Google+ Followers

quarta-feira, 22 de julho de 2015

FOLHA DE SÃO PAULO PUBLICA MATÉRIA SUSPENSA NO DOMINGO E DETONA FUNDAÇÃO CASA

Jornal Língua Afiada



Folha de São Paulo Publica Matéria e Detona Fundação Casa


É caros internautas, não adiantou a Fundação Casa entrar na justiça para proibir a publicação da matéria do Jornal Folha de São Paulo no domingo (19/07), onde a enganação sobre as internações dos jovens infratores e seus relatórios Psicossociais foram desmascarados.

Mesmo tendo a Juíza  do Deij suspendido a matéria, diante da manifestação de repudio dos órgãos de imprensa que se vêem amordaçados pelo Governo de São Paulo, o judiciário foi obrigado a rever seus conceitos e hoje a matéria saiu e coloca a Direção da FC na berlinda e mostra claramente os mecânicos de manipulação cometidos por cargos de confiança contra internos e servidores.

As denuncias partem com certeza de servidores da área técnica que não aguentam mais ver sua capacidade e honra profissional serem abalados pelos desmandos, abusos e absurdos cometidos pela atual gestão que, coloca em risco não só os jovens e trabalhadores, mas coloca em risco toda sociedade.

Veja no link abaixo na integra a matéria que traz  luz  a escuridão profunda em que se encontra  a administração da Fundação Casa.

Nossos Parabéns ao Jornalista REYNALDO TURULLO JR e a Folha de São Paulo por não aceitarem calados a lei da mordaça que impera no estado de são paulo, em especial na Fundação Casa-SP.

Folha de São Paulo 22.07.2015

Em SP, Joven passa de "empático" a "imaturo" em um mês



FUNDAÇÃO CASA: SINDICATO SE ALIA AO PATRÃO E TENTA DESMOBILIZAR CATEGORIA E FAVORECER A DEMISSÃO EM MASSA


Jornal Língua Afiada


Sindicato Usa Óleo de Peroba Para Negar Defesa a Servidores Processados


O sindicato que representa os servidores da Fundação Casa de São Paulo - Sitraemfa, soltou uma (Nota de Esclarecimento sobre a demissão do diretor do sindicato Patrick Morales), confirmando a perseguição politica que sofrem os servidores que se opõem  a postura ditatorial da direção da Fundação Casa que, usa de sua corregedoria para processar e demitir (politicamente) seus desafetos.

O impressionante é que o sindicato, apenas soltou a nota de esclarecimento após tomar conhecimento através da matéria veiculada no Jornal Língua Afiada (LEI DA MORDAÇA: MAIS DE 4.000 SERVIDORES DA FUNDAÇÃO CASA PODEM SER DEMITIDOS POR JUSTA CAUSA), que os servidores da FC, estão organizando uma paralisação a revelia da entidade sindical através de inbox nos faceboocks e watszaps, uma vez que há suspeitas que a corregedoria da FC vem espionando os faces e os wats dos grupos.

A cara de pau de uma parcela da direção que comanda a entidade sindical é de tal monta, que, na nota afirmam  " ao contrário de informações ventiladas na categoria, o SITRAEMFA vem tomando as providências necessárias e cabíveis para que a demissão do diretor Patrick Morales e outros penalizados politicamente sejam revertidas", o que é mentira. Isso mostra que alguns dirigentes  do sindicato, devem gastar sua ajuda de custo ( paga pelo sindicato) com óleo de peroba, servindo tal nota apenas para o sindicato (a serviço do patrão) tentar desmontar a organização e paralisação dos servidores, como demonstram os fatos a seguir: 

1- A mais de cinco meses, 5 militantes da categoria e blogueiros form perseguidos politicamente e demitidos pela corregedoria da FC, sob a alegação de ofensa a honra e a boa fama da fundação e da corregedoria. No entanto, o sindicato não fez nada, não soltou uma nota se quer, ou ainda  levou o fato para a mesa de negociação do TRT, ao contrário, ao saber da demissão de um deles alguns diretores do sindicato até comemoraram;

2- A 10 meses os deputados Antonio Mentor e José Mentor ingressaram com representação no MPT, MPE e OAB, denunciando as suspeitas de fraudes nos processos administrativos, inclusive com suspeita da corregedoria fraudar depoimento de adolescentes. Essas suspeitas ganham força com  a abertura de um B.O dos servidores de uma unidade, onde, denunciam que uma corregedora orientou os internos a acusar os servidores. Sem falar em uma gravação onde um corregedor ameaça e coage uma testemunha. No entanto, o sindicato, mesmo tendo conhecimento não se manifestou, não chamou se quer uma assembléia ou manifestação, não impetrou no judiciário medidas para acabar com o uso politico da corregedoria.

3- O sindicato negou fornecer advogado para a defesa dos demitidos da Vila Maria, no caso das imagens editadas do Fantástico, mesmo sendo todos os servidores sócios antigos. Obrigou  estes servidores linchados publicamente a procurar advogados particulares, com custo na ordem de R$ 5.000 a R$ 12.000 reais para  cada um dos processados. Se não bastasse isso, o sindicato não saiu na mídia em defesa destes servidores, deixando eles jogados aos leões e a própria sorte, colocando em risco não só o emprego, mas a liberdade destes pais de família;


4- O sindicato está negando a fornecer advogado ao servidor da área de enfermagem Emerson da unidade de Franca, sob a alegação de que o seu PA, iniciou-se antes de sua filiação, mesmo sendo o servidor sindicalizado a mais de um ano. Ressalta-se que este servidor repassou hoje ao Jornal Língua Afiada a fala do diretor jurídico do sindicato  que por telefone lhe disse que no máximo poderia lhe dar um desconto nos honorários advocatícios ou seja, se custar 4 mil ele teria que pagar 2 mil, ficando o coitado do servidor que é um militante atuante a ver navios e no desespero pois, ficará sem defesa caso não possa arcar com advogado particular, facilitando assim que a corregedoria o degole e pasmem que seu processo administrativo seria por supostas notas baixas em suas avaliações;

