa pela falta de estrutura nas unidades.

Ora! com um contrato astronômico deste porte, como pode estes profissionais não terem computadores para trabalhar?

É claro que um administrador suspeito como Alckmin,  que sempre tem seu governo envolvido em escândalos como o Rodoanel, linha 4 do metro, Alstom entre outros nada é impossível, ainda mais quando se tem um Ministério Publico Estadual que nunca encontra prova de nada contra o governante e alta cúpula do PSDB.

Cabe aqui lembrar que, esse mesmo ministério publico estadual tem vários de seus membros exercendo cargos dentro deste mesmo governo de Alckmin, como Saulo de Castro, Paulo Sergio, Berenice Giannela e o atual secretário de justiça e presidente da Fundação casa Dr. Marcio Elias Rosa.

Alias, só para refrescar a memória do nosso caro navegante, Elias Rosa era o procurador geral do estado que montou uma força tarefa para investigar a gestão de Berenice Gianella por suspeita de irregularidades na forma como eram gastos os recursos da instituição, chegando a tecer criticas que foram registradas pela imprensa.

Investiplan, Fundação Casa  e Lava Jato tudo a ver


Diante destas constatações, nosso blog buscou saber de quem era a empresa que conseguia essa façanha de locar computadores usados para a Fundação Casa em troca de valores astronômicos.

Para nossa surpresa descobrimos que a empresa Investiplan Computadores e Sistemas de refrigeração LTDA é de propriedade de Paulo Afonso Frias Trindade JR, amigo e sócio do deputado Jorge Picciani PMDB/RJ, investigado pela lava jato por suspeita de lavagem de dinheiro.



Segundo matérias jornalisticas, o proprietário da Investiplan embolsou mais de R$ 200 milhões em contratos de locação de equipamentos de informática no governo de Sergio Cabral -PMDB/RJ que está preso pela Lava Jato.

No Rio de Janeiro o esquemão da locação de computadores usados era o mesmo que vem sendo usado em São Paulo, com locação de equipamentos para secretária de educação, Policia Civil entre outros, onde também o ministério publico do Rio de janeiro nunca se interessava em investigar as denuncias, ao contrário do MPF que passou a investigar por conta dos levantamentos da Lava jato.

Mas não para por ai as bizarrices, esta mesma empresa Investiplan também aparece no esquema do mensalão do governo Arruda do distrito federal, sim aquele governador que foi preso depois de aparecer na mídia recebendo propina no chamado mensalão do Arruda. 

Na Fundação Casa as suspeitas dos servidores são as mesmas do Rio de Janeiro, a empresa apresenta o valor minimo para vencer os pregões de licitação e posteriormente é feito os aditamentos nos contratos. 



Mas as irregularidades continuam sem que o MPE incomode,  pois segundo a lei 10.520/2002 em seu artigo 7º,  a empresa que atua de forma Inidônea não pode celebrar contratos com o município, estado e união.

No entanto essa regra não é aplicada pelo governo do PSDB paulista, Fundação Casa,  secretaria de justiça estadual, (onde presidente e secretário são as mesmas pessoas), Condeca e outros órgãos do estado, tendo em vista que a Investiplan foi punida pela Companhia do Metropolitano do Estado de São Paulo - Metro  que lançou certificado de inidoneidade contra ela, cuja a decisão deixava a empresa impedida de celebrar contratos com a administração publica de 04.06.2015 até 03.06.2018, lembrando que esta pena inicialmente aplicada era de três anos e dez meses e multa de 20%, mas foi reduzida pelo processo em tramite na 14ª vara da fazenda publica através de medida liminar.

Mas como vemos pelo pregão da Fundação casa do inicio de 2017, o governo do estado e a Fundação Casa simplesmente descumpriram a lei.

O descalabro da contratação desta empresa para locação de computadores usados chegou a tal ponto, que até responder solidariamente na justiça trabalhista o descumprimento dos direitos dos empregados da Investiplan a Fundação Casa esta respondendo, ou seja, a Investiplan deixa de pagar os direitos de seus trabalhadores e quem vai arcar com isso vai ser a Fundação - PROCESSO: 1001702-32.2017.5.02.0601.

Todo cidadão honrado que administra sua casa, sabe que caso contrate determinado serviço de pessoa ou empresa e esta não cumpra com o combinado, com certeza jamais vai voltar a contratar os mesmos serviços, mesma empresa ou pessoa. Mas o governo do Alckmin e PSDB paulista que administra o estado que é a casa dos cidadãos paulistanos não pensa assim, e continua celebrando contratos milionários e duvidosos com empresas mais do que suspeitas sem serem incomodados.

Mas Alckmin e a Fundação Casa só fazem estes gastos absurdos e mais do que suspeitos por que o MPE e judiciário como bem descreveu o Jornal El Pais trabalham no "toma-lá-dá-cá", visto que ao colocar uma lupa sobre o MPE, pode-se ver claramente a aproximação deste órgão com a politica tucana, basta ver os cargos ocupados por promotores públicos no governo tucano, entre eles a secretária de justiça e a presidência da Fundação.


A covardia do MPE de São Paulo é tão descarada e absurda, que o mesmo MPE que processa criminalmente servidores da instituição (cansados de denunciar as fraudes e falcatruas da administração compartilharam musicas de carnaval satirizando a gestão administrativa e corregedoria que comprovadamente frauda processos),  não tem coragem de exercer seu mister para apurar as denuncias e processar aqueles que realmente dilapidam o patrimônio publico cometendo verdeiros crimes contra a sociedade.

