GiGi Fala Tudo

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Servidores Dizem Não a Fundação Casa e Partem Para a Guerra, Motoristas Denunciam Fraude (vídeo)

No ultimo sábado (16), os servidores da Fundação casa deram um NÃO bem grande a proposta apresentada pela direção da Fundação Casa de aplicar reposição de 5% em duas vezes e o pagamento do bônus. 

Esta proposta apresentada pelo governo do estado, contava de forma descarada com o apoio de uma parte da diretoria do sindicato Sitsesp-Sitraemfa liderada pelo atual presidente Aldo Damião Antonio, que desde seu primeiro dia de mandato anda na contramão da categoria.


Assustado com a revolta dos trabalhadores e ao mesmo tempo com medo de uma intervenção do ministério publico na assembléia, o presidente não colocou os seguranças que seriam contratados com a finalidade de aprovar a proposta da FC, conforme os diretores dissidentes denunciaram.

Porém, mesmo com todo medo e com a derrota visível, a direção sindical ainda conseguiu manobrar a assembléia, visto que não abriu a fala para que os trabalhadores apresentassem propostas de encaminhamento e quais serão os próximos passos a ser dado pela categoria.

O medo maior da direção, era que os trabalhadores que já teriam se articulado pelas redes sociais, aprovassem um indicativo de greve, e ainda,  requeressem a desautorização da direção em falar ou negociar em nome dos servidores.

A intenção, era escolher apenas o diretor Assis e junto com ele, eleger uma comissão para dar os encaminhamentos junto ao judiciário, sendo apenas este grupo que estaria autorizado a falar em nome dos trabalhadores no curso da campanha salarial.

Assutado, o presidente Aldo e sua trupe encerrou a assembléia logo após a votação que rejeitou a proposta da FC, evitando que os servidores de base pudessem se manifestar sobre os encaminhamentos.

Um outro fato interessante, é a denuncia dos servidores motoristas, que enviaram documentos denunciando que na Gtrans, (que gerencia todo o setor de transportes da FC), ocorre uma fraude por parte de chefias, que transferem pontos de sua carteira de motorista, para carteira de motoristas de pessoas que não são autorizados a guiarem veículos na FC.

Mas como a corregedoria da FC atua de forma persecutória e politica, quando este tipo de situação ocorre com as chefias nada acontece, mas se o motorista é da base, apenas o fato de ter chegado a 20 pontos já é processado e pode até ser demitido.

O blog Gigi fala Tudo sensibilizado com esta situação, buscou apoio na câmara municipal para ajudar este seguimento. Para nossa surpresa, descobrimos um vereador que foi autor de uma lei que isenta do rodizio os médicos mesmo em seus carros participares.

Diante de todos estes acontecimentos, a TV Drikão, criou uma pesquisa no Facebook para que a categoria vote em quem ela acha ser o candidato mais qualificado para a presidência da entidade sindical.

Até o presente momento o ex-presidente do sindicato Gilberto e o ex-servidor Adriano Neiva lideram disparados a pesquisa. O curioso, é que o atual presidente Aldo Damião que é feroz critico de Gilberto e Adriano, até o presente momento está em ultimo lugar, perdendo inclusive para Eduardo Cunha ex-presidente da câmara dos deputados.

Quem quiser opinar com seu voto é só entrar no link abaixo e escolher seu candidato e clicar na bolinha.


Em um vídeo de 27 minutos, os servidores falam sobre a revolta com o peleguismo sindical, o ex-presidente do sindicato Gilberto faz uma explanação bem clara dos próximos passos que a categoria tem que dar para alcançar a vitória, além de fazer a denuncia dos motoristas e a entrevista com um especialista da área para assim dar uma solução definitiva para esta irregularidade que sofre os servidores motoristas.

 Click no Vídeo e assista

Por:Gilberto Beaw

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Fundação Casa: Sindicato quer Trocar o Emprego dos Servidores por 5% de Reajuste (vídeo)

Os trabalhadores da Fundação Casa do estado de São Paulo, vão realizar amanhã dia 14.07, as 10 horas da manhã  uma manifestação em frente ao TRT de São Paulo.

Conforme a convocação de vários trabalhadores do estado, eles vão exigir do Tribunal  e do Ministério Publico, uma intervenção na assembléia da categoria que deve ocorrer no dia 16.07 as 9:00 horas da manhã na sede do sindicato dos químicos de São Paulo.


