GiGi Fala Tudo

domingo, 18 de março de 2018

Fundação Casa: Caos, Estupro, Tentativa de Suicídio, Greve de Fome, Indenização e o Presidente de Fachada



simulacro de arma de fogo lançado dentro da unidade Ferraz de Vasconcelos

Fundação Casa de SP é condenada a pagar R$ 200 mil por assédio moral

Caro internauta, essa é a manchete estampada nesta semana que passou nos principais meios de comunicação do país!

Aliás, para você servidor da Fundação CASA, há alguma novidade? Veja neste link o que diz a matéria na íntegra do site do MPT de São Paulo (Fonte: www.prt2.mpt.mp.br/543-fundacao-casa-e-condenada-em-200-mil-por-assedio-moral-organizacional):

Fundação Casa é condenada em 200 mil por assédio moral organizacional

MPT-SP entrou com ação após denúncias de xingamentos, ameaças de demissão, racismo e humilhação pública por parte de supervisores em diversas unidades da Fundação

São Paulo, 8 de março de 2018 – A Fundação Casa de São Paulo (Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) foi condenada em 5 de março pela justiça do Trabalho ao pagamento de R$ 200 mil em danos morais coletivos. A sentença é resultado de uma ação civil pública movida contra a Fundação pelo Ministério Público do Trabalho em São Paulo por assédio moral organizacional, em 2017.

Segundo a procuradora do Trabalho Adelia Domingues, que representou o MPT-SP na ação, o assédio moral na Fundação é estrutural, recorrente e realizado de forma aberta. Após ouvir diversas testemunhas em audiências no MPT, ela afirmou ser comum que superiores hierárquicos de diversas unidades da Fundação Casa submetam os empregados a “situações vexatórias e humilhantes”. Os profissionais mais atingidos são agentes de apoio socioeducativo, técnicos de segurança e advogados subordinados dentro da hierarquia.

As investigações começaram após denúncia de um ex-funcionário (todas as testemunhas terão os nomes preservados) afirmando que, na frente de vários colegas, foi chamado de “mocinha” e “bichinha” por um chefe ao requerer dias de folga a que tinha direito. Outro funcionário conta que, após presenciar um superior hierárquico agredindo fisicamente um dos internos adolescentes, manifestou-se junto à ouvidoria e a partir de então passou a ser perseguido: suas avaliações funcionais não eram realizadas e a entrada na unidade para trabalhar passou a ser condicionada à permissão diária do diretor.

Os relatos colhidos pelo MPT incluem casos ainda mais graves: “cheguei a trabalhar 36 horas consecutivas, só parava para comer”, contou outra testemunha sobre seu período de estágio probatório, em sofria ameaças de demissão caso não excedesse seus horários. Uma trabalhadora afirmou que foi empurrada, teve o cabelo puxado e a blusa rasgada por uma supervisora após presenciar agressão a adolescentes internos.

Para o juiz do Trabalho Eduardo de Paula Vieira, autor da sentença, a gestão da Fundação casa é “complexa”, com um organograma que não favorece o bom desempenho de seus profissionais. Entretanto, “tais circunstâncias não justificam a institucionalização de práticas que extrapolam qualquer limite razoável de exercício do poder diretivo”, afirma. “As denúncias trazidas evidenciam condutas abusivas por parte de gestores da corregedoria, auxiliares da presidência, diretores e coordenadores de unidades da ré, tais como Casa Brás, Casa Vila Leopoldina e Casa João do Pulo”.

“Uma das razões mais comuns para que os servidores sofressem perseguição é a recusa em obedecer a ordens abusivas e proibições sem fundamento”, afirma Adélia. Segundo ela, quando os trabalhadores resolviam denunciar as irregularidades e agressões à Ouvidoria ou à Corregedoria, estes setores entravam “em contato com a diretoria da unidade onde o denunciante estava lotado e o identificavam”, dando início à perseguição. Transferências aleatórias para unidade distantes eram uma punição comum, segundo os relatos.

De acordo com psicóloga que trabalha na instituição, que pediu para permanecer anônima, “o assédio na Fundação Casa é uma prática generalizada” que não ocorre de forma isolada e eventual. Segundo ela, os servidores que discordam de algum procedimento ou que notam irregularidades são ameaçados, retaliados ou humilhados publicamente.  “O número de afastamentos por problemas psicológicos chega a 2 mil pessoas”, disse em depoimento ao MPT, ressaltando a sensação generalizada de impotência entre os trabalhadores.

Observa-se ai, que a condenação imposta pela Justiça do Trabalho se dá mais em função da denuncia constar que servidores agrediam internos a mando de chefias e aqueles que se negavam simplesmente são perseguidos.

Porém, quando se trata de servidores agredidos física e mentalmente por internos durante os tumultos e rebeliões ou são assediados moralmente pelas chefias sendo obrigados a servir de esparros para os adolescentes infratores internos, ai caro navegante, o mesmo MPT, MPE e Judiciário não dão indenização ou se quer fazem ações a favor dos servidores.  Ao contrário, ma maioria das vezes MPT, MPE e Judiciário buscam bancar as fraudes cometidas pela corregedoria da Fundação, fraudes estas que já foram mais do que comprovadas inclusive com denuncia feita na imprensa por ex-corregedor que detalhou como documentos são adulterados entre outros para prejudicar os servidores.