5- Só na data de ontem (21/07), 18 servidores buscaram orientação da consultoria jurídica Silva & Batista para se defenderem de processos administrativos que tem como fundamento o artigo 482 da CLT, ou seja, justa causa e os motivos dos PAs, são os mais absurdos  entre eles supostas faltas injustificadas. No entanto o sindicato se quer quis tomar conhecimento destas situações;

6- Na data de ontem (21/07), cinco servidores da Casa São Paulo no complexo Vila Maria foram punidos com suspensão e um deles  o servidor Norivaldo demitido por justa causa, sem qualquer prova nos autos. Observa-se que ele respondia o mesmo processo que os demais, o que deixa a suspeita que ele foi escolhido politicamente para ser o cristo da vez a ser crucificado;

7- Um áudio lançado no Watszap por um dos poucos diretores combativos do sindicato chamado Assis, fez severas cobranças a diretoria do sindicato e a seu presidente sobre a enrolação no pagamento dos retroativos e das diferenças dos 1,07% do reajuste. O diretor Assis cobrou publicamente uma postura da direção do sitraemfa. Disse ele, que o sitraemfa está esperando a Fundação pagar a diferença em "Agosto de Deus" e ainda, cobrou postura do sindicato, o que mostra que há desconfiança sobre a veracidade das informações emitidas pelo presidente do sindicato para a categoria através de seus áudios via watszap;

8- A quase duas semanas o diretor do sindicato do interior Patrick Morales foi demitido ilegal e injustamente, no entanto o sindicato se quer soltou uma nota em seu site ou um jornal para denunciar tal fato a categoria, vindo a fazer isso apenas depois da denuncia veiculada aqui no Jornal Língua Afiada. Cabe lembrar que o diretor Patrick Morales, realmente é um dos poucos diretores que tem uma postura combativa sendo responsável por parte significativa da paralisação das unidades do interior e do retorno dos companheiros do 5x2 para o 2x2;

9- O servidor e delegado sindical Ricardo Lopes, da unidade Batatais, que também vem sendo processado administrativamente, postou no Watszap a indignação dos servidores do interior, pelo fato das unidades estarem explodindo, as decisões não estarem sendo cumpridas, perseguições aos grevistas por parte das chefias nas unidades e o sindicato estar na inércia, sem chamar reunião de delegados sindicais  e, nem mesmo, chamar assembléia para dar justificativa a categoria ou encerrar a campanha salarial que pela lógica continua em curso, uma vez que não houve assembléia de encerramento.

Como dizem os causídicos caros leitores internautas " EX POSITIS", perguntamos se com todas estas questões levantadas, vocês acham que a nota de esclarecimento do sindicato tem o cunho de esclarecer ou de estar a serviço da direção da FC,  e assim, tentar desmobilizar a categoria que não aguenta mais as injustiças, além de estarem conscientes do facão que paira sobre seus pescoços.

Mas se os nobres internautas acham isso o cumulo do absurdo, ainda não viram nada, pois, seis ações de danos morais e materiais estão sendo confeccionadas contra o sindicato por sócios que tiveram suas defesas negadas pela direção sindical e, podem causar um rombo de mais de R$ 1.5 milhões de reais aos cofres do sindicato, mas isso será pauta de uma outra matéria.

Certo é que, a categoria e uma parcela da diretoria do próprio sindicato não acredita mais em histórias da carochinha e vão se organizando pelos inbox das redes sociais. Uma paralisação monstro deve acontecer no mês do cachorro loco (agosto), onde pretende-se exigir a moralização da Fundação Casa, com auditoria nas obras, contratos de ONGs, prestadores de serviço e o principal uma intervenção do MP na corregedoria da Fundação.
Por: Gilberto Braw

Apoios:




Detetive Particular Tony - Agência de detetives particulares
Detetive Particular Tony - Agência de detetives particulares

segunda-feira, 20 de julho de 2015

LEI DA MORDAÇA: MAIS DE 4.000 SERVIDORES DA FUNDAÇÃO CASA PODEM SER DEMITIDOS POR JUSTA CAUSA

Jornal Língua Afiada


Lei da Mordaça e a Internet

Com intuito de evitar escândalos que possam atingir a administração da Fundação Casa de São Paulo, a direção  ingressou com ação judicial para suspender matéria que seria publicada neste domingo (19), no jornal Folha de São Paulo sobre os relatórios psicossociais, feitos por profissionais que avaliam a situação dos internos na instituição.

Mas quem pensa que o Governo do Estado de São Paulo liderado pelo PSDB, impõem a lei da mordaça apenas para a grande imprensa esta enganado, pois para evitar que as mazelas das administrações publicas no estado apareçam nas redes sociais, o Governo de Geraldo Alckmin vem implementando a lei do cala boca se não te demito ao funcionalismo publico estadual.

Essa politica vem sendo aplicada com mais afinco na Fundação CASA de São Paulo que, além de perseguir e demitir por justa causa seus desafetos políticos,  demite também todos aqueles que se manifestam contra os abusos e absurdos cometidos pela direção nas redes sociais.

Por serem detentores de estabilidade de servidor publico, a direção da FC, usa de um artificio ardiloso e ilegal, usa de processos administrativos promovidos por sua  Corregedoria contra os servidores, sob os mais absurdos argumentos, onde, no final por mais provas que o servidor tenha de sua inocência, a conclusão sempre é pela demissão, uma vez que a decisão é politica e não jurídica. 

Exemplo disso, foi a demissão dos blogueiros Gilberto Silva, Michel Munhoz, Leandro Aguilar, Adriano Neiva e agora Leandro Andretta, demitidos com base no artigo 482, alíneas "a", "b", "h" e "k" da CLT, sob a alegação de que ofenderam a honra e a boa fama da instituição, de sua corregedoria e presidência.

Para provar a perseguição politica feita pela corregedoria da instituição, recentemente foi a demitido o diretor do sindicato pelo interior Patrick Morales sob a alegação que seu contrato era nulo, pois supostamente ele havia fraudado o concurso publico.

