GiGi Fala Tudo

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Fundação Casa Atropela TRT/MPT e Começa a Retaliação, Demissões a Vista e com PA Retroativo (vídeo)

A Fundação Casa de São Paulo, mais uma vez demonstra não ter qualquer respeito as decisões prolatadas pelo TRT de São Paulo e as insistentes intervenções do MPT contra os abusos da instituição.

Mais uma vez se colocando acima do poder judiciário trabalhista, a direção da FC se apresenta como soberana da ilegalidade e da impunidade e, desrespeitando o que foi decidido pela sessão de dissídios coletivos começa a retaliar os trabalhadores que participaram da greve de 2016.


Cabe lembrar que no julgamento, a FC foi compelida a não praticar qualquer tipo d retaliação contra os grevistas. No entanto, a FC de forma descarada vem retaliando os grevistas, usa para esse tipo de perseguição a corregedoria da instituição que vem abrindo centenas de processos administrativos absurdos e pior retroativo aos anos de 2012, 2013, 2014, 2015, pois assim tenta passar a imagem que estes PADs são anteriores e assim busca caçar os grevistas.

A todo momento os grupos de watszap noticiam novas notificações, em uma delas os servidores anunciam que na unidade Rio Nilo um plantão inteiro esta sendo processado, em outra uma servidora da saúde da unidade Rio Novo de Iaras, vem sendo perseguida por ter executado seu trabalho corretamente e ter cumprido não só as normativas da FC, Coren e CF, sendo obrigada a entrar em um sistema de rodizio que coloca em risco a saúde de seu filho portador de necessidades especiais.

Mas as retaliações não param por ai. Até mesmo um diretor do sindicato que não participa da panela do presidente da entidade sindical e que é considerado um diretor combativo recebeu na semana passada uma notificação de PAD que apura supostos atrasos dele em 2013. Ricardo Lopes como é conhecido na unidade de Batatais e nas unidades da região, também é blogueiro e utiliza-se de seu blog para informar e mobilizar os trabalhadores.

Ao processar este dirigente sindical combativo, a FC tem como intenção principal demiti-lo e assim calar seu blog, como fez com outros servidores que inclusive participaram da mesa de negociação de 2014, como Adriano Neiva, Michel George Munhoz e Antonio Gilberto da Silva que também usavam seus blogs para informar a categoria e mobilizar os trabalhadores, no entanto foram demitidos sob a alegação de fazerem publicações ofensivas a moral e a boa fama da instituição.

Lembramos aqui que estes servidores também estavam sob a estabilidade e clausula de paz determinada pelo TRT no dissidio de 2014.

Antonio Gilberto da Silva é ex-presidente da entidade sindical e goza de credibilidade junto aos trabalhadores, por isso foi demitido 3 vezes, nesta ultima foi reintegrado em janeiro de 2014, foi eleito para participar da comissão de negociação junto ao TRT por unanimidade,  em uma assembleia que contou com a participação de mais de 1700 trabalhadores. Mas foi demitido logo após em um processo administrativo viciado e que não respeitou o direito do contraditório e da ampla defesa, mesmo estando em afastamento médico junto aoINSS por conta de um acidente de trabalho que a FC se negou  abrir o CAT.

Teve sua demissão anulada em processo trabalhista de 1ª instância, onde o Juiz concedeu a tutela antecipada. No entanto, a FC ingressou com um mandato de segurança que suspendeu a tutela antecipada, o processo encontra-se com recurso ordinário no gabinete da desembargadora Lilian Gonçalves da 18ª turma.

Uma comissão de trabalhadores organizou um abaixo assinado em defesa dos demitidos políticos e pretendem entregar ao presidente do TRT, MPT e aos desembargadores que estão com os processos dos demitidos políticos, entre eles a desembargadora Lilian Gonçalves.

Para muitos trabalhadores, a demissão politica destes servidores tem uma finalidade por parte da FC e que conta com o apoio da entidade sindical, a de impedir que estes companheiros disputem a eleição sindical deste ano, tendo em vista o grande prestigio que todos tem junto a base.

Como se pode verificar, a perversidade da instituição é gritante, porém os trabalhadores prometem reagir e começam a buscar articulações para realizar manifestações junto ao TRT e MPT, visando um intervenção tanto na corregedoria da instituição que funciona como escudo politico da presidência da FC e do governo, como também uma intervenção na entidade sindical que pretende novamente realizar eleições fraudulentas e assim se perpetuar no poder.

Em um video de 18 minutos, o ex-presidente do sindicato Gilberto alerta a categoria para as retaliações e conclama os servidores se mobilizarem contra as fraudes dos PADs e pela garantia das conquistas junto ao TRT.

Click no vídeo e assista.

Por Gilberto Braw






terça-feira, 31 de maio de 2016

Greve Fundação Casa: Vitória o Que Ganhamos, Bônus, Retaliação e o Golpe do Sindicato

Saiu ontem (30), a publicação do acordão do dissido de greve dos servidores da Fundação casa de São Paulo.

Foram 18 dias de paralisação e os servidores mesmo boicotados pelo Sindicato da categoria profissional, de peito aberto e com coragem mantiveram a luta e não se curvaram.


O resultado desta coragem foi a vitória, onde alcançaram mais que o dobro dos 5% oferecidos em duas vezes pela direção da instituição, bem como seus reflexos nos benefícios e ainda, tiveram uma conquista politica ao conseguirem que o TRT condenasse a FC ao pagamento de multa pela prática anti-sindical e litigância de má fé.

Esta condenação do TRT contra a FC, serve como uma ferramenta importantíssima para que os servidores utilizem em seus diversos processos individuais, mostrando para o judiciário que se a FC tem este tipo de prática contra os servidores perante o TRT, imaginem o que ela não faz nos porões de sua corregedoria, que de forma ditatorial, abusiva e viciada prática os mais diversos absurdos e abusos contra os trabalhadores.

A vitória jurídica e politica da categoria poderia ter sido muito maior, se não fosse a omissão sindical que a todo tempo fazia coro junto com membros da oposição para que os servidores se curvassem mais uma vez aos caprichos da direção da FC.

Diante da postura enérgica adotada pelo TRT contra a FC, este desmoralizou não só a instituição governamental, mas também a entidade sindical e oposição, uma vez que, os desembargadores que julgaram o dissido, ouvindo o clamor dos trabalhadores que mostraram sua disposição de luta, trilharam por acolher suas suplicas e dar-lhes a vitória integral e irrestrita.