No entanto, MPT e MPE fazem um joguinho de empurra empurra para assim se omitir de tomar as providencias necessárias como intervir e auditar a corregedoria e a própria instituição.

Como pode perceber nas partes em destaque, só escancara mais uma vez dentre outras, centenas de vezes o que batemos ao longo destes anos dessa gestão nefasta, que tem um prazer satânico de acabar com a vida de pais e mães de família por conta de grupos políticos autoritários e medíocres que deitam e rolam ao bel prazer as custas dos servidores há anos dentro da Fundação CASA.

O CAOS IMPERA JUNTO COM A POLITICA E AS SANGUE SUGAS ONGs


A Fundação Casa nos últimos 12 anos é um verdadeiro Caos para internos e servidores, só para se ter uma ideia, nos últimos meses tivemos greve de fome de adolescentes no polo ABCD, onde as ONGs ligadas as pastorais e direitos humanos, ganham rios de dinheiros sem fazer sua contra partida prevista na legislação e no contrato.

Na Casa Diadema, adolescentes andam sujos, sem roupa para trocar denunciam os servidores, as atividades são uma verdadeira enganação onde a ONG recebe a grana mas quem tem que executar as tarefas são os servidores concursados. Nesta mesma unidade segundo os servidores, adolescentes são subjugados por outros, sendo obrigados a masturbar dezenas de internos para não serem agredidos.

Nesta mesma unidade, coordenador que relatou os desmandos da ONG e o caos que se encontra a unidade, foi descomissionado por relatar as agressões verbais, físicas e morais contra servidoras, professores chegando alguns a mostrar a genitália na sala de aula para professoras e servidoras.

Segundo ainda informações, semana passada um adolescente tentou se enforcar na casa diadema, esse tipo de tentativa de suicídio já é o terceiro só este ano na região do ABCD.

Em Ferraz de Vasconcelos, onde já teve tentativa de enquadramento esta semana um simulacro de arma de fogo foi arremessado por cima da muralha, em Iaras unidade Rio Novo o famoso diretor quebra braço fez mais uma vitima e segundo os servidores já é o 8 adolescente vitima do tal lutador de artes marciais, sem falar que este mesmo diretor já foi denunciado por tentar coagir servidores da enfermagem a adulterar (fraudar) documento para esconder a agressão por ele praticada contra jovens, sendo um dos jovens transferido para a unidade de Itapetininga para esconder a apuração.

Ressaltamos caro navegante que esse mesmo diretor já foi denunciado várias vezes pelos servidores no MPE, Conselho tutelar de Iaras e corregedoria da Fundação, no entanto pelo fato de ser ligado a grupos do PSDB e maçônicos, nada acontece com ele, ao contrário, os servidores que denunciam acabam sendo punidos, contrariando a nota emitida pela fundação casa.

Veja a nota da Fundação Casa

"A Fundação CASA informa que ingressará com o recurso cabível contra a decisão do juiz de 1ª instância na ação civil pública do Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT/SP) que condenou a Instituição por assédio moral organizacional.

A Instituição considera que possui normas internas de procedimento coerentes com os princípios constitucionais da Administração Pública, que levam em conta a moralidade e a impessoalidade.

Tais mecanismos administrativos servem para que seus funcionários executem as medidas socioeducativas de internação e semiliberdade, além dos programas de atendimento inicial, internação sanção e internação provisória, em um ambiente de trabalho saudável.

A Instituição não tolera que seus colaboradores, no exercício de cargos de gestão, assediem moralmente seus subordinados. Para inibir essas condutas inadequadas, possui a Ouvidoria, que recebe as denúncias, e a Corregedoria Geral, que investiga os casos denunciados. Em todas as situações, o sigilo é mantido, inclusive para os gestores denunciados".

Como nosso caro internauta pode observar, há uma discrepância entre a nota emitida pelo presidente de fachada da Fundação casa e o relatado aqui pelos servidores.

Cabe lembrar que Marcio Elias Rosa, era o procurador geral do estado e foi responsável por montar a força tarefa para investigar sua antecessora Berenice Giannela, mas foi só ele assumir a direção da Fundação casa para todas as denuncias desaparecerem. 

No entanto, os contratos milionários com empresas ligadas ao deputado Piciani do RJ (Investigado na Lava jato) como a locação de computadores usados continuou com valor total de mais de R$ 18 milhões, sendo que os profissionais técnicos da instituição reclamam não ter computadores para fazer seus relatórios,.