O inquérito administrativo foi aberto em 2006, na época dos fatos, o concurso foi promovido pela Vunesp, a corregedoria só veio a transformar em processo administrativo em 2013 após o servidor ser eleito para compor a diretoria do sindicato e, ao mesmo tempo, promover vários processos trabalhistas contra a instituição, todos com sucesso, entre eles o das horas extras, periculosidade, insalubridade entre outros.

Diante de sua atuação como diretor do sindicato, sendo responsável por parte significativa da paralisação das unidades no interior durante a greve de 2015, a corregedoria da FC com certeza a mando da direção e do governo arrumou um argumento dos mais absurdos para demiti-lo por justa causa.

Alegou a corregedoria em seu relatório para demitir o sindicalista-servidor que, ele havia fraudado o concurso que o admitiu aos quadros da Fundação. Para isso afirma que suas assinaturas não correspondem com as demais, sem se quer ter realizado um exame grafotécnico, o que já esta sendo pedido pelo advogado que ingressou com reclamação trabalhista requerendo a reintegração do servidor.

O impressionante é verificar que em todos os documentos usados no processo, a assinatura do servidor a olho nu, pode ser verificada como idênticas umas das outras, o que desmonta por si só que os argumentos da corregedoria são infundados.

Para Patrick Morales, a perseguição se deu não apenas pela sua excelente atuação como diretor sindical no interior, mas também pelo bate boca que este teve com  o corregedor e a presidente da FC durante a reunião da PPP, onde inclusive a presidente disse que ele era o menino dos processos.

Internet Pode Demitir mais de 4.000 Servidores da FC


A corregedoria da Fundação CASA de São Paulo, vem processando administrativamente servidores , por supostamente ofenderem a honra e a boa fama da instituição, e, na maioria com incurso no artigo 482 da CLT, que fundamentam os motivos para a justa causa.

Nos casos em que o Jornal Língua Afiada teve acesso, encontramos casos absurdos, um deles inclusive, o servidor apenas comentou uma postagem de um outro servidor que havia sido processado e demitido pela corregedoria, onde se quer, tanto na postagem quanto no cometário do servidor processado havia qualquer menção a Fundação Casa, sua corregedoria ou sua direção.

O mais assustador, é o fato da corregedoria tentar colocar como de autoria do servidor palavras que ele não proferiu, sem contar no erro gritante de interpretação de texto e da língua portuguesa por parte do corregedor que promoveu o processo, valendo lembrar que este servidor processado injustamente foi um dos lideres da luta pela reintegração dos 1751 demitidos por Alexandre de Moraes em 2005.

Para  Dr. João Batista Alves Gomes, advogado que vem elaborando a defesa de 3 servidores demitidos por supostas ofensas a honra e a boa fama da FC e de sua Corregedoria, as alegações da Fundação Casa além de absurdas e infundadas são abusivas, e ainda  irregulares, uma vez que todas estão preclusas de acordo com a legislação que institui os processos administrativos da FC.

Segundo Dr. João Batista, um levantamento feito por um dos demitidos, são mais de 4.000 servidores que postaram, comentaram, compartilharam ou curtiram matérias e postagens que fazem criticas severas a direção e a corregedoria da FC, no momento oportuno pretende solicitar a Justiça do Trabalho onde tramitará a ação que a FC junte todos esses processos administrativos, pois caso a FC não o faça ficara mais do que caracterizado a perseguição politica dos servidores demitidos.

Pela explanação do advogado, podemos concluir que caso a FC junte todos os processos administrativos, ficará mais do que evidenciado que haverá demissão em massa na FC, mas caso ela não junte os referidos processos administrativos ficará mais do que claro que a demissão dos servidores foi pura retaliação politica e assim, fundamentará a representação feita ao MPT, MPE e OAB pelos deputados Antonio Mentor e José Mentor que denunciam a direção da FC e sua Corregedoria por suspeita de fraudes nos processos administrativos.

O curioso é que as medidas de retaliação tomas pela corregedoria da FC contra as postagens feitas por internautas servidores da instituição, são contrárias a prática adotada pelo partido do Governo do Estado PSDB que gerencia a instituição FC.

Recentemente foi denunciado nas redes sociais que PSDB contrata 9 mil “militantes” virtuais para elogiar Aécio e detonar Dilma, ou seja, casa de ferreiro o espeto é de pau.

Servidores Começam a Organizar Nova Paralisação a Revelia do Sindicato

Assustados com os abusos cometidos pela corregedoria da FC que abre aos montes processos Administrativos para dessa forma retaliara os grevistas e diante da inércia do sindicato que, esta tão atrelado a direção da FC, que não tem coragem nem  de defender seus diretores, a categoria começa a organizar uma nova paralisação.

Suspeitando que a corregedoria da FC montou um sistema de espionagem para monitorar as manifestações dos servidores no Faceboock e no Watszap, os servidores começam a organizar uma paralisação através de inbox dos faces e dos wats, cujo intuito da paralisação não é reajuste salarial, mas a moralização da instituição e a transparência da administração.

Segundo os organizadores, a intenção é fazer uma greve para exigir segurança no local de trabalho, intervenção do MP na corregedoria da instituição e suspensão dos processos administrativos dos últimos 8 anos da gestão Berenice Gianella e do corregedor Jadir Pires Borba,  a criação de uma corregedoria externa que venha  a apurar os atos da administração e uma auditoria na instituição nos contratos de construção de unidades, liberação de internos antes do prazo e conveniamento com as ONGs.

Caso essa paralisação venha a se concretizar, poderá ser o fim da atual direção da FC e ainda, colocar o Governador Geraldo Alckmin em uma saia justa.

No momento em que o Brasil atravessa uma grave crise no setor publico com denuncias de corrupção e fraudes, dificilmente o governo e a direção da FC encontrarão amparo legal para impedir que a imagem do governo fique arranhada e não venha a ter uma intervenção na FC, pois só de documentos juntados nas representações feitas pelos deputados nas denuncias contra a corregedoria da FC são mais de 1300 documentos.