Mas esperar o que de um MPE que tem promotores públicos como aquele que assassinou os jovens no litoral e nada sofreu, ou ainda, aquele outro que postou na redes sociais que os policiais podiam matar os "malditos petistas" que faziam manifestação na av. faria lima que não aconteceria nada, pois ele era o promotor do tribunal da região, ou ainda aquele outro promotor deputado do partido do governo envolvido no escândalo da merenda escolar.

Mas tudo isso também é culpa dos servidores da Fundação Casa e  demais servidores públicos do estado que ainda não se conscientizaram que são representantes da sociedade em seus locais de trabalho e tem como dever fiscalizar, zelar e denunciar as corrupções que acontecem nos órgãos públicos.

Porém, como medo de represálias ou de sofrerem processos criminais infundados do MPE estadual, se calam e assistem as instituições que trabalham (propriedade do povo), serem saqueadas e dilapidadas enquanto se digladiam por migalhas lançadas por seus algozes.

Enquanto o Governo do estado, Fundação Casa  e a Investiplan comemoram os contratos astronômicos pagos com dinheiro da sociedade e dos trabalhadores, os servidores públicos concursados da Fundação Casa parecem baratas atordoadas após uma chinelada brigando entre si por um direito que é de todos e bastaria um único movimento de greve para garanti-lo na justiça do trabalho, como é o caso do Rodizio e Noturno Fixo e do bonus.

Continuem assim servidores da Fundação Casa omissos em seu papel fiscalizador da instituição e subservientes, pois assim ano que vem novamente ficaram sem seu precioso bônus, sem convenio médico e sem seus direitos para a alegria de Alckmin e da Investiplan.

Por Gilberto Braw

domingo, 1 de outubro de 2017

Dia 06.10 Servidores da Fundação Casa Vão Cuidar da Saúde e Matar Governo e Sindicato do Coração

No próximo dia 06.10, os servidores da Fundação casa de São paulo vão cuidar da saúde  e podem matar o Governo do PSDB e o Sindicato da CUT do coração.

                             Click aqui para ouvir a radio zap Gigi fala tudo

A Radio Zap Gigi Fala Tudo lançou ontem 30.09 uma campanha intitulada "Cuide de sua saúde por um dia e mate governo e sindicato do coração" em protesto a falta de segurança, péssimas condições de trabalho, liberação do uso de maconha nos centros por diretores cargos de confiança e contra a fraude eleitoral do sindicato Sitraemfa/Sitsesp filiado a CUT que conta com apoio do Ministério Publico do estado de são paulo que já recebeu diversas denuncias contra a fundação e fraudes do sindicato mas não faz nada.

Mal a Radio Zap Gigi fala Tudo - Jornal Língua Afiada lançou a campanha pedindo sugestões de datas, e em menos de 2 horas recebeu mais de 1100 mensagens com sugestões de dos dias 06,  09 e 11 de outubro.

A campeã de indicações com 975 votos foi a data de 06.10 (sexta-feira) exatamente o dia de pagamento da categoria profissional.

A campanha consiste em cada servidor concursado da instituição,  buscar neste mesmo dia e horário atendimento de saúde, ou seja, todos os servidores vão no mesmo horário e dia passar no médico e como estão extremamente adoecidos pegarão atestado e assim não vão comparecer ao trabalho.

Esta é a forma legal dos servidores darem uma resposta ao governo do estado que vem reiteradamente colocando os trabalhadores em risco de vida constante, em um mês cerca de 30 servidores foram agredidos covarde e brutalmente por internos abrigados na instituição, a maioria pelo fato de estarem em grupos pequenos de servidores para acompanhar as atividades de grandes grupos de adolescentes.

Além disso, unidades invadidas por bandidos armados, servidores assaltados na porta dos centros, uma moto roubada na porta da unidade guarulhos, outros ainda perseguidos por ex-internos aramados que os aguardavam na saída do plantão gera panico e insegurança.

Não bastasse isso, em vários centros os internos fumam maconha de forma aberta e com apoio de diretores das unidades, servidores acabam sendo punidos ao coibir os jovens do uso de entorpecentes.

Na procura médica coletiva marcada para o dia 06.10, os servidores pretendem mostrar que estão adoecidos. Este movimento tem ainda uma outra característica, mostrar que o bolso do servidor também esta na UTI.

Os sintomas principais do adoecimento dos servidores são:


1- Dor de cabeça - os servidores estão tendo uma dor de cabeça tremenda com o congelamento do Rodizio e com a tentativa do governo e sindicato de acabar com o noturno fixo, mesmo tendo os rodiziantes e noturnos fixo direitos adquiridos a mais de 10 anos, causando um prejuízo gigantesco e uma derrame no bolso e na vida dos trabalhadores.

2- Náuseas - este sintoma tem atacado a categoria constantemente em função do cheiro de maconha liberada nos centros por diretores e ONGs que atuam em parceria com a fundação.

3- Dor no peito - sintoma clássico do infarto, começou a aparecer em quase todos os servidores que esperavam o bônus para pagar suas contas, mesmo previsto no orçamento até o momento não foi pago podendo levar os servidores a um colapso financeiro e consequente morte de seus compromissos firmados.

4- Erupções na pele, causado em função da irritação ao ver as fraudes nos processos administrativos que sempre culminam em demissão por justa causa, mesmo sendo aplicado o remédio da denuncia com provas contra a bactéria corregedorius fraudis, esta doença tem resistido e envolvido inclusive o médico presidente que não consegue reagir e aniquilar este mal que causa prejuízo financeiro drástico a instituição.