A intenção é evitar que o sindicato em parceria com a direção da Fundação Casa, aprovem uma proposta que traria o maior prejuízo para a categoria, jogando na lata do lixo a maior conquista que os trabalhadores tiveram nos últimos anos.

A FC tenta de forma sorrateira, encaminhar uma negociação com o pagamento de um reajuste de 5% em duas vezes, mas a finalidade da administração na verdade é outra.

Com o julgamento do TRT, a FC foi condenada por prática anti sindical, sendo que esta clausula, em processos trabalhistas futuros ou em caso de demissão em massa através de processos administrativos,  seria uma ferramenta importantíssima para os trabalhadores derrubarem as pretensões de privatização da FC.

No entanto, o sindicato da categoria, tende a fazer manobras enchendo a  a assembléia de seguranças, prática esta que tem ocorrido nos ultimos anos, para assim aprovar suas propostas mesmo contra a vontade dos servidores, como ocorreu nos anos de 2014 e 2015.

Só para se ter uma ideia da perversidade e da pretensão da FC, na data de hoje uma trabalhadora da unidade Rio Novo no complexo Iaras - Interior do Estado, fez denuncias na delegacia regional do trabalho pela retaliação que esta vem sofrendo com a mudança escusa de sua jornada de trabalho.

Não bastasse isso, centenas de Processos Administrativos vem sendo instaurados contra os grevistas, e na maioria por motivos absurdos. Só hoje neste mesmo complexo mais de 20 servidores foram notificados e as informações das chefias é que muitos outros serão convocados a comparecer na corregedoria da instituição.

Seundo informações das redes sociais, até o momento depois da greve, quase mil servidores já tiveram processos administrativos instaurados e 4 deles já foram demitidos, o que demonstra uma clara retaliação da FC aos trabalhadores grevistas e a construção por parte da instituição de uma demissão em massa de forma supostamente legalizada.

No entanto a regra dos PADs não são iguais para todos. Pela manhã, nosso blog recebeu documentos e informações que dão conta que os motoristas da FC que são multados e chegam a 20 pontos são processados administrativamente, no entanto as chefias são agraciadas com a transferência de seus pontos para a carteira de habilitação de pessoas que não são autorizadas pela instituição a dirigirem os veículos da Instituição, sem sofrerem qualquer processo diante desta fraude.

Em um vídeo de 28 minutos onde 7 deles são falas de trabalhadores de todo o estado convocando a categoria para a manifestação, o ex-presidente do sindicato Gilberto aponta o real motivo da proposta da FC, que segundo ele, seria de construir provas contra os trabalhadores  a serem usadas junto ao TST e assim anular o dissidio concedido pelo TRT e, junto com essa anulação, a clausula em que a FC foi condenada pela prática Anti-sindical.

Os servidores prometem comparecer em peso amanhã a porta do TRT de São Paulo localizado na Av. Consolação e também nas varas do trabalhos nas cidades mais distantes onde tenham unidades da FC.

Click no vídeo e assista.

Por Gilberto Braw


terça-feira, 12 de julho de 2016

Golpe da Assembléia, Proposta Indecente da Fundação Casa e Manifestação dos Servidores no TRT dia 14 (vídeo)

O presidente do sindicato  Sitsesp-Sitraemfa Aldo Damião, que representa os servidores da fundação Casa de São Pulo, não cansa de mostrar o seu compromisso com o patrão.

Após verificar a grande mobilização dos servidores para o dia 07.07 que reivindicariam no TRT e MP uma intervenção na entidade sindical, ele marcou um ato para o dia 08.07 no intuito de dividir a categoria.

No entanto, os servidores suspenderam o ato dia 07 para participarem do ato dia 08, com o intuito de transformar o ato em assembléia e tomar atitudes serias. Mas com medo, Aldo Damião em uma demonstração de autoritarismo e desrespeito, cancelou o ato do dia 8 e marcando uma assembléia para o dia 16.07.


Diante da insistência dos servidores em que o Ministério Publico acompanhe a assembléia, uma vez que diretores do própria sindicato denunciavam que um grupo de seguranças seria contratado para agredir os servidores e assim aprovar a proposta da Fundação, Aldo lançou um audio nas redes sociais suspendendo a assembleia.

Com a repercussão negativa, reação dos servidores e de alguns diretores do sindicato que não compõem com este golpe, novamente ele tenta desmobilizar a categoria e evitar as denuncias no judiciário e MP. 