Para o servidor Pedro Paulo ( nome Fictício para não identificar o servidor), os contratos da FC com as construtoras e  ONGs são milionários, porém, os serviços prestados não correspondem a estas cifras, além dos milhões de prejuízos causados com demissões absurdas cometidas pela corregedoria, uma vez que os servidores sempre acabam ganhando na justiça a reintegração e a FC, é obrigada a pagar todos os atrasados e a direção nunca responde por estes prejuízos. 

Para ele só na gestão de Alexandre de Morais (atual secretário de segurança publica do estado), os prejuízos com as 1751 demissões passam de 200 milhões aos cofres públicos do estado de são paulo, quem paga essa conta é o povo e, hoje o servidor da FC que também é do povo e está sendo impedido de denunciar as mazelas nas redes sociais com a lei da mordaça imposta dentro da instituição.

Relata ainda ele que o sindicato não faz nada porque além de estar atrelado a direção da instituição, se beneficia com a desgraça do funcionário, pois, a cada PA que se abre, o servidor que não é sindicalizado acaba sendo forçado a se filiar ao sindicato para poder ter direito a um advogado, assim se forma um ciclo vicioso para não se dizer mafioso. 

Por: Gilberto Braw                                   Envie suas  Sugestões e denuncias para nosso blog: bloggigifalatudo@yahoo.com.br

APOIOS:

Precisando de Detetives Particulares
Detetive Particular Tony - Agência de detetives particulares
Detetive Particular Tony - Agência de detetives particulares
Invespar Ltda.(detetive particular tony), empresa atuante neste mercado desde 1976, os detetives particulares desta agência estão capacitados a prestar os mais avançados métodos de investigação empresarial, proporcionando o melhor para sua empresa.
Com profissionalismo, seriedade, tecnologia e sigilo absoluto, nos apresentamos para uma parceria, a fim de identificar e apontar os problemas e principalmente os causadores desses problemas dentro da sua empresa, fazendo uma investigação empresarial e atuando dentro e fora de sua empresa, com inúmeras técnicas de investigação.
INVESTIGAÇÃO EMPRESARIALINVESTIGAÇÃO INDUSTRIALINVESTIGAÇÃO COMERCIAL.




quinta-feira, 16 de julho de 2015

FUNDAÇÃO CASA: TRABALHADOR PODE TER QUE DEVOLVER AUMENTO, FC RETALIA E SINDICATO SE CALA

Jornal Língua Afiada



Fundação Casa Faz Retaliação a Grevistas e Sindicato se Finge de Morto


Não demorou muito para a direção da FC e do Sindicato mostrarem suas garras e ir para a revanche contra os servidores.

Só quem acredita nos contos de fada achou que a direção da FC cumpriria na integra a pauta de julgamento do TRT de São Paulo, e que, o Sindicato estava falando a verdade para os trabalhadores, vamos aos fatos:

1- Do Retroativo do Reajuste

Segundo falas postadas pelo presidente do sindicato Aldo Damião, em reunião com a presidente da FC, estaria sendo aguardado a liberação por parte do Governo do Estado para que fosse efetuado o pagamento sobre os 7,67%, mas não foi explicado se caso o TST conceda o efeito suspensivo se vai manter os 7,67%.

Caso o TST de o efeito suspensivo o que é quase certo pela OJ5, sendo os 1,07% transitórios, os servidores teriam que devolver essa diferença. Assim, esse argumento de que o governo esta provisionando recursos parece mais uma conversa para boi dormir, pois não sendo o retroativo pago agora e saindo o efeito suspensivo, a FC abateria a diferença paga nos atrasados e ai o funcionário vai tomar uma chapoletada no meio da lata.

Cabe lembrar ainda que as falas do presidente do sindicato Aldo Damião não encontram credibilidade entre os servidores, pois um outro áudio lançado por ele antes da assembléia da categoria, ele pedia para que os trabalhadores ficassem tranquilos que na hora certa o sindicato chamaria a assembléia. No entanto a assembléia feita por ele lembrou mais o toque de uma boiada no pantanal, onde, o líder da comitiva toca o berrante, o peão chega o arreio e a boiada segue em frente com o lombo marcado mugindo de dor.

As trocas de plantão e o horário bancário, conforme o acordão, bem como as portarias já começaram a ser negadas nas unidades e o servidor para fazer a troca, ou retirar as portarias ou fazer o horário de banco tem que rezar um terço aos pés das chefias caso contrário para ele o acordão do TRT não tem validade.

2- Extermínio do Grupo de Apoio (choquinho) Vila Maria

Pelo fato do GAP da Vila Maria ter se rebelado em janeiro deste ano, não aceitando fazer o acompanhamento de infratores nos CAPs, Velórios e comunidades e ainda ter participado em peso  da greve, a FC resolveu do nada transferir estes trabalhadores para atuarem nos pátios das unidades sob a alegação de que o GAP da Vila Maria será extinto.

Só que informações obtidas pelo jornal língua afiada na verdade a intenção da direção da FC  é dizimar o grupo e puni-los, jogando estes servidores no pátio colocando a vida de todos em risco. 
Mas para o sindicato isso não é retaliação e prefere ficar sentando com a presidente da FC ao invés de chamar uma paralisação e mostrar para o TRT e para o MPT que a FC  não cumpre a clausula de paz, sacrificando assim aqueles que foram a luta pelos seus direitos.
A impressão que os trabalhadores tem é que o presidente do sindicato e sua diretoria, estão compactuando com a direção da FC para assim , juntos tirarem a bronca contra os servidores que são contrários a politica de ambos.

Lembramos ainda que, existe uma decisão judicial do TRT de São Paulo a favor de Marcos Costa de Almeida que proíbe que o servidor do GAP ( choquinho) seja jogado no pátio justamente por correr risco de MORTE, servindo por tanto para todos os demais do GAP.