Mas agora fica a pergunta, o que devem os servidores fazerem para efetivamente verem as decisões do TRT serem cumpridas e entre elas o reajuste de 11,7%.? O que devem fazer para receberem o Bônus já aprovado no orçamento? O que devem os trabalhadores fazer para não deixarem que a FC realize a retaliação que vem sendo construída com o discurso de máfia de atestados?

Em um vídeo de 25 minutos, o ex-presidente do sindicato Gilberto fala sobre estas questões, orienta quais os caminhos a categoria pode seguir para que esta conquista seja garantida, e ainda, faz um alerta sobre o golpe eleitoral que sindicato e alguns membros da oposição pretendem aplicar na categoria para se manterem no poder, e assim, manter o sindicato no estado em que esta, e que beneficia a FC, prejudicando os servidores.

Em meio a esta guerra, onde os servidores saem fortalecidos pela vitória, um grupo de trabalhadores de base elaboraram um abaixo assinado para recolher a assinatura dos servidores de diversas unidades do estado, visando denunciar ao TRT que as demissões feitas no pós greve de 2014 e 2015, são na verdade demissões politicas, o que caracteriza também a prática anti sindical.

Este abaixo assinado, tem ainda o objetivo de servir como prova para que os demitidos, Antonio Gilberto da Silva, Adriano da Silva Neiva (membros da comissão de negociação no TRT 2014) e Michel Jorge Munhoz, José Maurílio Inocêncio, André Januário e Cesar Rocha lideranças da greve de 2014 demitidos em processos administrativos fraudulentos com o cunho de retaliação aos grevistas e suas lideranças, seja juntado aos processos individuais deste trabalhadores, para que assim, possam fortalecer e conquistar suas reintegrações.

Segue abaixo modelo do abaixo assinado, que após recolhidas as assinaturas nos locais de trabalho, devem ser entregues as lideranças de unidade que estão responsáveis pelo recolhimento ou escaneados e enviados para o e-mail bloggigifalatudo@yahoo.com.br ou agibas2007@yahoo.com.br

Por: Gilberto Braw


Abaixo Assinado dos Trabalhadores da Fundação Casa SP ao TRT/SP

Nós Trabalhadores da Fundação Casa de São Paulo abaixo assinado, vimos por meio de este denunciar ao TRT/SP o que segue:
É louvável e justa a postura deste egrégio tribunal ao aplicar no dissídio coletivo de greve 2016, a multa na empregadora Fundação casa de São Paulo, pelas práticas anti sindical e litigância de má fé em função de reiteradas práticas abusivas cometidas pela instituição contra nós trabalhadores.
Porém entendemos que há outro tipo de prática anti sindical e abusiva cometida pela empregadora, quando esta não respeitou as clausulas de paz aceita por ela nos dissídios de 2014 e 2015, quando esta se utilizou de sua corregedoria para processar administrativamente e demitir servidores sob alegações absurdas que vão desde o uso da internet onde o servidor desta instituição publica se organizam até a utilização de  processos administrativos que a anos estavam arquivados e foram reabertos contra lideranças com o claro intuito de praticar a retaliação contra servidores grevistas e membros da comissão de negociação.
Isso foi o que ocorreu com dois membros da mesa de negociação de 2014 os servidores Antonio Gilberto da Silva e Adriano da Silva Neiva, bem como com os servidores Michel Jorge Munhoz, André Januário, Cesar Rocha e José Maurílio Inocêncio, também demitidos através deste tipo de processo administrativo viciado, que tem o cunho de dar roupagem jurídica a decisões políticas da direção e assim, praticar o ato retaliatório contra a categoria, tendo em vista que estes trabalhadores foram lideranças em seus locais de trabalho durante a greve, atingindo assim frontalmente o acordado nas mesas de negociação e por tanto atingindo todo o corpo funcional que ficou vulnerável diante deste tipo de prática anti sindical.
Neste sentido requeremos a vossas excelências, que este tipo de prática cometida pela FC seja de pronto coibido, bem como seja feita uma observação nos processos de reintegração destes servidores que tramita perante esta justiça do trabalho, para que assim sejam sanadas tais injustiças.

Nome                               RE                                     Unidade                           Assinatura
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10



terça-feira, 24 de maio de 2016

Fundação Casa é Massacrada No TRT e Condenada Por Prática Anti Sindical

A direção Fundação casa de São Paulo cujo os funcionários estão em greve desde o dia 07, levou uma surra politica e moral hoje durante o julgamento do dissidio coletivo de greve.

Os desembargadores capitaneados pelo relator Francisco Ferreira Jorge Neto, deram uma aula moral na instituição, ao mostrarem as práticas absurdas e abusivas cometida pela instituição contra seus trabalhadores.

A greve dos servidores foi julgada legal e não abusiva, porém os servidores terão que compensar os dias parados, mas em contrapartida foi determinado a aplicação da reposição da inflação de 11,5%, (bem maior que os 5,6% em duas vezes oferecidos pela FC),  o retomo imediato dos servidores ao trabalho sob pena de multa, entre outra determinações.

A maioria absoluta dos desembargadores entenderam que foi cumprida a liminar e na sua maioria teceram comentários que mostram claramente o poder abusivo da instituição e o desrespeito do governo para com os trabalhadores e para com as decisões judiciais.

Enfim os desembargadores do TRT colocaram um freio no abuso cometido pela instituição que é comandada pelo governo do PSDB a mais de 25 anos.

Para trabalhadores ouvidos agora pelo telefone, a direção da FC foi humilhada diante do tribunal pelos nobres julgadores que se utilizaram do conhecimento das leis e da sabedoria divina para proteger os oprimidos por este sistema bruto chamado direção da FC e sua presidência Berenice Gianella.

Parabéns aos servidores pela coragem e disposição de luta, pois demonstraram que não vão mais aceitar estes tipos de abuso cometido contra os servidores.

Ao desembargador relator do dissidio de greve Dr. Francisco Ferreira Jorge Neto, fica o nosso obrigado e parabéns por ter sido o salomão dos servidores e ao TRT por voltar a ser a casa da justiça dos humildes.

Por: Gilberto Braw

Se o STF esta Envolvido no Golpe Só Uma Revolução Para Mudar o Brasil

O escândalo que ganhou as manchetes de jornais no mundo envolvendo Romero Golpe Jucá,  braço direito do presidente interino Michel Golpe Temer, colocou a nu o esquema do golpe, que segundo postado nas redes sociais, envolvem o parlamento, forças armadas e STF.