Entre os meses de fevereiro e março, o Gigi fala Tudo recebeu mais de 50 relatos de tumultos, rebeliões com centenas de servidores feridos e até sequestro de servidores na porta da unidade Taipas. Essa situação mostra que a gestão do presidente de fachada Marcio Elias Rosa é igual ou pior que a de Berenice Gianella, sem contar que a turma de Gianella continua mandando na instituição.

servidor registra B.O de assedio moral
Exemplos do poder de mando de Gianella na instituição podem ser constatados pelo poder de seus asseclas. Em Franco uma diretora de nome Magali que segundo os servidores invadiu um grupo de watszapp para perseguir servidores, agora passa por cima da instituição proibindo servidores estudantes de fazer o horário de estudante, ou ainda, o diretor Guilherme mais conhecido pelos servidores como o Diretor "Peladão" por divulgar em redes sociais e grupos de watszapp fotos de nudes, além de mandar tais fotos para algumas servidoras como já relatado aqui pelo nosso blog.

O tal diretor peladão, após ter uma de suas fotos nu chegado ao conhecimento do presidente da FC, foi descomissionado do cargo de divisão da raposo tavares, mas bastou algumas ligações do povo de berenice ao governador para o peladão assumir a direção de uma das casas de santo André, que virou um Caos após sua chegada segundo os servidores.

Mas não são apenas esses os fatos que demonstram que o atual presidente é apenas presidente de fachada.

ao invés de apurar FC puniu o servidor
O Bônus dos servidores que já estava no orçamento do ano passado sumiu e a promessa que seria paga este ano já deixou de ser promessa para virar um NÃO bem grande aos servidores.

servidor denunciou na ouvidoria da instituição e nada
O Coronel Di Pieri, sim aquele mesmo do caso Eloá em Santo André, depois de inúmeras cagadas foi promovido e continuou fazendo mais cagadas, uma delas foi a extinção do recambio que fazia a transferência de adolescentes e comarcas.

Observa-se que em toda a história da Fundação nunca se registrou uma fuga de internos do fórum sob comando do recambio. No entanto, bastou acabar com este setor para esta tradição ser quebrada, aliás, as diversas fugas ocorrida em atividades externas deixa a impressão que a direção da FC arrumou uma outra forma de desinternar os infratores pela porta dos fundos.

resposta da Fc dão conta de que nada foi apurado
Mas para o presidente de fachada nada disso importa, visto que, segundo as más linguás ele fica até abril pois será candidato a deputado federal, o que cria uma outra suspeita nos servidores, qual seja, que a vinda de Marcio Elias Rosa para a instituição possa ter sido apenas para fazer uso politico da máquina estatal ou caixa dois?

Como se vê, a instituição virou uma verdadeira curva de rio, que tem como objetivo não recuperar jovens infratores, mas apenas servir de cabide politico, onde servidores e internos são penalizados enquanto os nefastos gestores vivem de explicações miúdas e notas para a imprensa inverídicas como foi essa ultima nota da fundação contra a ação do MPT.

Seria cômico se não fosse trágico!!

Mas para não perder tempo, o Blog Gigi Fala Tudo recebeu alguns documentos e provas claras e contundentes dessa escandalosa mentira que foi essa nota da Fundação CASA publicada no G1 e dentre essas uma chamou bastante a atenção.

CASO DO SERVIDOR DA DIVISÃO DE LOGÍSTICA

nada é apurado
Um servidor da Garagem, na Divisão de Logística, chamado Douglas, mecânico, sofreu assédio moral nas dependências do seu local de trabalho por parte do seu diretor Higor e não se acovardou, buscando seus direitos procurou uma delegacia e lavrou um boletim de ocorrência, além de procurar a ouvidoria e a corregedoria para denunciar o que estava passando.



Abaixo vocês verão o que o servidor fez e o que a Fundação CASA, ouvidoria, corregedoria e corregedoria geral do estado fizeram, leiam e tirem suas próprias conclusões, atenção Dra. Adélia do MPT/SP:


Está bem claro caro leitor que o servidor cumpriu seu papel como cidadão e procurou a ouvidoria da Fundação CASA relatando com detalhes o que estava acontecendo, ESPERANDO QUE FIZESSEM ALGUMA COISA!!!!

Acima vemos o Boletim de Ocorrência e o Conceito Funcional aplicado ao servidor por que este foi procurar seus direitos e registrar os fatos junto a autoridade policial, direito que todos temos, exercício regular de um direito não pode ser punido!!!! Conceito Funcional com claro objetivo de intimidação do servidor, sendo que é corriqueira a ausência de servidores, segundo fontes, mas que não recebem esse mesmo Conceito Funcional que o servidor Douglas recebeu.

Agora humilde leitor deste Blog, como o servidor seria tratado caso solicitasse o consentimento de sua chefia imediata para ir à Delegacia, ao ser indagado das razões as quais ele iria ir até lá? A resposta é bem óbvia não?!?

Olha só o absurdo dos absurdos, a instituição que em nota oficial diz que Em todas as situações, o sigilo é mantido, inclusive para os gestores denunciados".



Oras caro leitor, como se mantém sigilo INCLUSIVE PARA OS GESTORES se a PRÓPRIA OUVIDORIA DIZ QUE O ASSUNTO EM QUESTÃO FOI TRATADO PELOS GESTORES DA DIVISÃO DE LOGÍSTICA E GERÊNCIA DE TRANSPORTE??? 