5- Palpitações cardíacas - também um dos sintomas do infarto, esta doença tem atacado os servidores quando estes tem que ingressar para o trabalho ficando em muitas unidades em apenas 2 ou 3 para cuidar de 70 a 90 internos infratores homicidas, latrocinas e traficantes, ou ainda, por trabalharem em unidades desarmados correndo o risco de enquadramento por bandidos armados, ou ainda, por não terem porte de arma e correrem o risco de serem mortos fora das unidades como tem ocorrido nos últimos tempos.

6- Tremores e convulsões - estes sintomas tem se apresentado em toda a categoria, com mais frequência no interior quando chega o dia do pagamento e o servidores não conseguem pagar suas contas pois, o convênio médico que foi implantado em 1999 prevendo o máximo de 10 a 17% de desconto do salário base incluindo os agregados, hoje para muitos corresponde entre 30 a 60% do salários, e ainda como ocorre no interior, não tem atendimento na maioria das cidades, obrigando os servidores a percorrerem até 100 km para ter atendimento.

7- Vomito e diarreia - esta doença tem atacado especificamente os motoristas da fundação. Eles são obrigados a acelerar para salvar vidas de servidores e internos em rebeliões, acompanhar escoltas da PM em transporte de internos e acabam sendo multados,  adquirindo uma infecção chamada PAD que culmina em justa causa e a morte de seu emprego e dignidade. 

Não bastasse isso, os motoristas tem problemas ortopédicos pois tem chefias que impedem servidores acidentados de ser socorridos nos veículos da fundação enquanto chefias são privilegiadas. Suspeita-se ainda que a diarreia seja provocada por uma óleo de freio comprado a peso de ouro com rótulo xerocado que coloca a vida dos profissionais e internos em risco pois não freia nada.

8- Transtornos psíquicos - esta doença tem atacado toda a categoria profissional, é causada por duas bactérias, uma chamada peleguismo sindical que causa danos como fraude em eleições, dilapida patrimônio, enriquecimento ilícito de diretores, vende direitos de servidores entre outros. 

A segunda é a bactéria chamada omissão do ministério publico estadual, essa bactéria tem o condão de acabar com a justiça, proteger bandidos sindicais e corruptos governamentais, punir trabalhadores inocentes com acusações levianas e esvaziar os cofres públicos com altos salários e benefícios sem fazer nada em defesa da classe trabalhadora e da sociedade.

9- Bipolaridade Lex Talion - essa é a doença que tem consumido a maioria absoluta dos servidores, é a mais grave de todas, pois leva o servidor a uma vontade incontrolável de aplicar a lei de talião - olho por olho dente por dente, seja contra os internos que os agridem, seja contra as direções e cargos de confiança nefastos que apoiam vagabundos, seja contra diretores pelegos da entidade sindical que sacaneiam e vendem os direitos da categoria e ainda fraudam eleições para se manter no poder.

10- Amnésia e perda de memória - essa doença tem atacado parte dos servidores que se esquecem que são servidores públicos concursados, longa manus e representante da sociedade em seu local de trabalho, agente da lei que esta ali na instituição para fazer cumprir as medidas socioeducativas determinada pela sociedade através do judiciário aos adolescentes que cometeram ato infracional. 

Esta doença abominável tem levado os servidores concursados a esquecer que eles como representantes da sociedade, não podem deixar de denunciar as direções e cargos de confiança que saqueiam  e roubam a instituição em nome de uma politica nefasta que a mais de 30 anos só usa a instituição para fazer caixa dois sem recuperar os internos infratores.

Enfim essas são as 10 doenças que mais tem atacado os servidores e vão levar (conforme se verifica nas redes sociais) a maioria absoluta da categoria a procurar atendimento médico no próximo dia 06.

Após passarem no médico, os servidores da capital e ABCD, devem se reunir as 11 horas da manhã para protestar na porta do TRT de são paulo, localizado na av. consolação, onde pretendem denunciar fundação, corregedoria e sindicato.

Do TRT devem se dirigir em passeata até o MPE, localizado na av. Brigadeiro Luiz Antonio equina com a rua Riachuelo, para também denunciar fundação e sindicato e depois ainda em caminhada ir até a porta da Fundação exigir providencias do presidente da instituição.

Depois de cumprir essa jornada, muitos dos manifestantes devem se dirigir até a entidade sindical localizada no Tatuapé e fazer uma invasão simbólica na entidade.

Esta invasão  é para mostrar que não vão mais aceitar fraude eleitoral ou serem trapaceados nas negociações, além de não aceitar mais ser agredidos por seguranças contratados e pagos com dinheiro dos trabalhadores.

Já para os trabalhadores do Vale do Paraíba são duas opções: a) virem para a capital se juntar com abcd e capital; b) irem para a porta do MPT e judiciário trabalhista de Mogi das Cruzes.

Para o litoral as opções é vir para a capital e se juntar com os trabalhadores ou irem até o MPT e judiciário trabalhista de Santos.

Para campinas e região a orientação é que todos os servidores se juntem na porta do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª região.

Para as demais localidades a orientação é que os servidores se juntem na porta das varas do trabalho das cidades onde tenham unidades da fundação casa.

O Gigi fala Tudo vai receber através da radio zap 11-97633-3873 e dos emails agibas2007@yahoo.com.br e bloggigifalatudo@yahoo.com.br,  as denuncias de cada unidade para serem compiladas em um único documento para ser protocolado na Fundação, TRT, MPT, MPE.

Este documento será disponibilizado na radio zap e em nosso blog para que os servidores de todo estado imprimam e protocolem em suas regiões, fazendo assim todo judiciário trabalhista, MPE e sociedade tomar conhecimento da situação de adoecimento dos servidores e seus motivos.