Com a divulgação de áudios de uma gravação feita entre  o ex-presidente da transpetro Sérgio Machado e Romero Jucá, ficou mais do que nítido que o golpe para apiar Dilma Roussef da presidência da republica, foi tramado em um grande pacto orquestrado pela classe politica corrupta do pais, junto com a elite, empresários poder judiciário e forças armadas.

O objetivo ficou mais do que claro, acabar com a lava jato e assim poupar os corruptos históricos que a anos sugam o Brasil e ao mesmo tempo tentar jogar o país nas trevas, onde quem pagará a conta é a classe pobre e negra deste solo da mãe gentil.

Ao afirmar que" há um pacto entre todos, judiciário, forças armadas, ficou bem claro o porque o STF demorou tanto para afastar Eduardo Cunha da presidência da câmara, viabilizando que ele conduzisse o golpe.

Fica ainda mais claro a postura do Juiz Sergio Moro e de Gilmar Mendes que a todo tempo blindaram Aécio Neves e toda a cúpula corrupta do PSDB.

Vem explicar o porque que o helicoca preso nas terras do senador e de propriedade dos Perrelas não deu em nada, mostrando o direcionamento das investigações da Policia Federal partidária.

Demonstra ainda a cara de pau da ministra  do STF Rosa Weber que além de condenar José Dirceu sem provas, de forma sínica pede explicações a Dilma Rousseff o porque ela chama o impeachment de golpe.

Se a Ministra queria uma resposta da presidente, Jucá e Sergio deram a altura. Chama-se golpe ministra, porque há um pacto para apiar do poder aqueles que realmente tiraram o Brasil do atraso que esta elite nefasta jogou em 500 anos, cuja a corte que vossa excelência é ministra, faz parte atuante desta trama sórdida.

O poder judiciário é a ultima instância  que tem o cidadão de bem para recorrer em caso de injustiça, ou, de sofrer um escarnio fraudulento como este que sofreu Dilma Rousseff.

Teria o Poder Judiciário, segundo a CF/88, o papel de corrigir as injustiças e assim manter a legalidade e o cumprimento das normas constitucionais.

Não permitiu a CF/88 que o Poder Judiciário deixe de ser um aplicador das leis para se transformar em um tribunal politico de exceção, onde para uns como Lula não pode ser ministro por ser investigado, mas para os ministros do Golpista Temer, onde a maioria é investigado ou denunciado pode.

Quando a instância maior de justiça de um pais se tona golpista, manipuladora e corrupta, não resta aos cidadãos de bem outra saída a não ser se rebelar e, se preciso, empunhar armas para fazer valer a constituição e seus direitos, visto que esta postura do STF em patrocinar um pacto de golpe, não atinge apenas o PT, Dilma ou Lula, mas a toda uma nação que fica subjulgada a injustiças e ao banditismo dos detentores do poder.

Por: Gilberto Braw

Fundação Casa: No Dia "D" Grevistas Dependem da Sorte e São Acusados de Máfia de Atestados.

Os Trabalhadores da Fundação Casa, realizaram uma das maiores paralisações já vista na instituição. Hoje terça feira (24), realizam um ato em frente ao Masp na av. Paulista as 15 horas, de onde vão em passeata para o TRT, que julgará o dissidio de greve deste ano.

Mesmo com toda adversidade, os servidores mostraram uma união indescritível, fortalecendo uns aos outros, para que a luta não esmorecesse e fosse adiante.

Debateram idéias, tiveram iniciativas, tomaram atitudes, e decidiram seu rumo. Não se intimidaram com ameaças, nem mesmo com o resultado. Colocaram a frente de tudo, a dignidade, a honra e o caráter de quem busca trabalhar dignamente e levar o sustento para sua família.

Os trabalhadores mostraram que tem objetivos, direitos e sonhos, e estão dispostos a conquistá-los com muita garra e união.

Unidos fizeram sua parte. Porém, a entidade sindical deixou a desejar, e lança os trabalhadores a contar unica e exclusivamente com a sorte, ao invés de ter cravado estacas firmes para que os guerreiros pudessem chegar ao final da batalha e alcançar seus objetivos.

Até mesmo o fato ocorrido na unidade Fazenda do Carmo que colocou em risco a vida dos servidores, o sindicato não soube usar em favor de seus representados. E ainda, deixou que a FC novamente se esquivasse e sutilmente levantasse suspeita sobre os servidores.

Novamente a FC lança mão de acusar os servidores de mafiosos, como ocorreu em 2005, onde a direção acusava os servidores de mafia de horas extras, sem apresentar qualquer prova.

Naquele episódio, a entidade de classe então presidida por Maria Gusmão Pereira e tendo como secretário jurídico Julio Alves, o sindicato como agora nada respondeu, deixando transparecer o acordo da presidente da nova direção sindical e a FC.

Esta suspeita se cristalizou, quando em assembléia, a nova presidente do sindicato se negou a defender os demitidos sob a alegação de que não era sindicato de demitidos.

Agora não é diferente, e a FC no ultimo minuto do jogo acusa os servidores de máfia de atestados médicos, sem que a entidade sindical venha a rebater a altura.

Um fato desta gravidade, deveria ter sido gritado pela entidade sindical aos quatro cantos. Mas a Entidade apenas esboçou respostas miúdas e prontas, que em nada atinge os argumentos lançados pela FC.

Pior que isso, é ver o MPT lançar seu parecer como foi postado nas redes sociais, onde este entendeu abusividade na greve e opina para que os dias sejam descontados.

Porém, mais absurdo é ver o sindicato responder que isso é normal, pois nos últimos anos tem sido assim e quem decide é o TRT.

O MPT, teve um papel importante nas lutas e conquistas desta categoria, na maioria das vezes, em favor dos trabalhadores. O MPT, tem papel importante na fiscalização das leis e de sua aplicação, por isso seria importante conquistar seu apoio. 

Mas isso só aconteceria, se o representante dos trabalhadores mostra reiteradamente aos procuradores a real situação da instituição e os riscos a que estão expostos os servidores, e isso não ocorre apenas em período de greve, mas ao longo do ano.

É certo que quem vai decidir são os desembargadores, mas lembremos que estes estão na posição de juízes e por tanto decidem mediante as provas e fatos que envolvem o conflito. Desta forma como dizia um antigo servidor, "quanto menos inimigos no campo de batalha, mais chances tem a vitória".