Detalhe, essa é uma de tantas provas robustas de que a Fundação CASA não está nem aí para seus trabalhadores, quantos servidores que já foram e ainda são intimidados, ameaçados, coagidos e transferidos na cara dura e nada acontece com esses tais gestores crápulas, covardes, pilantras que não possuem um mínimo de preparo e o que é pior é que são beneficiados e protegidos pela alta cúpula, esse pessoal que está mamando nas tetas e ferrando com a vida de pessoas de bem que se sacrificam em prol de uma instituição e que o recebem em troca??? Um tratamento desumano dessa máquina de moer gente!!!

Notem que a situação do servidor começa a se agravar, reforçando o que vem sofrendo em nova denúncia a Corregedoria Geral do Estado que desde março de 2017 esteve ciente e NÃO FEZ NADA!

Inclusive vamos dar os parabéns atrasado, irônico é claro, afinal esse grave fato se iniciou em 13 de março de 2017, parabéns para a Corregedoria e para o presidente que simplesmente deixa isso tudo continuar acontecendo, fechando os olhos para a realidade e deixando a Fundação as traças!! E olha que o Dr. Marcio Elias Rosa militou por anos pelos Direitos Humanos, contrassenso não presidente?!! O adolescente que comete o ato infracional tem todos os direitos e o trabalhador que se dane, pra variar!! Só que o resultado disso tudo, com o retorno do adolescente para a sociedade passa pelo trabalho desses mesmos trabalhadores que são massacrados diariamente, trabalhadores que não tem voz, não tem vez, são números de RE e nada mais! O que esperar desses trabalhadores, humanos, recebendo esse tratamento e lidando com os adolescentes? Um círculo vicioso em que o trabalhador é tratado feito lixo e que pode acabar descontando no seu próprio trabalho com os adolescentes, os colegas e com a própria família, por isso é cada vez maior o número de servidores adoecidos e afastados, por que ninguém é de ferro pra aguentar tanta injustiça e desrespeito!!! Trabalhadores que são estigmatizados como vagabundos, mentirosos e tantos outros adjetivos, uma grande inversão de valores, e os merecedores destes rótulos continuam livres, leves e soltos no mar da impunidade e do sadismo doentio de quem detém um poder passageiro, mas que é capaz de arrebentar com a vida de pessoas honestas e dignas!

Aparelhamento total de setores estratégicos, comandados por meia dúzia de pessoas que já vem há anos como ditadores, passando por cima de tudo e todos e o Sr. não faz nada né Dr. Marcio Elias Rosa!? Pessoas intocáveis, não é?! E você se curva a isso tudo por que Dr.? O blog, democraticamente, está à sua disposição para que possa explicar, se é que tem alguma explicação!!!!

Veja Dr. Marcio Elias Rosa, o servidor cobra a ouvidoria novamente, ouvidoria esta que entregou o servidor de bandeja para seu opressor, mas que em NOTA OFICIAL diz que mantém o sigilo INCLUSIVE PARA OS GESTORES DENUNCIADOS!!!

Olha como tudo é montado e manipulado para prejudicar o servidor, fazendo com que de vítima passe a ser o culpado pelo que sofreu e sofre.

Alguém pode explicar isso Dr. Marcio Elias Rosa??? Cadê a tal impessoalidade e moralidade vociferada nessa NOTA OFICIAL?!

Já sei, o que temos é o oposto, a pessoalidade, a imoralidade, ilegalidade e tudo às avessas!!

Aliás, falando em ilegalidade e a transferência de pontos das multas com viaturas oficiais feita pelos gestores da segurança, um CRIME DE FALSIDADE IDEOLÓGICA, com o conhecimento de TODO MUNDO da alta cúpula denunciado aqui no Blog desde 2016 (http://gigifalatudo.blogspot.com.br/2016/07/fundacao-casa-gestao-do-psdb-fraude.html; http://gigifalatudo.blogspot.com.br/2016/07/servidores-dizem-nao-fundacao-casa-e.html; http://gigifalatudo.blogspot.com.br/2016/07/fundacao-casa-reajuste-de-522-pode.html) e que NÃO DEU MERDA NENHUMA PARA OS ENVOLVIDOS?! 
Isso aquele que o Sr. Jadir abriu, segundo fontes da corregedoria, apuração preliminar, mesmo com tudo comprovado com documentos assinados e tudo mais! Dois anos se passaram e não aconteceu NADA COM OS ENVOLVIDOS, só houve perseguição aos denunciantes, tiraram o cargo, transferiam e os que praticaram o ilícito estão tirando onda com a certeza da impunidade, QUE VERGONHA HEIM PRESIDENTE!!!!

E você Sr. Presidente e Secretário de Justiça do Estado de São Paulo com anos de bagagem como promotor público, o que fez? Nada!!

Sabe o que essa corregedoria faz e todos sabem, inclusive o senhor?