Esta decisão foi conquistada a favor do servidor Marcos Costa pelo escritório Silva e Batista Consultoria Jurídica a pedido do ex deputado Estadual Antonio Mentor e atual deputado Federal José Mentor, visto que o servidor procurou o sindicato que lhe virou as costas e ficou a favor da FC. 


3- Dos Processos Administrativos e a Demissão de servidores e Diretor do Sindicato

Não bastasse o que já foi colocado acima, os Processos Administrativos começaram a despencar sobre os grevistas. Do nada começaram a ser chamados a apresentar defesa servidores que tinham PAs que a mais de anos não eram movimentados e sobre os mais diversos e absurdos argumentos.

Teve funcionário que está sendo processado porque fez um comentário em uma página do faceboock, onde se quer a FC ou sua Corregedoria foram citados e pasmes sob o argumento de que a corregedoria teria sido ofendida. 

A corregedoria afirma que o servidor escreveu palavras ofensivas que não se encontra em nenhuma parte do texto por ele postado e mais, comete a nobre corregedoria um erro grotesco de interpretação de texto, ou seja, de português.

Mas se o caro internauta acha isso o cumulo, pior é o caso do Diretor do Sindicato Patrick Morales que nos informou por telefone que foi demitido através de um processo administrativo que, teve como fundamento que ele não era concursado. 

Só que a corregedoria da FC não deve ter se atentado que o referido servidor que além de ser detentor de estabilidade por ser Diretor do Sindicato, é concursado e foi inclusive aprovado em 3 concursos da FC.

O que deve aqui ser lembrado e muito bem lembrado, é que, Patrick Morales é diretor do sindicato pelo interior e justamente um dos poucos que teve uma atuação forte para que a greve tivesse o sucesso que teve no interior e pelo retorno dos companheiros que estavam no 5x2 para o 2x2. Mas para o presidente do sindicato isso não é retaliação.

Talvez a demissão de  Patrick Morales, que busca cumprir com honra seu mister de dirigente  digno sem fugir do debate, mesmo diante de uma direção sindical pelega, esteja revestida naquela denuncia feita por servidores no watsszap que comentavam a fala do presidente do sindicato e sua turma que, retaliariam aqueles diretores sindicais que se opusessem ao acordo de cavalheiros feito entre ele presidente do sitraemfa e a presidente da FC.

Mas Patrick Morales não é o único privilegiado com demissão absurda, pois temos lá em Ribeirão Preto a turma do Zezim que foi demitida após um PA que supostamente apurou a tentativa de fuga de internos, porém pasmem, a falta de servidores é tanta lá que, o coitado do servidor que conseguiu impedir a fuga estava sozinho com mais de uma dezena de internos, lembrando claro que ele só tem 2 braços e 2 pernas, mas mesmo assim foi responsabilizado e demitido com outros servidores.

Ficou atônito caro internauta, não fique não porque no Vale do Paraíba desgraça pouca é bobagem. Na unidade de Jacarei, o abuso da direção e o desmando chegou a tal ponto que a casa perdeu o referencial e os jovens não cumprem mais as normas determinadas e servidor esta tendo que praticar  a dança do reboleichon o reboleichon chon, para não serem agredidos pelos internos.

Já na Unidade Taubaté, a coisa é mais feia ainda e estamos reservando uma matéria especifica, visto que os servidores já encaminharam diversas denuncias a direção da FC contra a diretora da unidade e no entanto nada é feito. Observe que as denuncias são gravíssimas e vão desde abuso de poder até a suspeita da direção chegar meio daw daw daw na unidade.
Se nosso leitor internauta ficou abismado, ainda não viu nada, porque no Complexo Brás, é, o complexo que era a menina dos zóio da direção da FC, os servidores estão denunciando que, estão sendo obrigados a levarem os jovens internos que ganham a liberdade na casa onde o jovenzinho santinho mora.

Mas esquecem os dirigentes da FC, que sobrevivem confortavelmente em suas salas com ar condicionado e café quentinho que, esse jovenzinho infrator não mora no Morumbi ao lado do Palácio do Governo, ao contrário, moram na maioria em bairros ou favelas controladas pelo crime organizado, fazendo do pobre servidor ou servidora do Complexo Brás em verdadeiras tabuas  tiro ao alvo, colocando em risco a vida destes servidores que contam apenas com a proteção de Deus que deve estar exausto de tanto ter que ficar atento para garantir a vida destes trabalhadores.

4- Pacto entre Sindicato e Corregedoria da FC

Mas a pergunta que não quer calar é: Qual será o pacto realizado entre a direção do sindicato e a corregedoria da FC?

Essa é a pergunta que todo servidor esta se fazendo neste momento, visto que a corregedoria da FC vem cometendo tantos abusos e absurdos nos últimos anos, com punições injustas e absurdas e o sindicato se cala diante disso ou se quer, busca junto ao judiciário e ao MP uma investigação sobre os abusos cometidos.

Subsídios para que o sindicato tomasse alguma atitude não faltam e citamos alguns exemplos:

a) A representação feita pelos deputados Antonio Mentor e José Mentor ao MPE, MPT e OAB, sobre o uso politico da corregedoria para cassar desafetos políticos, onde denunciam inclusive a suspeita de fraude processual e suspeita de que depoimentos de internos tenham sido forjados.

b) A origem do corregedor geral, pois há suspeitas como relatam na representação de que o corregedor possa ter mantido relações com a Pastoral do Menor, o que se comprovado deixaria bem claro seu animus prejudicandi, contra os servidores e sua atuação em prol de defender os interesses dos internos e da direção da FC.

c) O caso Vila Maria, onde um servidor mal caráter e suposto estuprador armou junto aos internos uma gravação de supostas agressões contra internos, como foi veiculada no programa do fantástico na Rede Globo.

Neste episódio, o servidor entrou com um relógio micro câmera, onde ele teria gravado as supostas agressões, depois segundo um dos servidores demitidos, ele tentou vender as imagens a duas emissoras de televisão, o que demonstra que ele tinha interesse pessoal e financeiro, porém apenas uma pagou. 