Essa é a forma legal dos trabalhadores darem uma resposta ao governo e sindicato que tem usado de supostas normas legais para cometerem fraudes eleitorais e retirarem direitos dos servidores.

Apenas um dia, um único dia que todos os servidores concursados tomarem uma medida legal de cuidarem de sua saúde e ao mesmo tempo protestar contra todos os absurdos e abusos do sindicato e do governo, com certeza suas vozes serão ouvidas, pois só assim sua falta será sentida. Só assim os trabalhadores mostraram que não são marionetes e que suas vidas são colocadas em risco e seus direitos retirados ao bel prazer do patrão e do sindicato.

Com certeza o governo vai sentir o impacto, pois nada poderá fazer, se quer poderá descontar o dia em função dos atestados, e ainda, os servidores vão mostrar ao judiciário o quanto estão doentes e a necessidade da insalubridade e da periculosidade, a necessidade do porte de arma e de segurança para os trabalhadores.

Só assim toda a sociedade e judiciário verá que o sindicato é comandado por ladrões, fraudadores e que a categoria não aceita mais isso na sua própria casa.

Um dia apenas que você cuidar coletivamente de sua saúde e acredite em você trabalhador, o governo vai entender que os servidores não são cachorrinhos ou números, mas verdadeiros servidores públicos que representam a sociedade em seu local de trabalho e estes tem o dever de zelar pelo erário  e pelo bem publico de seu verdadeiro patrão o cidadão contribuinte que lhe conferiu esta função.

Por Gilberto Braw

sábado, 30 de setembro de 2017

Alckmin Implanta Pedagogia da Maconha Na Fundação Casa de São Paulo e MPE Fecha os Olhos


O governador do estado de São Paulo Geraldo Alckmin parece ter descobrido uma nova maneira pedagógica para fortalecer e recuperar os internos infratores " a pedagogia da maconha".

                             Click aqui para ouvir a Radio Zapgigi fala Tudo
Sim caro navegante é o que denunciam hoje os servidores da Fundação casa na Radio Zap Gigi Fala Tudo, visto que em um grande numero de unidades a maconha está rolando solto com a conivência das direções de unidade, parece ter o apoio da presidência da Fundação e do Ministério Publico do estado de são paulo que tem fechado os olhos para tudo que acontece na instituição e no sindicato da categoria profissional.

Os servidores da fundação casa da unidade Arujá comandada pela diretora Wilma fazem graves denuncias na Radio Zap Gigi fala tudo no programa de hoje, relatam eles que os internos usam todos os dias maconha a vontade dentro da unidade, os servidores que se atrevem a repreende-los ou os denunciam para a diretora acabam sendo perseguidos e punidos pela direção, recebendo portaria 70 e conceitos funcionais que mancham sua ficha funcional.

Não bastasse isso, os adolescentes agridem os servidores, cospem na cara e fazem ameaças de morte, tudo misso com apoio da direção que para acalmar os infratores mirins leva lanches do Mc Donalds, chicletes, pirulitos e ainda de presente a eles pune os servidores.

Mas não pense nosso caro navegante que esta situação ocorre apenas na casa Arujá, em menos de uma semana o Gigi fala tudo recebeu denuncias do mesmo problema nas unidades de Itaquera, Tamoios, casa Esperança em Itapetininga onde um servidor de uma ONG foi violentado e abusado sexualmente por um interno,  de forma humilhante o interno passou a mão em nas nádegas do servidor deixando ele humilhado, igualmente vem ocorrendo com as servidoras.

A direção da Casa e da ONG  tomaram como providencia dar conceito funcional ao servidor agredido ao invés de tomar providencias contra o interno, sem falar que, lá coordenador que dorme ou não trabalha tem apoio, já aqueles que trabalham acabam sendo descomissionados.

Em Itaquera a situação não é diferente, além de rolar solta a maconha dentro da unidade, a direção ainda tem o mesmo papel de humilhar e perseguir os servidores que denunciam tais absurdos e abusos.

Um grupo de adolescentes partiu para cima do servidor Ataide e fizeram um chamado "trem bala" contra os internos mais fracos, agredindo-os com gravidade, tudo isso com apoio do diretor que chacoteia os servidores agredidos e os adolescentes atropelados pelo tal do trem bala.

Na Vila maria, as unidades estão trabalhando com 2 a 3 servidores, em uma semana teve na unidade Belém uma rebelião que deixou 3 servidores feridos sendo 2 deles com gravidade, um com um afundamento de cranio e outro com o braço quebrado. 

Na mesma semana essa mesma unidade Belém teve novamente principio de rebelião  e na unidade São Paulo adolescentes tentaram fuga.

Em campinas 2 internos fugiram quando voltavam de uma atividade externa, 6 adolescentes acompanhados por apenas 2 servidores, os adolescentes quebraram os vidros da perua e dois deles empreenderam fuga.

Na raposo tavares também teve fuga, um grande grupo de internos que foram para atividade externa acompanhados apenas por 3 servidores, no retorno da atividade espancaram os servidores deixando estes gravemente machucados e empreenderam fuga.

Com estas denuncias de uso de drogas por internos dentro da Fundação casa hoje, já passam para mais de 20 as unidades que apresentam este tipo de problemas. A maioria onde tem organizações sociais em parceria na administração.

Ministério Publico Estadual Fecha os Olhos e Tenta Punir  Quem Denuncia


O Ministério Ministério Publico do Estado de São Paulo que já foi comandado pelo atual presidente da Fundação Casa de São Paulo dr. Marcio Elias Rosa, tem feito seu papel de proteger o governo do PSDB em detrimento aos interesses da sociedade, não apura qualquer denuncia que é feita pelos servidores dos abusos e roubos feitos por cargos de confiança indicados pelo governo contra o patrimônio da fundação casa.