Eles abrem essas apurações preliminares e sindicâncias para esses gestores amiguinhos da cúpula do mal e deixam na gaveta pra FAZER DE CONTA QUE ESTÃO FAZENDO ALGO, enquanto para os pais e mães de família tudo é muito rápido, ferrando a vida de milhares de trabalhadores, enquanto os apadrinhados e os amigos do rei são protegidos! Os amigos e indicados da chefe de gabinete Ana Cláudia, do Jadir e amigos dos amigos, pra esses nada acontece, agora se o funça não for dessa panela, já era pião!!! Vai rodar e não vai conseguir nada, sabe por que? Por que você Dr. Marcio Elias Rosa não vai nem dar bola pro recurso do funça! E lá se vão mais e mais demissões forjadas, como bem disse o ex-corregedor Dr. Alexander Descenzo, eles dão uma “roupagem jurídica” nos processos administrativos!!!! Saiba Dr. Marcio Elias Rosa que o pão que faltará nas mesas dessas famílias é culpa sua também, por que é passivo com essas atrocidades!!

O dia que tiver uma auditoria externa séria nesse Fundação e nessa Corregedoria, a meus amigos, a casa vai cair pra muita gente!! ISSO SE NÃO PEGAR FOGO NOS ARQUIVOS DA CORREGEDORIA COMO ACONTECEU NUM PASSADO NÃO TÃO DISTANTE!!!

Presta atenção você gestor, você funçionário que vê isso tudo e não faz nada, que tá preocupado com seu carguinho e com seu umbigo, você é conivente e vai ser responsabilizado por sua omissão, por que não faz nada pra mudar isso, não é só o agressor é você que presencia essas atitudes nefastas e fecha os olhos e os ouvidos e se esconde, deixando seus colegas sozinhos, isso não é digno é covardia, tenha vergonha na cara!!!

A Dra. Adelia do MPT, esperamos que continuem lutando por nós, por que do MPE de São Paulo não esperamos mais nada!!

Você leitor e servidor que tiver denúncias do tipo a que colocamos aqui e outras que tenha passado ou presenciado, nos encaminhe por e-mail no agibas2007@yahoo.com.br , vamos levar pessoalmente a Dra. Adelia do MPT-SP e a outras autoridades nacionais e internacionais e claro, para a grande imprensa!

Nesta quarta feira 21.03 as 14 horas, um grupo de servidores se reunirá com o deputado estadual Alencar e com o ex-deputado Antonio Mentor, ambos do PT de São paulo para tratar de ações politicas e jurídicas contra o caos e abusos da fundação casa.

Esse encontro é fundamental tendo em vista que o deputado Alencar é um especialista na fiscalização de orçamento das instituições publicas do estado e Mentor um eximio conhecedor da fundação casa e autor de diversos pedidos de CPI e representações junto ao Ministérios publico do Trabalho e MPE.

Em homenagem aos servidores e internos sofridos desta instituição administrada pelo governo nefasto do PSDB a 30 anos, deixamos aqui esse video com o Rap Sujeito Homem do Grupo Cordão de Três Dobras que conta com a participação de Gustavo Crespo filho de um sofrido servidor da Fundação casa. Curtam, compartilhem comentem essa é a hora sujeito homem como deve ser.

Não iremos nos intimidar, vamos pra cima acabar com essa sujeira toda, chega de imundice, chega de assédio, vamos lutar pela nossa dignidade e de nossa família, afinal o que você vai deixar para seus filhos?

Honra, luta e dignidade!!! Click no video para assitir e nas figuras para ampliar.

Por Gilberto Braw

domingo, 28 de janeiro de 2018

Em Sentença Juiz Criminal Absolve Servidor e Sutilmente Esculacha Fundação Casa e MPE de SP

Diante da vergonha e falta de credibilidade do Poder Judiciário que corrobora com as armações do Ministério Publico no caso do triplex do ex presidente Lula, a população paulistana ainda pode sonhar com uma justiça realmente justa e imparcial, em função da postura adotada por alguns juízes no estado de são paulo.

É o caso do Exmo. Juiz de direito da vara do juizado especial criminal de são paulo, Dr. Paulo de Abreu Lorenzino, que não se intimidou com o poder do governo estatal psdbista, ou,  com a mediocridade na atuação do ministério publico estadual.

O nobre juiz,  honrou seu cargo, ao manter uma postura imparcial, e mais do que isso, justa ao absolver o blogueiro e servidor publico Antonio Gilberto da Silva, também conhecido como Gilberto Braw, editor chefe do blog Gigi Fala Tudo.

A Fundação Casa de São Paulo, órgão ligado ao governo do estado, comandado pelo perverso e persecutório governador Geraldo Alckmin - PSDB/SP, através de seu corregedor realizou uma denuncia criminal contra Gilberto Braw sob a alegação de injuria pelo fato do servidor que também é blogueiro, denunciar nas redes sociais as péssimas condições de trabalho e segurança a que estão submetidos os servidores da Fundação.