O mais importante de tudo, é saber que independente do resultado, a categoria já é vitoriosa, pois mostra que além da garra de lutar, caráter e honra, adquiriu maturidade e experiência para as próximas batalhas que virão.

Aos antigos que lutaram, nossos parabéns pois se mostram guerreiros eternos desta categoria em busca de justiça. 

Aos novos, nossa admiração e respeito, mais que isso, nosso obrigado por mostrarem toda essa coragem, disposição e inteligência que fez a diferença nessa luta.

Ficamos aqui na torcida para que no julgamento do TRT, essa categoria sai contemplada em seus anseios, pois vitoriosa ela já é.

Deixamos aqui  nossos parabéns a toda categoria por esta luta magnifica.

"Quem luta por justiça e dignidade jamais sairá do campo de batalha derrotado"

Por Gilberto Braw

domingo, 22 de maio de 2016

Fundação Casa: Trabalhadores Desmascaram Sindicato, Qual Poderá Ser a decisão do TRT Dia 24 (vídeo)

Uma das maiores greves já vista na Fundação Casa de São Paulo esta chegando ao seu final. Mesmo assim, os servidores ainda correm o risco de perder o jogo, mesmo estando com a vitória nas mãos.

Isso pode ocorrer uma vez que a entidade sindical e a oposição jogam sujo com os servidores, e, ao invés de no ultimo round jogar toda sua energia para convencer os desembargadores do TRT em um total de 7 que irão julgar a greve, oposição e sindicato preferem ofender e desmerecer trabalhadores que foram demitidos por fazerem a luta da categoria.


Mas o sindicato e oposição foram desmascarados, pois encontraram um adversário muito maior que os demitidos, as redes sociais, que tudo vê, tudo grava e tudo mostra.

Assim, o blog Gigi Fala Tudo, mostra em vídeo e áudio os flagrantes de peleguismo da entidade sindical e da atuação rasteira de lideranças da oposição, que na frente dos servidores faz um discurso combativo, mas nos bastidores mostra que em nada se diferem da atual direção sindical e da FC.

A opinião da maioria dos servidores do estado, é traduzida nas palavras de suas lideranças locais que, expõem a nu o acordo feito entre oposição, sindicato e FC, para mais uma vez tentarem ludibriar os servidores com negociações em um núcleo do TRT que em nada beneficia os servidores.

Traz também a análise do ex-presidente do sindicato Gilberto que aponta o que pode acontecer no julgamento do dia 24 no TRT diante da omissão da entidade na reta final da campanha.

Traz ainda o vídeo, fala dos trabalhadores das diversas regiões, em especial de uma trabalhadora que não conseguimos identificar, mas que traduz o sentimento de orgulho desta categoria, ter lutado até o final e de sair do campo de batalha de cabeça erguida e mais forte e não rastejando como queria o presidente do sindicato e o líder da oposição.

Analise, debata, reflita e opine, pois a democracia é isso. Somente com os trabalhadores bem esclarecidos as mudanças irão ocorrer. Pense nisso.

" Aquele que deixa a porta da injustiça aberta para seu inimigo, um dia poderá passar por ela" Gilberto Braw

Por: Gilberto Braw

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Greve: Fundação Humilha No TRT, Sindicato Se cala e Trabalhadores Vão Reagir Pela dignidade (Vídeo)

Hoje (19), ocorreu no TRT de São Paulo a reunião de mediação entre a direção da Fundação Casa e o Sindicato, o que se viu foi o maior gesto de humilhação e desprezo de um governo para com seus trabalhadores.

Após verificar pelas redes sociais que até mesmo a oposição havia se rendido diante do áudio postado pelo representante Emerson Feitosa, a direção da FC de forma astuta deu a cacetada final, enfiando a faca nas costas dos servidores, sindicato e oposição.


Ou seja os traidores da categoria tomaram uma punhalada do patrão que os usou para tentar enfraquecer o movimento.

A postura do líder da oposição foi idêntica ao da entidade sindical para suspender a greve e levar para o núcleo de conciliação e assim oferecer a mesma proposta. Não só isso, sua fala ainda teve o tom jocosa de desqualificar militantes históricos de categoria, alegando que estes estavam atrapalhando e pedindo para que deixasse sindicato e oposição trabalhar.

A presidente da Fundação desmereceu os trabalhadores e o movimento, se quer apareceu na audiência, mostrando seu desprezo com a categoria e deixando claro que seus generais já haviam se rendido seria questão de horas para os soldados se renderem.

A direção da FC não apresentou nada e tudo indica que até o que ela deu vai ser retirado, uma vez que investe ela no julgamento sabendo que mesmo que o tribunal conceda a reposição da inflação ela irá recorrer e os trabalhadores não vão ganhar nada e ainda vão acumular o prejuízo do convenio médico.

Já o TRT surpreendeu os servidores e segundo relatos nas redes sociais, o desembargador Francisco Ferreira Jorge Neto é quem teve a postura de defesa dos servidores, ao dizer a FC que quem vai decidir a legalidade ou ilegalidade da greve será o tribunal e que greve é um direito constitucional. O nobre desembargador ainda talvez por pena em ver a categoria tão desassistida, determinou o julgamento do dissidio para terça feira (24), dando a categoria mais 4 dias para que os trabalhadores se reorganizem e possam conquistar a vitória na queda de braços com a FC.

Uma vez que o desembargador não definiu ainda a greve como ilegal, a categoria tem plenas condições de virar o jogo e depende unica e exclusivamente dela, que neste momento, mais do que o reajuste luta pela dignidade e honra diante da humilhação imposta pela direção da FC.

Em um vídeo de 20 minutos, o ex-presidente Gilberto faz um apelo a todos os trabalhadores e aponta qual o único caminho para que os servidores saiam desta greve não só com a vitória, mas principalmente com sua dignidade e honra  intacta.

Reproduzimos abaixo a avaliação de uma trabalhadora do litoral demitida em 2005 e que lutou até o ultimo segundo pela sua dignidade e de seus companheiros de trabalho e venceu pela união de todos.