Não bastasse isso, este servidor mal caráter, mantinha relações e  comportamento junto aos adolescentes que não são condizentes com as atribuições de suas funções.

Pior ainda, mesmo sendo proibido o servidor portar celular ou qualquer equipamento eletrônico no interior das unidades, este servidor fez a gravação, vendeu, auferiu lucro com elas, só que diferentemente dos demais ele não foi demitido por justa causa no processo administrativo, o que leva a suspeita que a FC e a Corregedoria pudessem ter interesse neste episódio ou mesmo a suspeita de conjuntamente terem armado o circo.

Isso mostra como a corregedoria da FC tem dois pesos e duas medidas. Mas o Jornal Língua Afiada descobriu que esse mesmo servidor mal caráter que fez as gravações claramente editadas, acabou indo trabalhar na CPTM que também é ligada ao Governo do Estado e pasmem caros internautas, ele foi preso por um ex infrator por tentar estuprar uma mulher dentro do vagão do trem da CPTM em que trabalhava.

Mas não se preocupem senhores leitores, pois o nosso Blog não descansa e busca a verdade e, vem procurando alguns jovens que deram  depoimentos  na corregedoria, para assim verificar se o que esta no papel por eles assinado é realmente o que eles falaram aos corregedores.

E não para por ai, estamos no aguardo do envio por parte de um servidor que nos procurou por telefone e disse ter uma gravação onde corregedores supostamente ameaçam testemunhas. 

O pouco da gravação que ouvimos por telefone caso o servidor realmente nos entregue em mãos para certificarmos o conteúdo junto com um repórter conhecidíssimo, talvez seja a dinamite que irá implodir de vez a sede da FC e a gestão da atual presidente.

Diante de todas estas questões aqui apresentadas pelo Língua Afiada, talvez fique explicado o medo da direção e do presidente do sindicato em chamar uma nova assembléia para encerrar a campanha salarial, pois, até o momento não há por parte da entidade sindical sitraemfa, nenhuma convocatória de assembléia para o encerramento ou a continuidade da campanha salarial.

Será que o sindicato está sem recursos para contratar seguranças para garantir a segurança do presidente e assim ter quem levante a mão a favor das cagadas feitas nesta campanha salarial. 

Resta ainda uma outra pergunta,  a comissão de negociação eleita em assembléia e que acompanhou as negociações no TRT , que fez até um B.O contra o abuso do sindicato, porque até o momento não se manifestou contra tudo isso?. Responda quem puder.

Por: Gilberto Braw

quinta-feira, 25 de junho de 2015

PM QUE PERSEGUIU LADRÕES ESTA PRESO, PRENDE SE O MOCINHO E SOLTA SE O BANDIDO

Jornal Língua Afiada



DO HEROÍSMO AO INFERNO


Quem acompanhou ontem  as cenas  registradas pelo programa cidade alerta  da tv record, a perseguição ao vivo  de uma moto, com dois  elementos que tentaram fugir em alta velocidade com uma moto roubada, parecia estar num Big Brother, vendo a realidade nua e crua da violência na cidade de São Paulo.

Perseguidos por uma moto da PM, Rocam, o acompanhamento se deu por vários quilômetros, diversas  vezes o policial teve chance de atirar e não atirou, perseguindo os fugitivos , ou seja no intuito de prende-los.

Porém, e sempre tem um porém, ele agente da lei, no cumprimento de seu dever, mesmo informado que os fugitivos estavam armados, foi em seus encalço.

Como qualquer  outro ser humano, o instinto do policial além de cumprir seu papel, ou seja,  de defender a sociedade, com certeza também pensa em  sua própria vida, porém destemido ao ver sua integridade em risco, não titubeou e efetuou os disparos.

Reparem que ele já havia sofrido injusta agressão que colocou sua vida em risco, pois poderia ter caído da  moto,  tentando evitar outra agressão pior que pudesse custar sua vida usou a medida necessária a proteger sua vida..

As primeiras palavras ouvidas, foi que ele era um herói e merecia até medalha, bem diferente do que se vê agora, onde o Secretário de Segurança diz que a ação do policial foi abusiva (Policial que atirou contra criminoso detido em perseguição foi preso, diz secretário).

Mas fica a pergunta e se fosse você no lugar daquele policial, o que faria tendo fração de segundos para agir?

Se os especialistas (que agora no conforto de seus gabinetes apontam como abusiva a ação do  nobre herói),  estivessem no lugar dele, colocando a vida em risco para honrar seu trabalho, talvez poderiam sentir o medo, a adrenalina e os milissegundos que aquele agente da lei teve para tomar as atitudes que tomou. 

Pior que criticar sem qualquer conhecimento de causa ou sem realmente vivenciar a situação, é não se ater ao velho e puro direito. As doutrinas ensinadas nos bancos das faculdades, nos mostram a lei da causa e dos efeitos.

Se analisarmos os fatos, quem deu causa a toda a situação foi aqueles que de forma violenta e mediante a grave ameaça, roubaram um cidadão, incorrendo ambos os meliantes em crime previsto no código penal artigo 157,§ 2º, inc, I e II, mediante a violência e grave ameaça, com arma de fogo e em concurso de pessoas.

Não bastasse isso, empreenderam fuga em alta velocidade, colocando a vida de várias pessoas em risco.

Ora! se os criminosos não tivessem cometido o delito, o policial não teria perseguido, e nada daquilo teria ocorrido, assim as supostas vitimas criminosas que não atenderam a ordem de parar, e ao contrário ainda tentaram atacar o policial, que teve apenas frações de segundos para decidir entre a sua vida a a vida dos criminosos, e óbvio, optou pela dele, como qualquer ser humano faria.

Excesso teria cometido o bravo patrulheiro se os meliantes tivessem se entregado e após rendidos tivessem sido agredidos ou alvejados, porém quem assistiu ao vivo pode ver que eles não se renderam e ainda quando caídos esboçaram  atitudes suspeitas de reação.