"Consta da denuncia que, entre os dias 21 de fevereiro e 15 de março de 2014, em sites da internet, o acusado injuriou o Corregedor-Geral da Fundação C.A.S.A., Jadir Pires Borba, e a Corregedora Auxiliar na Corregedoria-Geral da mesma instituição, ofendendo-lhes o decoro. 

Narra a inicial que o denunciado postou um vídeo em seu canal no YouTube, intitulado de “Gigi Fala Tudo Programa Senta na Viga”, onde afirma: 

“Será que nosso Corregedor deveria, sei lá, trabalhar de eletricista? Hein, Jadir?” e “Nós temos que fazer uma greve e exigir lá na porta do Tribunal que seja feita uma comissão externa para revisar todos os processos administrativos, porque tá na cara que esses processos administrativos são roupagens jurídicas para dar cobertura a uma decisão política. NE? Porque, meu, são carregados de vícios, velho! São carregados de vícios essas sindicâncias”. 

Ainda, em seu perfil do Facebook, o denunciado teria divulgado letras de paródias de cunho pejorativo e ofensivo, citando o nome de Jadir: “Nossa nobre Corregedoria que já chega na unidade com um 'animus fudendi' contra o servidor, com certeza vai arrumar um 'pelo em ovo', uma 'pena de cobra', para responsabilizar o servido agredido. Minha indignação não é mais com a patifaria da Corregedoria, pois sabemos bem o descaramento destes”. “Nunca vi gato sem prega, nem pau do lobisomem, na rebelião Jadir te pega, interno foge, Bere te pune, porque inferno é imune (repete), e como é, o Jadir vai te ferrar, vai te ferra pois é costume, ele sempre ta apurando, apurando pra ferrar, o Jadir não te poupou, Jadir não te poupou, e a Bere vai te ferrar, e te ferrou”.

Durante a instrução processual, as vitimas da suposta injuria juntaram videos e matérias do blog, facebook e video do canal do youtube para tentar induzir o nobre magistrado a erro.

Por sua vez, o servidor/blogueiro acusado teve como seu advogado o ilustre penalista dr. Luiz Santos, que além de sua grande capacidade jurídica na esfera penal, tem como seu mestre ninguém menos do que o grande doutrinador penalista prof. Cesar Roberto Bitencourt, considerado um dos maiores penalistas brasileiros da atualidade, inclusive tendo uma de suas obras citadas pelo próprio juízo na sentença que absolveu Gilberto Braw.

Na instrução processual, a defesa comandada pelo ilustre advogado Dr. Luiz santos, buscou mostrar ao juízo que aquela acusação na verdade tinha um caráter politico de perseguir e calar o servidor que já foi presidente do sindicato da classe dos servidores da Fundação casa,  que o acusado apenas mostrava em seu trabalho jornalistico o caos, a  insegurança e as injustiça por qual passavam os servidores da instituição, inclusive com práticas fraudulentas em processos administrativos elaborados pelo corregedor que tinham o cunho politico de demitir servidores inocentes sob alegações absurdas.

Para isso dr. Luiz juntou documentos oficiais que demostravam que o corregedor havia acobertado a pratica de tortura cometida no interior da instituição contra os internos, tortura esta praticada por pessoas que não eram servidores da instituição, mas que foram trazidas pela ex-presidente da fundação casa e atual secretária nacional da criança e do adolescente Berenice Gianella para este fim e assim,  jogar a responsabilidade sobre os servidores da instituição demitindo estes, como ocorreu com o servidor Norival entre outros.

De forma inteligente e perspicaz, o causídico demonstrou que o ministério publico estadual foi totalmente omisso e conivente com esta situação, tendo em vista as diversas denuncias realizadas pelos servidores e parlamentares sobre estas ocorrências, mas que não foram apuradas pelos promotores e sem nenhuma justificativa arquivaram todas as denuncias, deixando claro ao juízo que para o MPE, era mais grave um servidor expor sua indignação dos abusos cometidos pela gestão da instituição e do governo contra seus servidores nas redes sociais do que a prática de tortura contra internos e fraudes em processos administrativos praticados pelos gestores da instituição.

Não bastasse a sagacidade do ilustre advogado, as testemunhas arroladas por Gilberto e seu próprio depoimento, corroboraram com a farta documentação juntada, deixando de forma límpida e clara ao nobre magistrado que a pretensão do MPE e da Fundação era calar o servidor que buscava em suas denuncias a melhoria no atendimento aos internos infratores e consequentemente melhores condições de trabalho e justiça aos seus colegas de trabalho o que garantiria o fortalecimento de uma instituição publica tão relevante para a sociedade como é o caso da Fundação casa de São Paulo.

Em sua sentença, de forma inteligente e brilhante, o exmo juiz Paulo de Abreu Lorenzino estraçalhou com a pretensão do MPE e da FC, e ainda, de forma sutil deu um esculacho em ambos ao descrever no corpo da sentença que: 

"Pois bem. Diante de todos os elementos constantes nos autos, é certo que não houve o dolo na conduta do acusado necessário à configuração da infração penal a ele imputada.