"quando um trabalhador é atingido no bolso ele sente e lamenta.  Quando ele é ferido na carne, doi mas ele suporta. Mas quando um trabalhador é atingido na sua dignidade, ele não lamenta e nem sente, ele luta e luta com todas as forças até ser respeitado" Gilberto Braw


A Greve e o Amadurecimento da categoria

Uma coisa tem de tirar o chapéu... Essa greve mostrou a indignação de muitos servidores... Outro ponto... mostrar aos que chegaram a primeira greve aprenderam um pouco... Mostraram nos os medrosos... Os vendidos.. Os que te apunhalou num arrebento... Mostrou ignorantes... Pessoas sabias.... Mostrou ideias... Mostrou frustração... Mas o melhor... nos amadureceu e mostrou mais uma vez o que sindpelego eh capaz de fazer...
 Tenho que pedir desculpas pela forma q alguns desta categoria esta tratando cada demitido... Só posso dizer que eles sao imaturos e acreditaram em falas do sindpelego que vira as costas ao trabalhador demitido... Me sinto envergonhada pela postura sindical mediante a cada um de vocês... que independente de processo de reintegração... Vestiram a camisa e lutaram por esta categoria.... Sabemos como fomos tratados naquele fatídico 17 de fevereiro de 2005... Sindicato quis nos virar as costas... e Gilberto junto de alguns diretores não permitiram isso... Abriram as portas a nós... que sofríamos o descaso... a humilhação de ser tirado no meio do seu turno outros sabendo por televisão e todos a nossa volta nos olhando como máfia de hora extra... torturador... e banda podre... A única casa que tínhamos que ir era ao sindicato... Na época Gilberto nos apoiou com Neusa... Eduardo... Fabiano e outros... Mas alguns diziam falas inesquecíveis... e hoje quando a falamos nos ameaçam de processos... Só quem passou a demissão pela fundação casa sabe a forma q nos tratam...
Nesses dias vcs demitidos em principal Adriano Neiva, Gilberto, Andretta em todo momento mostraram nos caminhos diferentes do sindpelego... Porem diversidade incomoda... E tudo q for dito eh: "oposição querendo destruir a campanha salarial" Quando prestamos concurso sabíamos que não trabalharíamos com inocentes... mas sim com "infratores"... Dentro de nossa categoria existem os que vivem de ilusões... e acreditam no fantástico mundo de bob... Porem temos uma categoria forte... seres pensantes cheios de ideias e garra capazes de saber o que é certo e errado...
 A categoria acordou... Assim como ali atrás o gigante acordou....   Estamos na luta com garra e dignidade... lutando pelo amanha melhor... Amanha que talvez muitos de nós não estarão... mas a cada greve bem efetuada nos da retornos bons... Assim como a de 76 dias nos deu a estabilidade que todos gozam hoje...
 Não sei o desfecho que acontecera em algumas horas... porem vejo vontade do fim dela... porem nos que decidiremos... Para muitos essa greve mostrou e comprovou que não se entra em uma batalha e sai atirando sozinho...

Que lideres principalmente os escolhidos pela categoria para nos representar devem guerrear ate o fim... e não ser o primeiro a abandonar o barco... Para muitos que recuaram ao primeiro grito... desculpem o meu desabafo mas não quero estar em un confronto com pessoas medrosas ao meu lado...
Para os que estavam em extra enquanto trabalhávamos só lamento o seu individualismo... uma guerra não se ganha só... Hoje você pisa na categoria e amanha é o patronal pisando em você...
Ao sindpelego que alguns dirigentes se mostraram medrosos... que desencorajou a luta... que amedrontou parte da categoria... mais uma vez mostra como conduzem uma negociação... Aos que ajudaram com ideias boas ou ruins, mas cada um sabe que lado seguir o meu agradecimento...
A cada servidor que participou de forma ativa ou não porem participou o meu muito obrigado, pois sem cada participante não chegaríamos onde chegamos...
 Agora decidir o próximo passo... que vai depender do que sera julgado logo mais...
Elaine Loureiro – Trabalhadora do Litoral demitida e reintegrada em 2005 e na luta.



quarta-feira, 18 de maio de 2016

Fundação Casa: Greve Alerta, Sindicato Trai e Categoria Corre Risco - O Troco (vídeo)

Depois da assembléia de sexta feira (13), o sindicato da categoria dos servidores da Fundação Casa de São Paulo, pratica a maior covardia que uma entidade pode praticar contra uma categoria.

Indignado por ter sido atropelado, a direção sindical ao invés de ter humildade e buscar os caminhos para bancar a decisão soberana da categoria, ao contrário, abandonou os trabalhadores a própria sorte, sem qualquer atuação nos fim de semana, ou mesmo sem qualquer orientação, tentando assim enfraquecer o movimento da categoria.

Trabalhadores de base denunciaram que teve diretor da entidade sindical e delegados ligados a esta que orientavam trabalhadores a voltarem para o trabalho.

Até mesmo um membro da comissão de negociação José Alfredo, foi trabalhar no sábado sob a alegação que iria cumprir a liminar. Segundo noticias de trabalhadores o ex-presidente Julio Alves também voltou a trabalhar, descumprindo o que foi deliberado pela categoria, levando esta a desmoralização perante a entidade patronal.

Não bastasse isso, a direção do sindicato só veio a se reunir na segunda feira, não apresentou nada para a categoria, ao contrário, foi novamente pedir arrego no tribunal tentando uma nova mesa de conciliação que ocorrerá nos mesmos moldes já rejeitado pelos trabalhadores em assembléia.

Nem mesmo uma contra proposta para tirar das costas da categoria a responsorialidade e a pecha de radial a entidade não apresentou.

Até mesmo a reunião de avaliação quem acabou chamando foram membros da comissão e da base, visto que o sindicato só pensa em cumprir seu acordo com a presidente da FC.

Mas os trabalhadores podem dar o troco a esta traição e um documento esta sendo proposto  por trabalhadores de base e pelo ex-presidente do sindicato Gilberto, onde pretende-se que a categoria avalie pelas redes sociais, e na quinta feira, antes da mesa no TRT, se aprove em assembléia na porta do tribunal com pontos que vão desde alternativas para o reajuste salarial, segurança, 30 horas, mas também a exigência que os dirigentes do sindicato sejam excluídos da mesa de negociação, permanecendo apenas a comissão de trabalhadores e o advogado do sindicato para dar os aspectos legais da negociação.

Em um vídeo de 20 minutos, Gilberto Braw expõem todos os riscos que o sindicato joga a categoria o o que deve ser feito para revidar a altura esta traição imperdoável da direção sindical.

Segue também modelo de documento com propostas alternativas a ser apresentado no tribunal, confeccionado por alguns trabalhadores de base para apreciação da categoria.