Para se ter uma ideia, o ex servidor Antonio Gilberto da Silva, junto com os deputados Antonio Mentor e José Mentor fizeram denuncias sobre as fraudes da corregedoria e de seu corregedor Jadir Pires de Borba em processos administrativos contra os servidores.

As denuncias foram carregadas de documentos e provas das fraudes que incluíam acordos de corregedores com internos infratores da fundação para beneficia-los em troca de acusarem servidores inocentes para que a corregedoria pudesse demiti-los.

Posteriormente, o corregedor Dr. Alexander Nicholas Descenzo pediu demissão da fundação por não concordar com as fraudes que incluíam adulteração de documentos em PADs para ludibriar o judiciário trabalhista e impedir que os servidores fossem reintegrados pela via judicial.

Mesmo tendo conhecimento de tudo isso o MPE nada fez, igualmente nas denuncias documentadas de falsidade ideológica cometida por cargos de confiança que transferiam pontos para a carteira de habilitação de servidores que não estavam habilitados a dirigir, ou ainda, cargos de confiança que fizeram campanha para Alckmin e Aécio em horário de trabalho, chefias que ocupam cargos de confiança e empresas terceirizadas que tampam as placas das viaturas para não serem multados cometendo crime de ocultação.

Mas não pense caro navegante que a omissão do MPE para por ai, quando era procurador geral do estado Marcio Elias Rosa montou uma força tarefa para apurar irregularidades na gestão de sua antecessora Berenice Gianella que agora é secretária nacional da criança e do adolescente.

Conforme publicado por diversos órgão de imprensa a apuração vinha apontando diversas irregularidades, mas bastou o governo lhe dar a secretaria de justiça e a presidência da Fundação para que o MPE não falasse mais na apuração.

A entidade sindical que representa os servidores da Fundação Casa  é filiada a CUT, também é beneficiada pela omissão do MPE pois, os servidores já fizeram diversas denuncias contra a entidade e sua diretoria  sobre dilapidação de patrimônio, fraude em assembleias onde o sindicato coloca seguranças pára agredir os servidores e nada do MPE tomar providencias.

Em uma das denuncias feitas ao MPE, o diretor do sindicato Assis Dias denunciou junto com um grupo de 50 servidores a fraude eleitoral preparada pelo sindicato, dilapidação de patrimônio da entidade sindical, fraude nas assembleias entre outra dezena de denuncias, no entanto, o MPE abriu um procedimento apuratório mas até agora nada.

Essa omissão do MPE levou a entidade sindical e sua diretoria pelega ligada a CUT a novamente fraudar as eleições sindicais, soltando um edital escondido da categoria para chamar a eleição da comissão eleitoral sem divulgar para os servidores da Fundação, e ainda, em um horário que impedia a participação dos servidores da fundação.

Nesta assembléia fraudulenta, foram eleitos para comandar a comissão eleitoral um advogado que é membro da direção do PT estadual e outros 2 supostos trabalhadores. 

Aberto o processo eleitoral, a chapa da situação montou sua chapa com total antecedência e abriu prazo para as demais chapas se inscreverem em apenas 5 dias, colocando critérios que claramente inviabiliza a participação de uma concorrência.

Mesmo assim os trabalhadores se mobilizaram e montaram duas chapas. Uma encabeçada pelo pedagogo Prof. Antonio Sergio (chapa 3) e uma encabeçada por uma diretora da atual gestão Aline Louise (chapa2), porém ambas foram indeferidas por não atender supostos critérios determinados pela comissão eleitoral.

Cabe ressaltar que, a chapa 2 encabeçada por Aline Louise na verdade foi uma estratégia montada pela própria direção sindical com intuito de enganar os trabalhadores diante do risco da chapa encabeçada pelo atual presidente Aldo Damião perder de lavada nos dois seguimentos da categoria (fundação e rede conveniada).

No entanto, o MPE assiste a tudo de forma pacifica e não processa ninguém dos infratores, já aqueles que denunciam a Fundação e o sindicato, ah! esses o MPE adora processar.

É o caso o ex-presidente do sindicato Antonio Gilberto da Silva que denunciou todas as fraudes da corregedoria e sindicato, mesmo com provas e documentos o MPE nada fez, mas bastou o corregedor Jadir Pires de Borba ingressar com denuncia dizendo que Antonio Gilberto o injuriou em função deste reproduzir em seu facebook postagens de outros servidores que cançados das fraudes da corregedoria começaram a fazer piadas nas redes sociais, para o MPE fazer uma representação criminal junto a vara do juizado especial criminal do foro da Barra Funda - Jecrim.

Como nosso caro internauta pode observar, o MPE cumpre na integra tudo aquilo que a grande imprensa tem denunciado nos últimos tempos, proteger o governo do PSDB e os bandidos sindicais que estão aliados a este mesmo governo.

Os servidores começam a organizar uma campanha nas redes sociais que pode abalar as estruturas da Fundação Casa, MPE e sindicato "cuide de sua saude por um dia e mate governo e sindicato do coração".

Click no link para ouvir o programa da Rádio Zap Gigi Fala Tudo Jornal Língua Afiada com as denuncias da terapia da maconha.

Participe da Radio Zao Gigi Fala Tudo 11-97633-3873, ou acompanhe em nossos canais no blog, Youtube e facebook.

Anuncie na Radio Zap GiGi fala Tudo promoção especial de outubro contatos: 11-976333873 e 11 960765579

Por; Gilberto Braw

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Governo do Ceará, MP e Judiciário Mandam Socioeducadores Para Morte e Miséria

Camilo Santana Gov. do Ceará
Parece que o Governador do estado do Ceará Camilo Santana do PT andou fazendo curso de destruição em massa de servidores da socioeducação com a direita e com o PSDB, em especial com o atual ministro do STF Alexandre de Moraes.