No crime de injúria, a vontade de praticar a conduta deve vir acompanhada do dolo (animus injuriandi) que consiste na vontade livre e consciente de injuriar, de denegrir ou de macular.
Acerca do elemento subjetivo especial do tipo de injúria, leciona Bitencourt que “simples referência a adjetivos depreciativos, a utilização de palavras que encerram conceitos negativos, por si sós, são insuficientes para caracterizar o crime de injúria” (BITENCOURT, Cezar Roberto. Tratado de direito penal, parte especial 2: dos crimes contra a pessoa. 8. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2008, pp. 305 e 314).

No caso dos autos, depreende-se a ausência do elemento subjetivo tendo em conta que o objetivo do réu, ao realizar as postagens em suas redes sociais, era informar seus ouvintes sobre os abusos ocorridos na Fundação CASA. Note-se que o vídeo “Gigi Fala Tudo Programa Senta na Viga” denuncia perseguições a funcionários, aponta episódios de assaltos na porta da Fundação, expõe a situação de um adolescente que precisa urgentemente de tratamento médico, reclama da alimentação precária que os reeducandos recebem e protesta quanto aos altos valores dos seguros de saúde dos funcionários.

Desta forma, apesar de, se analisada isoladamente, a conduta do réu parecer inapropriada, deve-se observar o contexto em que as expressões citadas na denúncia foram utilizadas. Note-se que o intuito do vídeo e também das paródias musicais não foi de denegrir a imagem dos ofendidos, mas sim de protestar contra a difícil realidade vivida pelos funcionários que trabalham na Fundação CASA, reivindicando melhores condições de trabalho."

É este tipo de judiciário corajoso, imparcial e justo que o povo brasileiro deseja, onde os juízes coloquem acima de seus interesses pessoais e políticos a  justiça, a transparência e a honra de sua profissão, atuando de forma imparcial e justa independente de quem seja a parte.

Parabéns ao exmo juiz dr. Paulo de Abreu Lorenzino, pois são juízes deste quilate que ainda nos fazem acreditar que o poder judiciário pode ainda ser recuperado e torcemos para que este juiz possa dar uma aula a Sergio Moro e aos Juízes nefastos do TRF4 que julgaram Lula.

Parabéns ao ilustre advogado Dr. Luiz Santos pela sagacidade e brilhante defesa, pois é este tipo de operador do direito que faz muita diferença na defesa de uma pessoa inocente e injustiçada.

Ao Ministério Publico do estado de São Paulo fica aqui o nosso repudio e o nosso "presta atenção", pois diante da farta documentação juntada neste processo e as provas testemunhais do qual o MPE tomou conhecimento novamente, que resolvam tomar vergonha e apurar e processar os verdadeiros criminosos para o bem da sociedade, afinal para isso os senhores são bem pagos.

Click nas fotos do processo para ler na integra a sentença.

"Aquele que age pela justiça e para a justiça de outrem, jamais ficará abandonado, pois nele está a coragem de Davi, a sabedoria de salomão e a presença de Deus." Bastião de Birigui

Por Henrique Bodezan




















Fundação Casa: Coletânea de Fotos Emociona Servidores e Cala Direção Sindical

manisfestarão dos servidores da FC por segurança paraliza Av. celso Garcia
Dizem que uma imagem fala mais que mil palavras, imagine então uma coleção de imagens que retratam a história de lutas de uma categoria tão sofrida como a dos servidores da Fundação casa de São Paulo.

Pois é, o Gigi Fala Tudo fez questão de revirar seu bau de maldades e com a ajuda de servidores da base, traz a publico uma coleção de fotos das lutas mais difíceis dos servidores da antiga Febem em resposta as falácias da atual direção sindical, que só faz levar a categoria para o brejo.

Tudo começou com um bate boca entre um servidor da região de Iaras (Valtecir), com o diretor nefasto sindical João Faustino.


O bate boca começou nos grupos de Watszapp, quando João Faustino atacou o ex-presidente do sindicato Gilberto e o deputado estadual Antonio Mentor chamando eles de pelegos.

churrasco na lage do sindicato comemora reintegração dos demitidos da imigrantes
João Faustino que é diretor de imprensa do Sitraemfa/Sitsep na verdade atua como um diretor mudo na hora de defender os servidores na imprensa das acusações promovidas pela corregedoria e pelos órgãos de Direitos dos Manos, mas é uma verdadeira metralhadora na hora de atacar o ex presidente do sindicato Gilberto Silva e os servidores que criticam a entidade sindical e a atual gestão ilegitima.

Servidores comemoram e dançam soltura dos presos e reintegração da imigrantes
No entanto, Faustino e sua trupe encontrou um páreo duro.

O servidor Valtecir lotado atualmente em uma unidade na região de Iaras, é um servidor antigo da Fundação com mais de 20 anos, desde a antiga Imigrantes e Complexo Tatuapé. 