Por: Gilberto Braw

                                                Documento

São Paulo 18 de maio de 2016

Exmo. Sr. Desembargador Relator Francisco Ferreira Jorge Neto do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos Coletivos

Nós trabalhadores da Fundação Casa -SP em greve desde o dia 7 de maio de 2016, demonstrando a nossa boa vontade em negociação apresentamos as seguintes contrapropostas referentes a proposta apresentada pela empregadora Fundação Casa em 13 de maio de 2016 no processo de número 1001082-14-2016-5-02-0000.

1. Segurança

Cumprimento imediato do dissídio coletivo de 2004 nas questões das cláusulas de segurança, obrigando a Fundação Casa de imediato a contratação de profissionais em numero suficiente para atuar internamente, bem como grupos de intervenção na parte externa, além de   policiamento nas portas das unidades para garantir a segurança dos trabalhadores de imediato, ficando acordado que enquanto não houver o cumprido destes os adolescentes serão mantidos trancados e assim, evitar o risco de morte aos servidores.


2. Reajuste Salarial

Tendo em vista a proposta da Fundação Casa e o reajuste do convênio médico muito maior do que o proposto em relação ao reajuste salarial. tendo em vista que o reajuste do convênio médico irá geral impacto direto no salário dos servidores. Tendo em vista as perdas nos salários acumuladas, propomos:
Que seja zerado os dois reajustes do convênio médico que foi e será aplicado no decorrente ano, não sendo efetuado por tanto nenhum aumento nos valores do convênio ou desconto deste reajuste nos salários dos servidores e ainda a aplicação de mais 7% de reajuste nos salários e nos benefícios de todos os trabalhadores.

2.1. Pagamento Imediato do bônus a Todos os Servidores

Que a Fundação Casa pague imediatamente o Bônus a todos os trabalhadores, uma vez que este já esta atrasado.

3. Pedagogia

Redução da carga horária para 30 hs sem perdas salariais, em contrapartida, os servidores deste seguimento abrem mão do reajuste  de 7%


4. Retaliação aos Grevistas e Pagamento dos Dias Parados

Em hipótese alguma haverá retaliação aos servidores ou desconto dos dias parados ou qualquer tipo de compensação, além de   intervenção do ministério público na corregedoria da fundação Casa com uma comissão para analisar os processos administrativos para a verificação de fraudes e abusos cometidos por esta corregedoria contra os servidores.

5- representação na mesa de negociação e validade Jurídica dos atos

Aproveitamos o ensejo para notificar que a diretoria deste sindicato não nos representa por não acatar vontade e deliberação dos trabalhadores. Assim, fica a diretoria da entidade sindical desautorizada de negociar ou falar em nome dos trabalhadores nesta mesa de negociação, sendo legitimado por nós apenas os membros da comissão de base eleitos em assembleia.

Desta forma, além da comissão de negociação de base, o único representante do sindicato que estará por nós autorizado a acompanhar a mesa de negociação no núcleo será o advogado da entidade, para que seja validada os aspectos jurídicos.

Requeremos ainda, que seja a direção sindical intimada por vossa senhoria a anuir as deliberação e negociações efetuadas por nossos representantes da comissão.

Requeremos ainda que seja determinada a intervenção do ministério publico do trabalho para acompanhar as assembleias da categoria para evitar que a direção da entidade sindical tente mais uma vez manipular estas ou mesmo vir a frauda-las.

Solicitamos ainda  intervenção do ministério público na entidade sindical, visando apurar os desvios de conduta contrários ao estatuto da entidade, bem como apurar em auditoria as denuncias de fraudes e desvios de finalidade e de verbas.

Considerando que os trabalhadores tem boa vontade em trilhar o caminho da negociação e evitar os conflitos, além de acreditarem na mediação deste tribunal é que buscamos apresentar propostas ora explanada acima, entendendo que a responsabilidade de apresentar uma resposta neste momento passa a ser  da entidade patronal que a todo momento  não mostra-se disposta a evitar tais conflitos.

Desta forma apresentamos tais propostas e esperamos ser acatados por vossa Senhoria para que possamos  dar resposta aos trabalhadores em assembleia que esta marcado para sexta-feira dia 20 de maio de 2016 e reiteramos a  necessidade da  presença do ministério público para evitar manipulações que possam ocorrer pela parte sindical.

                                                  Certos de vossa apreciação,

                                                   Nestes termos.

                                                    Pede deferimento


Assinado trabalhadores de base.

Nome               Unidade              RE                       assinatura




sábado, 14 de maio de 2016

Fundação Casa: Greve Continua, Os Caminhos Para Se Chegar a Vitória (vídeo)

Ontem sexta feira (13), foi uma noite tenebrosa tanto para a direção do sindicato Sitsesp/Sitraemfa e oposição, quanto para a direção da Fundação Casa de São Paulo.

A direção da FC, achou que o sindicato pelego juntamente com a comissão e oposição iriam manipular a assembléia dos trabalhadores, e que assim, estes iriam suspender a greve, empurrando as negociações para o nucelo de negociações do TRT, igualmente aos anos anteriores, onde sempre quem sai chupando o dedo são os trabalhadores.

Mas a categoria se rebelou e disse não a fraude sindical, pois, alertada pelas redes sociais, indignada com as péssimas condições de trabalho, falta de segurança, péssimos salários, autoritarismo da gestão e abusos cometidos pela corregedoria, além de muita humilhação, os trabalhadores por unanimidade votaram pela manutenção da greve, que pode se estender inclusive após o julgamento do dissidio pelo TRT, como já vinha sendo alertado pelo nosso blog.



O peleguismo sindical, a falta de propostas na condução do movimento por parte da oposição sindical e a maracutaia acordista armada por ambos, foi desmontada ontem, quando os trabalhadores indignados, chutaram o pau do circo derrubando sobre o sindpelego a lona e junto com eles a oposição e a direção da FC.

Os servidores mostraram maturidade e revolta ao votarem pela continuidade da greve. Mais do que isso, mostraram que estão dispostos a ir pro tudo ou nada, uma vez que eles já estão com o nada e agora querem o tudo.

Vergonhosa a postura da direção sindical, comissão e oposição que seguiram a risca o script denunciado por nós do Gigi Fala Tudo, onde eles queriam mais uma vez enganar a categoria com a balela de negociar algo que já estava acertado entre eles e a FC, enquanto os servidores além de correrem risco de morte, vivem uma situação de humilhação e terror promovido pelos gestores  e corregedoria.