As perguntas que deveriam ser feitas ao Secretário de Insegurança do Estado é:

 a) Deveria o policial ter aguardado o assaltante ter sacado da arma e atirado nele para depois ele revidar?

b) Deveria o policial ter se amedrontado e deixado os assaltantes fugirem para assim evitar o confronto?.

Se a resposta for a alternativa "a", significa que o policial, apesar de estar mal equipado, sem as condições adequadas para exercer seu trabalho, mesmo em atos de bravura como este, deve deixar o bandido atirar primeiro, contar com a sorte de não ser atingido para ai sim revidar, pois caso contrário esta errado e pode virar vilão.

Se a resposta foi a "b", significa que a sociedade esta realmente abandonada e a segurança proposta pelo estado não passa de uma mera formalidade que se pauta em explicações politicas e mais nada, deixando o cidadão  a merce dos mal feitores.

O Secretário de Segurança deveria saber que abusivo é o cidadão trabalhar mês a mês e ver seu bem ser levado mediante a um trinta e oito na cara e ter que aceitar isso pacificamente.

Abusivo é um policial sair para as ruas sem as minimas condições de trabalho e em fração de segundos ter que decidir se morre para virar herói ou se atira para virar vilão.

Abusivo é a sociedade hipócrita inverter os valores, onde o mocinho vira bandido e o bandido vira o mocinho e a lei, oras a lei continua apenas no papel.

Por Gilberto Braw

quarta-feira, 17 de junho de 2015

FRAUDE NAS NEGOCIAÇÕES E CORRUPÇÃO SINDICAL QUANDO O TRABALHADOR VAI VIRAR GARI?

Jornal Língua Afiada


Corrupção Sindical, Fraudes Tudo em Nome do Trabalhador


Nos últimos dias, a imprensa tem mostrado a sociedade e principalmente aos trabalhadores os bastidores do movimento sindical no Brasil. As histórias são estarrecedoras,  nos remetem aqueles filmes de gangsteres americanos, onde sindicatos eram comandados pela máfia e usavam da força bruta e da violência para impor seu domínio. 

Foto G1:  Auditoria descobriu rombo de R$ 100 milhões na gestão anterior do sindicato dos comerciários/RJ
Na ultima década, vários foram os episódios envolvendo sindicatos de categorias profissionais, com intervenção e investigação policial que  sempre apontam responsáveis e quase nunca da em nada.

Sindicatos de trabalhadores em transporte lideram o Ranking das denuncias. Quem não se lembra da denuncia  contra o Sindicato dos Condutores Rodoviários de São Paulo, onde os diretores acusados feriram o que está previsto no artigo 203 do Código Penal Brasileiro: ?frustrar, mediante fraude ou violência, direito assegurado pela legislação do trabalho?, cuja pena é de um mês a um ano de reclusão e multa. (MPF denuncia fraude contra trabalhadores em comissão de conciliação) .


Mas o motivo de tanta violência sempre vem a tona, ou seja, o patrimônio que deveria ser do trabalhador, muitas das vezes é usado para alimentar o interesse individual dos dirigentes, que acabam usando do mecanismo de defesa dos interesses da classe trabalhadora  garantido pela CF/88 para enriquecerem ilicitamente. (MPF apura denúncia sobre desvios no Sindicato da Alimentação em Nova Andradina).

 Foto G1: detidos tinham como objetivo  tumultuar eleição do Sindicato dos Comerciários.
A bola da vez é o Sindicato dos Comerciários do estado do Rio de janeiro, que vem sendo investigado por desvio de dinheiros dos associados, emprego de parentes, enriquecimento ilícito de dirigentes e uma verdadeira máfia que se mantêm no poder a décadas e, usam para isso da violência, truculência, fraudes eleitorais entre outros como denunciado em recente matérias jornalisticas. (Dirigentes de sindicatos enriquecem com desvio de dinheiro). (Mais de 200 são detidos por depredar a sede de sindicato no Rio).

Diante dessa enxurrada de denuncias que pairam sobre diretorias de entidades sindicais que se encastelam no poder através de eleições duvidosa, assembleias sem o minimo de democracia, alterações estatutárias cuja a  finalidade é favorecer quem esta no comando a se perpetuar nele, fica a pergunta o que o trabalhador pode fazer para mudar esta situação?

Pior que isso, muitas das vezes estas assembleias,  congressos e eleições duvidosas tem  o respaldo de decisões judiciais concedidos através de liminares, cuja a batalha judicial pode durar até o término do mandato, levando os prejudicados sempre ao prejuízo.

As matérias acima respondem bem a pergunta do que fazer para acabar com a farra sindical, pois se os trabalhadores de base se organizam e buscam através de denuncias junto ao MPE, MPF e MPT, exigindo apuração sobre as ilegalidades cometidas pelas direções sindicais, com certeza a farra pode acabar e os sindicatos possam novamente  serem vistos como instrumento de defesa do trabalhador, o que não ocorre hoje na maioria das vezes.

Outro instrumento que os trabalhadores podem construir, é exigir que nos estatutos das entidades sindicais fique garantido que ao término de cada mandato seja realizada uma auditoria independente e indicada pelos próprios trabalhadores de base, sem a intervenção de qualquer diretor do sindicato, assim terminada a gestão será verificado a saúde financeira do sindicato e de seus diretores antes a após a gestão.

Sitraemfa conduz servidores da FC como gado para o abate


Os trabalhadores socioeducativos do estado de são paulo, cuja a maioria tem nível superior e  esta lotada na Fundação Casa/SP,  tem como representante oficial o Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência a Criança e ao Adolescente do estado de São Paulo - Sitraemfa.

Reiteradamente estes servidores tem demonstrado a insatisfação com os caminhos adotados pela direção sindical, o descrédito na entidade sindical é amplamente divulgado pelos trabalhadores nas redes sociais.
Vários são os motivos que levam os servidores a esta insatisfação: eleições duvidosas que mantem alguns dirigentes encastelados na entidade por mais de uma década, congressos manipulados onde sempre a vontade dos encastelados prevalece, assembleias anti democráticas onde os trabalhadores de base são impedidos por seguranças de se manifestar, suspeitas de acordos escusos com a direção patronal e a falta de uma auditoria para explicar quanto e como são gastos os recursos da entidade. 