Afinal, os caminhos percorridos por Camilo no trato com os profissionais que atuam em medidas socioeducativas de atendimento a adolescentes autores de atos infracionais abrigados em instituições do estado, são as mesmas praticadas por Moraes e Alckmin em 2005 no estado São Paulo que acabou em tragédia.

O Governo do Ceará comandado pelo petista, segue a mesma cartilha do PSDB paulista para destruir pais e mães de família, deixando a impressão de seu projeto ser cópia fiel da mediocridade tucana implantada em são paulo, projeto este que massacra, mutila e mata servidores e adolescentes.

O governo com a desculpa de melhorar o atendimento socioeducativo de infratores, elaborou uma seleção publica para a contratação de servidores para o já falido sistema administrado pela Superintendência de Atendimento Socioeducativo  do Ceará - SEAS.

Junto com o processo de seleção, segundo informações colhidas pelos Gigi Fala Tudo, foi garantido aos servidores que já estão no sistema a 10,15, 20 anos, participarem do suposto processo seletivo onde teriam acréscimo de pontos na prova de títulos em função da experiência que estes possuíam.

No entanto, o que se verifica na verdade através das redes sociais, é que a prova parece não ter levado em consideração este aspecto e a maioria absoluta dos servidores serão demitidos.

A demissão destes profissionais com longos anos de serviços prestados, gera um grande risco a sobrevivência destes servidores e suas famílias, mas também gera um risco gravíssimo a vida dos novos servidores que estão ingressando, onde muitos deles podem ficar mutilados ou mesmo perder a vida pela falta de experiencia neste tipo de atividade.

Este ataque feito pelo governo do estado do ceará aos servidores que já estão no sistema, é uma verdadeira covardia, pois, a maioria absoluta já encontra-se em idade avançada na casa dos 50 anos de idade e carregam sequelas físicas e psicológicas que dificultaram sua reinserção no mercado de trabalho.

Seas, OAB e direitos Humanos do Ceará Vivem No mundo de conto de fadas
Historicamente os servidores que atuam em medidas do sistema prisional, seja ele juvenil ou adulto, acumula doenças físicas e mentais inerentes a esse tipo de trabalho com danos muitas vezes irreparáveis, levando a gastos com tratamento e uso de medicamentos controlados para o resto da vida.

A maioria dos servidores apresenta problemas cardíacos, pressão arterial, artroses, síndrome do panico, alucinações, síndrome de perseguição entre outras doenças que afetam diretamente sua desenvoltura perante o mercado de trabalho.

O governo do estado por anos se aproveitou da força de trabalho destes servidores para garantir a segurança da sociedade cearense contra os infratores juvenis. No entanto, agora sob a batuta de uma nova ótica pregada pelo MP da infância e juventude, sociedade civil e judiciário, descartam estes profissionais como se fossem entulhos e verdadeiros lixos, sem qualquer garantia de sobrevivência, colocando em risco suas famílias e seus filhos que poderão por força das condições de sobrevivência tornarem-se clientes do sistema socioeducativo.

Mas como em todo o Brasil, o mp e judiciário do ceará não esta preocupado com pais e mães de família trabalhadores, ou se quer com seus filhos honestos. 

Os MPs e Judiciários do país, tem se mostrado mais preocupados em garantir direitos aos bandidos e infratores mirins do que aos cidadãos de bem.

Governo, MP e Judiciário de Ceará o mundo do faz de conta
Um exemplo disso, é o descaso com estes servidores que a décadas labutam arduamente para garantir o funcionamento de um sistema falido pelo próprio estado, MP e judiciário e a falta de politicas coesas e efetivas para a recuperação dos adolescentes infratores.

Não busca o MP, Judiciário e governo do estado garantir os direitos destes servidores, querendo ou não são detentores de direitos, pois prestaram serviço diretamente ao estado na área de segurança publica, cuidando de jovens que cometeram homicídios, latrocínio, tráfico de drogas, roubo a banco, assaltos entre outros.

Dessa forma e por questões de segurança, não pode agora estes servidores serem jogados aos leões como meros trabalhadores comuns, pois a maioria mora em periferias bem próximo ou nos mesmos bairros que os jovens bandidos que eles cuidavam, por tanto não podem ficar sem qualquer amparo estatal.

Seria o mesmo que pegar um juiz, um promotor ou um policial e colocar para morar no meio da favela junto com os bandidos que eles mandaram para a cadeia, o resultado é simples de se prever.

Por mais que parte da sociedade civil tente afirmar que a questão dos jovens infratores esta ligada a área social, na verdade a socioeducação esta ligada diretamente a área de segurança publica, pois não há diferença nos crimes cometidos pelos menores ou maiores, ambos tem suas práticas criminais listadas no código penal, sendo a diferença que os maiores são processados pelo CPP e os menores pelo ECA, o que incentiva cada vez mais a reincidência destes em crimes graves, a sensação de impunidade e o aumento da violência por eles praticada.

Jogar pura e simplesmente estes servidores adoecidos pelo próprio sistema no olho da rua, é o mesmo que lhes retirar as garantias constitucionais elencados no artigo 5º da CF cidadã, ferir todas as normas trabalhistas e ainda colocar em risco a sobrevivência destes e de suas famílias, o que é incompatível com o estado democrático de direito.