A categoria mostrou ao sindpelego e a oposição de fachada que estão atentos, que não aceitam ser usados como trampolim para as eleições sindicais deste ano. Com as redes sociais, não serão mais enganados e a organização deles é quem vai dar o tom nas negociações e os rumos para que a categoria sai definitivamente deste limbo em que foram jogados pelo pacto feito entre direção sindical e direção da FC.

Em um vídeo de 25 minutos, o ex-presidente do sindicato Gilberto, aponta para a categoria os caminhos que devem agora ser percorridos para que a categoria alcance a vitória e saia fortalecida. Click no vídeo para assistir.

Parabéns a toda a categoria pela garra e disposição de luta.

Por: Gilberto Braw

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Fundação Casa: Greve é Forte, Mas Sindicato Pede Arrego Atendendo Interesse do Patrão (Vídeo)

Á greve dos servidores da Fundação casa de São Paulo, atinge hoje (12) seu sexto dia de paralisação, atingindo 100% das unidades com adesão em torno de 75% dos funcionários efetivamente parados.

Conforme foi alertado pelo nosso blog nos videos anteriores, o sindicato da categoria, apesar da disposição de luta dos trabalhadores, tenta a qualquer custo enfiar a categoria em uma mesa de negociação e suspender a greve, o que pode levar a categoria a sair do movimento sem nenhuma conquista, além de correr o risco de uma retaliação grande.

O sindicato profissional, junto com comissão e oposição, estiveram ontem no TRT pedindoo arrego e solicitando uma mesa de negociação, o que fragiliza em muito a correlação de forças, e pode levar a categoria a uma derrota, ao invés da vitória.

Em um vídeo de 23 minutos, o ex-presidente do sindicato, faz uma análise da greve e aponta o que vai ocorrer no TRT, e tudo indica, que a situação é grave uma vez que membros da própria comissão de negociação estão denunciando panelinhas, que excluem aqueles que não concordam com os encaminhamentos apontados.

Ressalta-se aqui, que uma diretora do sindicato Helena Machado, foi as redes sociais colocar sua indignação  com o fato de alguns terem se dirigido ao TRT para pedir segundo ela "pinico", o que mostra que as denuncias feitas aqui em nosso blog tem fundamento e que sindicato e oposição visam apenas o período de eleições do sindicato e não os ganhos da categoria como deveria ser.

Click no Vídeo assista e tire suas conclusões.



Por: Gilberto Braw

domingo, 8 de maio de 2016

Gigi Fala Tudo Deseja um Feliz Dia das Mães a Todas as Mulheres Mães e Guerreiras

GiGi  Fala Tudo

A todas as mulheres, guerreiras e acima de tudo mães, que não medem esforços na proteção de seus rebentos os nossos parabéns pelo seu dia, pois vocês são a razão de nossas vidas, de nosso amor e da formação de nosso caráter. 

Feliz dia das Mães é o que deseja o blog Gigi Fala Tudo

TRT-SP Fiscaliza Greve, Mas Não fiscaliza Irregularidades da Fundação Casa Denunciam Trabalhadores

TRT/SP postura patronal denunciam grevistas da FC
No ultimo dia 5 de maio, o TRT de São Paulo através do desembargador Francisco Ferreira Jorge Neto, determinou que fosse mantido 70% do quadro de funcionários trabalhando durante a greve dos servidores da Fundação casa de São Paulo. De forma inusitada, determinou que os oficiais de justiça de plantão fizessem os autos de constatação para verificar se a liminar efetivamente estaria sendo cumprida pelos trabalhadores, com multa de 100 mil reais por dia em caso de descumprimento.

Já no primeiro dia de greve, oficiais de justiça começaram a fazer vistorias nas unidades para verificar o percentual de grevistas, e se a liminar estaria sendo descumprida. No entanto, os dirigentes sindicais e membros da comissão de negociação foram impedidos de acompanhar a vistoria, causando preocupação nos servidores, pois o quadro de funcionários da Fundação Casa colocados no papel pela direção é muito maior do que exerce as atividades no dia a dia, gerando ai uma disparidade que pode induzir o oficial de justiça e o TRT a erro.

Grevistas não recuam e não cumprem liminar
O que chamou a atenção de todos e revoltou os servidores que partiram em peso para a greve sem se importarem com a decisão do TRT, foi o fato que pela primeira vez o tribunal adotou esta postura de colocar os oficiais de justiça para fiscalizar se os trabalhadores da FC  estariam cumprindo ou não a liminar, servindo inclusive esta decisão como ferramenta para a direção da Fundação Casa coagir servidores a entrar mesmo contra a vontade e diante do risco de vida a que estão expostos.

A maior revolta de todos, é que a 6  anos a Fundação Casa reiteradamente vem descumprindo as decisões do mesmo TRT, sem que esta venha a sofrer qualquer tipo de fiscalização ou punição por parte do tribunal.

Não bastasse isso, o mesmo desembargador que presidiu os 2 últimos dissídios de greve (2014,2015 ), determinou em seu relatório aprovado em julgamento daquela corte, clausulas importantes como a da segurança que em nenhum momento foram cumpridas pela direção da FC. No entanto o mesmo desembargador não determinou qualquer fiscalização para obrigar a FC ao cumprimento da decisão judicial.

Decisões do TRT só valem contra os Trabalhadores

assembleia delibera pela greve
Cabe ainda lembrar nosso caro internauta, que em 2014 foi determinado pelo TRT que a direção da Fundação Casa e Governo do estado colocassem policiamento na porta das unidades para garantir a segurança dos servidores, que inclusive, vinham sendo ameaçados por banidos ligados aos internos.

Além desta determinação, foi dada durante a mesa de negociação uma garantia que a empresa não faria qualquer retaliação sobre os grevistas ou sobre suas lideranças, mas nada disso foi cumprido pela FC, que de imediato logo após a greve instaurou centenas de processos administrativos fraudulentos par demitir diversos lideres da greve, entre eles membros da própria comissão, e ainda, não colocou um policial se quer na porta das unidades. No entanto o mesmo TRT nada fiscalizou, se quer mandou um oficial de justiça para verificar.

Dep. Carlos Gianazzi PSOL/SP denuncias contra FC
As péssimas condições de trabalho e de segurança que atinge frontalmente os servidores da FC é gritante, pois as rebeliões este ano acontecem com maior volume e cada vez mais violentas, com trabalhadores feridos com gravidade chegando ao cumulo de serem rendidos por bandidos armados na porta das unidades, ou mesmo chegando a serem algemados pelos internos que buscam nas rebeliões fugir, uma vez que o quadro de servidores é muito reduzido, o que coloca a vida deles em risco.