Cabe lembrar que, a ultima auditoria realizada no Sitraemfa, foi solicitada  pelo próprio presidente da entidade na época Gilberto ao termino de sua gestão 1998/2004, que fez questão em assembléia não só de defender a realização da auditoria, mas também que  fosse eleita uma comissão de base para acompanhar os trabalhos dos auditores. Para maior lisura da auditoria, Gilberto e o tesoureiro Pedro Camilo Leite se mantiveram afastados da  entidade até o fim da apuração.

O resultado daquela auditoria foi apresentada em assembléia, coroando o mandato daqueles dirigentes, pois não foi apontado se quer um centavo de desvio, roubo ou uso indevido do patrimônio da categoria, ao contrário, mostrou a excelência de administração e respeito aos associados com o crescimento da entidade e do patrimônio, sendo usado inclusive esta auditoria em processo judicial para desmascarar a atual direção que tentou manchar a imagem de Gilberto com acusações levianas e mentirosas, obtendo na justiça não só sua inocência mas o direito de resposta no mesmo jornal onde seus opositores o acusaram.

No entanto, as campanhas salariais dos últimos anos em especial a de 2015 são recheadas de suspeitas de acordos e conchavos que reduzem os ganhos anunciados, retiram direitos conquistados, além de assembleias pelegas  onde nem mesmo o sindicato sabe dizer o que foi aprovado e suspeita de acordos para beneficiar diretores sindicais para que defendam a proposta patronal com várias denuncias nas redes sociais feitas por trabalhadores.
Não bastasse isso, o patrimônio da categoria sofre prejuízos, como denunciou o Blog agentes em Alerta,  na ordem de mais de R$ 200 mil reais, sem falar nas suspeitas que pairam sobre a venda do Sintracub, um clube de campo adquirido na gestão de Gilberto pelo valor de R$ 180 mil, onde foram gastos R$ 220 mil de obras,  somando um total de R$ 400 mil. 
Depois de pronto, o Sintraclub valeria aproximadamente  R$ 1.800.000,00 um milhão e oitocentos mil reais, no entanto foi vendido na gestão do presidente Julio Alves e da tesoureira Maria Gusmão por aproximadamente 1/4 deste valor, sendo que até hoje não foi explanado para a categoria onde foi investido o dinheiro, lembrando que este clube de campo foi comprado integralmente com os recursos dos trabalhadores da Fundação Casa que aprovaram em assembléia uma taxa adicional para este fim.

Resultado de imagem para justiça chargeMesmo diante da insatisfação gritante dos servidores da Fundação Casa com os rumos das campanhas salariais, os servidores acabam sempre se submetendo a imposição da direção sindical. 

A Diretoria do sindicato começa e encerra a campanha salarial ao seu bel prazer, mesmo quando a categoria é visivelmente contra suas propostas. Para isso usa do artificio de encher a assembléia de seguranças que acabam tendo o papel de intimidar os trabalhadores, garantir a segurança da direção para que esta imponha sua vontade e ainda em alguns casos de fazerem o papel da base na hora da votação, levantando a mão em apoio a proposta da direção.



Garis dão exemplo e varrem o lixo sindical


Mas nem tudo esta perdido para aqueles trabalhadores que não aceitam a escravidão, seja ela patronal, seja ela sindical ou judiciária.

O exemplo de não aceitar a escravidão sindical, patronal ou judiciária, vem de uma categoria onde a maioria não tem nível universitário, não são formados em direito, muitos se quer tem o ensino fundamental. São na maioria das vezes desprezados, olhados com desdem, inclusive foram alvos de um comentário pejorativo de um ancora famoso de um telejornal as vésperas de um natal.

Mas esta categoria honrada que apesar de não ter todos os atributos elencados acima, possui algo que muitos dos trabalhadores Brasileiros deveriam ter, que é a coragem e a dignidade de lutar por aquilo que lhes é de direito.

Acostumados a varrer os lixos das ruas, os GARIS no Brasil tem dado um grande exemplo de dignidade e de luta, dando um basta a escravidão patronal e judiciaria e ainda varreram de vez de suas categorias o peleguismo sindical.

Para isso, estes simples mas corajosos cidadãos Brasileiros, de peito aberto, não se intimidaram com as ameaças patronais ou com as pressões feitas pelo Judiciário trabalhista, sem titubear, atropelaram as direções sindicais pelegas e foram para luta em busca de seus direitos, só deixaram a batalha depois de vencida a guerra e se fazerem respeitar por toda a sociedade.

O exemplo destes bravos guerreiros se traduziu em suas atitudes e  falas corajosas  determinadas:


" A categoria está unida em todas as cidades do ABC. A paralisação é de 100%. Para pressionar as empresas e falar para a população que ainda estamos em greve, continuamos mobilizados, não vamos desistir dos 15%"

" O sindicato esta totalmente por fora, abandonou a categoria e agora quem organiza o movimento é o comando de greve"  declarou Kleber uma das lideranças da mobilização


Como podemos observar,  aqueles que tem menos escolaridade, tem menores salários, tem as piores condições de trabalho, que muitas das vezes são humilhados por fazer o trabalho que a maioria dos sábios diplomados se negam a fazer, eles humildes e simples GARIS tem a coragem de lutar e garantir sua dignidade com  afinco, além de dar uma aula de organização politica que nenhuma categoria de  letrados conseguiu dar.

Diante do exemplos destes humildes, mas gloriosos guerreiros que empunham suas vassouras como se fossem as espadas e vão para o front defender aquilo que a maioria dos cidadãos tem medo de defender "o Direito, o Respeito e a Dignidade".

Que todo trabalhador seja por apenas um dia GARI e juntos varram de vez a exploração patronal, as injustiças e o peleguismo sindical.

Por:Gilberto Braw