Militante fervoroso, Valtecir participou de todas as greves da categoria e de todas as lutas, entre elas a da reintegração e a conquista da estabilidade.

sindicato era  acasa do trabalhador
No bate boca na rede social, Valtecir defendeu o ex-presidente Gilberto  e lembrou da prisão injusta de 5 servidores e da demissão por justa causa de 35 no antigo complexo imigrantes feita pelo então presidente Guido Andrade e governador Mario Covas do PSDB,  sob a acusação de que os servidores facilitavam fugas.

Sindicato era ponto de encontro da categoria e de organizar a luta
Após 45 dias de greve e dezenas de rebeliões, o sindicato que era comandado por Gilberto como presidente e Pedro Luiz Camilo Leite como tesoureiro, não só retirou os servidores da cadeia e conseguiu a absolvição destes, como fez o governo do estado ficar de joelhos, sendo obrigado a reintegrar todos.

Os servidores fizeram um churrasco de comemoração na séde da entidade sindical, posteriormente a este episódio, a séde foi reformada e construída, ampliando o espaço de atendimento para suportar a demanda, visto a credibilidade que o sindicato ganhou junto aos servidores, elevando o numero de sócios de 400 para 4000 em apenas 3 meses.

Ex Presidente Gilberto debatendo no Conselho nacional a defesa da categoria
Lembrou ainda Valtecir ao dirigente nefasto Faustino, do episódio de Franco da Rocha onde 28 servidores foram demitidos sob a  acusação de máfia de horas extras, sendo todos reintegrados após um dossiê elaborado pelo sindicato junto com o então deputado estadual Antonio Mentor, mostrando a verdadeira máfia que comandava a gestão da febem que usava das rebeliões para fazer caixa dois para o governo do PSDB.

Em pleno domingo servidores se reuniam para tomar cerveja e debater estratégias
Mas a facada final dada por Valtecir, foi lembrar ao pelego sindical faustino da grande vitória que teve a categoria na luta pela reintegração dos 1751 servidores demitidos por Alexandre de Moraes, luta essa também
servidores acampados em frente ao STF pela reintegração dos 1751 demitidos
capitaneada por Gilberto, que além de reintegrar todos os demitidos, trouxe a estabilidade de servidor publico para a categoria, além da ampliação do patrimônio com a compra de um clube de campo, ampliação da séde da entidade sindical e a elevação do numero de sócios para 14.000.

servidoras encenam enterro de Alexandre de Moraes e do PSDB
Já para outros servidores como André Bispo, Durcelina e Josiane, a credibilidade na gestão de Gilberto com apoio e dedicação do gabinete do deputado estadual Antonio Mentor era tão grande, que os servidores procuravam o sindicato não apenas para resolver seus problemas funcionais, mas também para resolver os problemas de suas comunidades, como a fundação da associação dos moradores do Jd. nazareth, e de bairros como Vila Matilde, cidade Dutra, Artur Alvim, Jd. Iguatemi entre outros.

28 dias acampados em greve de fome em frente ao STF até a reintegração
André lembrou que a atuação do deputado Antonio Mentor foi fundamental para diversas conquistas da categoria, sendo o único deputado que abriu seu gabinete para impedir que a PM de Alckimin retirasse da assembléia legislativa os servidores que ali acamparam na luta pela reintegração, na construção do dossiê que gerou o pedido de CPI da Febem, calando o governo e as organizações de direitos dos Manos, entre tantos outros.

Deputado Antonio Mentor e Gilberto na fundação da Ass. nazareth do servidor Bispo
Segundo Durcelina, Mentor foi o unico deputado que realmente atuou e esteve ao lado dos servidores, estando presente em 100% das lutas, não só com discurso, mas com pratica, presença e ações efetivas, chegando a contratar servidores demitidos da febem para atender 24 horas os servidores da ativa.

Depois que Antonio Mentor deixou o parlamento, até hoje não se viu um outro deputado que tivesse a mesma atuação pontual e desenvoltura na defesa dos servidores da FC como tinha o então deputado Antonio Mentor.

mentor Faz a leitura da ata e do estatuto da associação
Para o ex-presidente Gilberto, que encontra-se afastado das redes sociais por conta de problemas familiares, a resposta  ao diretor nefasto sindical João Faustino está nas imagens. 

"Com certeza as imagens destas fotos falam por si só o que foi nossa gestão sindical. Tenho certeza que ao verem essas imagens, os servidores antigos vão sentir saudades daquela época, onde a luta e o repeito para com a categoria era nossa base de atuação, o sindicato era a casa do trabalhador, aberta sem restrições onde o servidor sempre era bem vindo e nos procurava com a certeza de  que seu problema seria resolvido. Já para os novos servidores que não viveram essa época, vão reconhecer nas fotos vários antigos que hoje trabalham com eles, tenho certeza que é só perguntar a cada um deles (antigos) e a resposta será que, naquela época o servidor tinha realmente um sindicato e uma direção comprometida com os servidores e não com a direção da fundação e com o patrão como é hoje" disparou Gilberto.

Click nas fotos para ampliar e matar a saudades de um tempo onde realmente a categoria tinha uma direção sindical de lutas e não o engodo que é hoje.

Por: Henrique Bodezan