O numero de servidores feridos e mutilados nas rebeliões aumentou em quase 500% nos últimos 6 anos. Porém mesmo com duas decisões proferidas por este mesmo tribunal que foram julgadas e mantidas pelo TST e STF dando garantia de emprego e determinando que a FC sanasse as condições insalubres não foram cumpridas pela FC, e o TRT não se manifestou em faze-la cumprir.

TRT  e MPT 2ª região regride enquanto TRT e MPT 15ª região Avança

trabalhadores de campinas parados, confiança só na 15ª região
Por ser uma fundação que tem unidades em todo estado de são paulo, 2 são os tribunais regionais que atuam nas ações promovidas pelos trabalhadores, o TRT da 2ª região que comporta a capital  e o da 15ª região que comporta as ações promovidas pelos trabalhadores do interior.

Até o anos de 2009, o TRT e MPT de São Paulo tiveram atuações espetaculares na busca de garantir seu papel previsto na CF de 88. 

Prova disso, foi a magnifica atuação da corte em 2005 presidida pela então desembargadora Dora Vaz Trevino que anulou as 1751 demissões abusivas cometidas pela FC sem se intimidar com a pressão politica exercida pelo governo do estado, além disso, a então desembargadora  Vânia Paranhos em 2004 foi pessoalmente visitar as unidades para verificar a situação critica de segurança por qual passavam os trabalhadores da FC.

Esta vistoria feita pessoalmente pela desembargadora Vânia Paranhos, teve como desdobramento o brilhante relatório da ilustre desembargadora Vilma Nogueira que determinou a reintegração dos servidores, além de aplicar a estabilidade por falta de segurança, impedindo assim que a FC viesse a coagir os servidores a ingressarem no local de trabalho sem o minimo de segurança ( proc. 20231/2004).

A postura do TRT /SP de não se curvar a pressão politica do governo do estado e buscar mecanismos de obrigar o estado a cumprir suas decisões, levou o ilustre desembargador Marcelo Freire a determinar a prisão da presidente da FC caso não cumprisse a decisão em 72 horas, sendo que esta determinação foi suspensa pelo presidente do TST em exercício na época Brito Pereira, que culminou com o acampamento dos servidores na porta do STF, obrigado a suprema corte na época presidida pela então ministra Elen Grayce a  convocar uma reunião entre trabalhadores  e presidente do TST para obrigar a FC ao cumprimento da decisão judicial.

Neste mesmo episódio, a atuação do MPT na pessoa da procuradora dra. Oksana Boldo Diziura, foi fundamental para que os trabalhadores tivessem garantias quanto a segurança e condições de trabalho. Porém isso não ocorre hoje, pois diante das denuncias enviadas pelos trabalhadores ao MPT da 2ª região quase sempre são respondidas com arquivamentos das denuncias, não se vendo uma atuação mais firme e severa por parte deste órgão.

Não bastasse isso, nas ações individuais, em especial as que contestação as demissões e punições aplicada em processos administrativos viciados pela fundação contra os trabalhadores, raramente são acolhidas pelo judiciário de 1ª instancia da base do TRT/SP e quase sempre acabam tendo despachos iguais cujo o teor é a validade e o suposto cumprimento da legalidade durante a realização do processo administrativo.

Lembra-se ai que, inúmeras denuncias tem sido feitas por trabalhadores e por parlamentares que inclusive ingressaram com representações denunciando as fraudes dos PADs. No entanto na maioria absoluta das vezes os magistrado de 1ª instância e as turmas do TRT tem mantido a validade destes processos, que se de uma forma tem aspctos legais, em seu conteúdo na maioria das vezes são imorais e servem como instrumento para caçar politicamente os desafetos da administração.

A atuação do TRT da 2 ª região na defesa das garantias fundamentais dos trabalhadores prevista na constituição, levou a categoria profissional em assembléia a eleger a desembargadora Vânia Paranhos anjo da guarda dos trabalhadores e o TRT de SP como a casa de salomão dos humildes.

No entanto, a postura do TRT/SP de hoje é bem diferente daquela que um dia levou os servidores ada FC a confiarem cegamente em suas decisões. Ao contrário, parece que a corte que historicamente sempre esteve ao lado dos mais fracos, fazendo prevalecer a CF/88, os valores sociais do trabalho nela contidas  e o principio do "in dúbio pró operário", hoje, parece atuar de forma patronal fiscalizando greve  e os trabalhadores que lutam por suas próprias vidas, enquanto o patrão que os esfola e joga estes a morte nada sofre ou se quer é fiscalizado.

Já o MPT e TRT da 15ª região tem sido mais pontual em suas ações, basta verificar a quantidade de processos movidos pelos trabalhadores contra a FC que são deferidos pelas varas de 1ª instância e mantidos pelo TRT da 15ª região, corrigindo  e coibindo assim os abusos cometido pela direção e governo do estado.

Basta os servidores fazerem denuncias ao MPT da 15ª região, que rapidamente algum procurador se apresenta para companhar as denuncias e apura-las, refletindo esta atuação nas diversas ações promovidas por aqueles procuradores entre elas destacamos a da jornada excessiva de trabalho que encontra-se já em faze terminal no TST.

A atuação do TRT da 15ª região tem sido tão coerente na aplicação da justiça e nas decisões que envolvem a FC, que pela primeira vez um servidor ganhou a ação de periculosidade e já esta recebendo, sendo que este mesmo tipo de ação tem sido reiteradamente indeferida pelas varas de 1ª instancia da 2ª  região e referendado este indeferimento pelo TRT da capita. 

Trabalhadores Cogitam Requerer Mediação na 15ª Região

Existe hoje uma desconfiança e falta de credibilidade dos trabalhadores da FC no TRT  da 2ª região, pois nos últimos anos, além de não fazer a FC cumprir suas decisões, apresenta uma postura de acabar com a greve a força, concedendo  liminar inconstitucional que fere o direito de greve, impondo a manutenção de um numero elevado de servidores sem olhar as condições de segurança destes. 

Esta desconfiança e descredito, vem levando os servidores a debateram nas redes sociais a possibilidade de buscar mecanismos para requerer que a mediação do dissidio de greve seja feita pelo TRT da 15ª região e não mais pela 2ª, uma vez que a maioria das unidades estão localizadas no interior.