Risco de mortes, estupros e mutilações dos novos socioeducadores 


Não bastasse isso, o governo do estado de forma irresponsável e assassina,  não vai destruir apenas a vida dos servidores que estão saindo sem as devidas garantias constitucionais, pode destruir a vida dos servidores que estão entrando também. 

Sitbem Sindicato da CUT tão pelego quanto o sitraemfa
Ao demitir os servidores antigos que acumulam anos de experiencia e colocar servidores novos sem que estes tenham qualquer experiencia, o governo colocará diretamente a vida destes trabalhadores em risco pois, os internos ao perceberem a inexperiência dos novatos servidores, vão se aproveitar para fazer rebeliões violentas, vitimas fatais para dar exemplo,  gerando lesões psicológicas, físicas e até mesmo mortes dentro do sistema como ocorreu em são paulo em 2005.

Em 2005 Alexandre de Moraes (atual min. do STF), cometeu a mesma imbecilidade na Febem de São Paulo (atual Fundação Casa), o resultado foi uma tragédia com a morte de servidores, internos e milhares de servidores mutilados e destruídos psicologicamente, sendo que muitos acabaram aposentados por incapacidade.

Usando da mesma teoria que vem sendo usada pelo governo do estado do Ceará, Moraes buscou a todo tempo responsabilizar os servidores antigos pela falência do sistema, sem qualquer conhecimento da funcionalidade do sistema de abrigamento de infratores juvenis com medida restritiva de liberdade, ele Moraes em uma unica tacada demitiu 1751 servidores do patio, lembrando que o quadro total de servidores da instituição á época era de 8 mil.

O resultado foram 175 dias de rebeliões cada vez mais violentas, 11 adolescentes mortos, 2 servidores mortos, centenas de servidores mutilados sendo que a maioria ficou incapacitada definitivamente, 4 servidoras estupradas, mais de 20 mães e irmãs de internos estupradas, mais de 150 internos abusados sexualmente por outros internos e o pior de tudo, a instalação definitiva do crime organizado (PCC) dentro do sistema de internação juvenil, o que nunca havia ocorrido antes.

Segundo as denuncias de inúmeros servidores do complexo Vila Maria, a própria irmã de Moraes ficou gravida de um interno, as ONGs que compunham as supostas organizações de direitos humanos, assumiram as unidades por menos de 3 meses, ao verem que a coisa não era bem do jeito que eles pregavam na teoria, foram obrigadas a se retirarem e  clamar pelo retorno dos servidores demitidos.

As maiores vitimas daquela tragédia provocada por Moraes foram justamente os servidores novos  recém contratados. O fato de não terem qualquer experiencia prática do sistema, por não terem tido espelhos e exemplos de servidores antigos, os novatos como são chamados, acabaram sendo presas fáceis dos criminosos mirins.

Dos 1751 servidores novos contratados no lugar dos demitidos, restaram na instituição menos de 150, muitos entravam para trabalhar em seu primeiro dia, saiam para almoçar e se quer voltavam para dar baixa em sua CTPS.

Apenas depois de 12 meses da reintegração dos 1751 demitidos é que  fundação começou a retornar a normalidade. Porém, o crime organizado ficou instalado no intramuros da instituição até hoje.

Igualmente esta ocorrendo no Ceará, o MP e Judiciário também apoiaram as medidas nefastas do governo do PSDB paulista, fizeram coro  contra os servidores, igualmente faz o governo cearense tentou jogar a culpa nos servidores demitidos e nos antigos pelo caos.

Porém, a categoria que possuía lideranças na base conhecedoras das leis e que não se venderam ao governo como fez a direção sindical do sitraemfa comandada por Maria Gusmão, foram a luta e se mobilizam, realizando uma gigantesca greve da categoria que durou 175 dias, fazendo debates no TRT, TST, STF e com toda a sociedade através da mídia.

Foi com base na luta organizada na base que reconquistaram seus direito de reintegração e com ele a estabilidade de servidor publico.

No Ceará, a situação dos servidores é idêntica ao que ocorreu em são paulo, pois o Sitbem - sindicato que representa a categoria profissional também é filiado a CUT, igual ao de São Paulo é subserviente ao governo do estado que é comandado pelo PT e é tão pelego quando o sitraemfa/sitsep de são paulo, que mesmo filiado a CUT compõe com o PSDB.

Mas no ceará tem um agravante, o governo não vai trocar só 30% dos servidores como ocorreu em são paulo, lá eles vão trocar quase 100% do quadro funcional, o que vai propiciar um massacre aos servidores novatos como nunca se viu na história da socioeducação.

Membro do SEAS Tem Histórico de Criar Tragédias e Mortes na Socioeducação do Paraná


Não pense nosso caro navegante que o que esta ocorrendo no estado do Ceará é apenas um acaso isolado, ou apenas o desconhecimento do executivo estatal.

A tragédia que se prepara para aquele estado, é orquestrada por uma pessoa que já tem uma certa experiencia em desestruturar a socioeducação e propiciar assim morte de servidores e internos.

Conforme levantado pelo jornal língua afiada do Gigi fala tudo junto aos socioeducadores do Ceará, quem comanda a Superintendência de Atendimento socioeducativo - SEAS que vem promovendo toda esta barbárie é o senhor Roberto Bassan, velho conhecido dos socioeducadores do Paraná.

Segundo um áudio lançado nas redes sociais (watszapp), e reproduzido pela Radio Zap Gigi Fala Tudo, o diretor jurídico do sindicado dos socioeducadores do Paraná Mario Monteiro, relata a destruição feita por Bassan a socioeducação do Paraná quando de sua passagem por lá.

Segundo o áudio lançados no grupo de socioeducadores, Bassam igualmente vem fazendo no Ceará, aplicou suas teorias nefastas que levaram o sistema  paranaense a um colapso, provocando mortes e inúmeras rebeliões entre outros, demonstrando seu despreparo para conduzir qualquer projeto nesta área.

A forma nefasta como a Seas vem conduzindo o processo de mudança no estado do Ceará, só vem a confirmar as acusações feitas pelo diretor jurídico do Sindsec/PR, pois como se pode observar, eleva-se com destaque as medidas socioeducativas pedagógicas sem garantir efetivamente a segurança, ponto principal para se efetivar qualquer projeto de restruturação.

No Ceará vem ocorrendo o mesmo que acontece em são paulo e no resto do Brasil, teóricos formados apenas no papel, apresentam seus projetos mirabolantes sem qualquer efetividade ou experiencia prática, tentando assim emplacar um novo modelo as medidas socioeducativas sem sucesso, visto que os teóricos sempre esquecem de ouvir o ator principal para que qualquer projeto funcione, ou seja, o servidor do pátio.

É inconcebível qualquer projeto cujo ator principal para seu funcionamento não seja ouvido, pois é ele o agente socioeducador que atua diretamente com os jovens infratores,  conhece a realidade do dia a dia e o que é possível de ser implantado e como deve ser implantado.

Da mesma forma, não existe unidade de internação perfeita, seja ela prisional adulto ou de infratores mirins, uma vez que sua construção seguem a mesma regra sem que o profissional do patio seja ouvido.

É este profissional  quem atua na segurança e prevenção de fugas e rebeliões. É este servidor que sabe como as armas internas são feitas, qual as falhas devem ser corrigidas para evitar que os jovens venham a gerar rebeliões ou tentativas de enquadramento e consequentes fugas.

Infelizmente no Brasil, diferentemente de outros países, nossos especialistas são formados apenas no papel e não na prática. Assim, não passam eles de apenas teóricos ao invés de práticos, impondo teorias que não se coadunam com a realidade dos infratores juvenis Brasileiros que, de tão protegidos e apoiados pelos sistema judiciário e ministério publico, acabam entrando no sistema como aprendizes e saindo verdadeiros professores do crime.

Há que se falar que, pessoas como Roberto Bassan do Seas cearense, são replicas exatas de Gianelas, Moraes, Chalitas e tantos outros teóricos que não reeducam nenhum infrator mirim, mas são especialistas em transformar em bandidos pais e mães de família que atuam diretamente nas medidas de internação e possuem larga experiencia na área, mas acabam sendo culpados pela omissão reiterada do estado, MP e Judiciário.

Esta sim é a especialidade desse tipo de teórico hipócrita e nefasto, pois possuem experiencia na arte de mentir e enganar a sociedade para proteger seus cargos políticos e seus governantes nefastos que na realidade não fazem nada para recuperar os adolescentes autores de ato infracional. 

Ao contrário, usam do sistema para justificar gastos absurdos e abusivos como um saco sem fundo, onde a conta é paga pela sociedade  e por você caro internauta contribuinte.

No mesmo diapasão vem o MPE e Judiciário, pois fingem que fiscalizam e combatem a corrupção nestas estruturas ou defendem os direitos das crianças e adolescentes, mas na verdade são tão responsareis  pela balburdia quanto os demais atores estatais, visto que, é o MPE e Judiciário que internam os infratores em instituições sem o minimo de condições de atendimento e depois de coloca-los no inferno aparecem como supostos anjos para garantir seus direitos.

Ora! porque não garantem os direitos  destes jovens antes mesmo destes virarem infratores, porque não garantem atendimento adequado e digno para a recuperação destes jovens adotando medidas severas contra os governantes e seus cargos de confiança que na maioria das vezes estão ali nestes verdadeiros purgatórios juvenis apenas para ganhar dinheiro ou se enriquecer ilicitamente.

Mas não, preferem os nobres promotores de justiça e juízes da infância e juventude dos estados atacar os servidores parte mais fraca da relação.

Assim os hipócritas representantes do ente estatal, com poder de mando e de mudança nada fazem, a não ser claro sacrificar jovens internos e servidores, ambos da mesma classe social e vitimas da mesma máquina estatal de moer gente.

Exemplo dste tipo de hipocrisia onde um poder é conivente com o outro e ambos responsabilizam apenas infratores e servidores, foi o VIII encontro da magistratura, do ministério publico e da defensoria publica da criança e do adolescente do estado do ceará, ocorrido no ultimo dia 31 de agosto no auditório do Tribunal de Justiça do Ceará.


As colocações e discursos politicamente corretos ali feito pelos parentes estatais, igualmente ocorre em são paulo e no resto do pais, não se preocuparam em discutir a tragédia que se anuncia naquele estado e que pode causar vitimas fatais entre internos e trabalhadores. Esse tipo de discussão como ali ocorreu, deixa bem claro a proteção entre os poderes, a mediocridade da politica para a infância e juventude e o descaso com os trabalhadores do setor e com os infratores minrins.

Essa situação só vai realmente mudar quando os verdadeiros atores do sistema socioeducativo se rebelarem juntos, unidade por unidade, estado por estado.

Só assim conseguiram mostrar que, são os servidores do sistema os verdadeiros responsáveis pelo funcionamento da maquina e único ator compromissado com a recuperação do jovem infrator, porque o resto, não passam de políticos com promessas vazias para ganhar dinheiro,  status e poder a custa da miséria alheia.

Acompanhe o debate da socioeducação no Brasil pela Radio Zap Gigi Fala Tudo - Jornal Língua Afiada é só adicionar no zap 11- 976333873, mande o nome e de onde é para receber nossos programas.

Por Gilberto Braw