Revoltados muitos trabalhadores manifestam nas redes sociais a vontade de invadir a entidade sindical, bem como um ato foi marcado para o dia 14.07 (quinta feira) as 10 horas da manhã em frente ao TRT de São Paulo e nas varas do trabalho do interior.

O intuito do ato é mostrar para o judiciário que os trabalhadores não vão aceitar a suspensão do reajuste, bem como não vão aceitar as retaliações que vem sendo praticadas  pela FC contra seus trabalhadores, e ainda, vão requerer um a intervenção do judiciário e do MP na entidade sindical, solicitando que enviem representantes deste orgãos para acompanharem a assembléia e assim evitar a fraude através de seguranças.

Com a grande adesão que o movimento do dia 14 vem ganhando nas redes sociais, o presidente do sindicato tenta novamente dar o golpe tentando desmobilizar o ato.

Para isso, Aldo soltou para a categoria uma proposta ridicula apresentada pela FC, e afirma que a assembléia do dia 16 estaria mantida, para assim novamente tentar evitar que os servidores participem do ato no dia 14. Caso isso ocorresse, em seguida novamente Aldo suspenderia assembleia como fez com o ato do dia 8.

Mas Aldo se esqueceu que os trabalhadores não são bobos e diante das reiteradas mentiras e  indícios que ele esta ao lado do patrão e pretende  dar o golpe, os servidores vão manter o ato a ser realizado na porta do TRT no dia 14 as 10 horas, onde vão protocolar documentos exigindo um intervenção na corregedoria da FC e na entidade sindical.

Em um vídeo de 17 minutos, o ex-presidente do sindicato Gilberto denuncia a fraude da assembléia, convoca os servidores para a porta do TRT, denuncia o descaso do sindicato com os trabalhadores feridos em acidente de trabalho, onde o sindicato além de não prestar solidariedade e assistência, ainda envia cartas de ameaça de desfiliação caso o servidor adoecido não pague a mensalidade.

Gilberto lança apoio a pré candidatura a vereador do professor Antonio Sérgio funcionário da FC que irá disputar uma vaga na câmara de vereadores de Jacarei, e mostra para a categoria a importância de eleger um vereador da base em cada cidade onde haja unidades da FC, para assim fortalecer a categoria.

Uma coisa é certa, a contraproposta da FC mostra claramente o desespero da direção e do governo com a mobilização dos trabalhadores, que,  tem neste momento todas as forças a seu favor para derrotar de vez a direção da instituição, governo e sindicato, uma vez que além das eleições municipais, as olimpíadas colocam os olhos do mundo no Brasil, o que pode causar um grande prejuízo politico ao governo do estado.

Click no vídeo e assista

Por: Gilberto Braw

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Dia 10 de Julho, O Dia em que os Servidores da Fundação Casa Pela Fé Derrotaram o Governo de SP

Para muitos, o dia 10 de julho pode ser um dia comum, mas para os trabalhadores da Fundação Casa de São Paulo é um dia especial e de fé.

A exatamente 9 anos atrás, o governo do estado de São Paulo sofria a maior derrota de sua história, anunciava a reintegração do ultimo lote dos  1751 servidores demitidos em 17.02.2005.

Estes últimos servidores que foram reintegrados, na época da demissão não possuíam os 3 anos do estágio probatório.

Conforme a decisão do TRT da 2ª região, os servidores com mais de 3 anos deveriam ser reintegrados, porém os com menos de 3 anos, era concedido a estabilidade de 60 dias, da qual a FC poderia indeniza-los e considerar reincidido o contrato de trabalho.

Acorrentados no STF servidores demitidos 
Para muitos, os chamados novatos, a batalha parecia estar perdida. 

Porém, contrariando todas as previsões jurídicas de grandes advogados, entre eles o atual ministro da justiça Alexandre de Moraes, todos os servidores foram reintegrados e muitos atribuem esta façanha a um milagre intercedido por Nossa Senhora Aparecida.

"Quando li no jornal que o ex-presidente do sindicato Gilberto colocou  uma Cruz nas costas e  junto com mais alguns companheiros caminhou a pé mais de 150 Km até a Aparecida do Norte para pedir por nós, eu que estava desanimado senti uma Fé brotar dentro de mim e uma confiança na luta que jamais havia sentido e realmente pela fé o milagre se operou e fomos reintegrados. 
Hoje tenho certeza que não só eu, mas todos aqueles que viram no facebook as fotos do companheiro Gilberto com sua família lá no santuário de Nossa Senhora Aparecida, tenho certeza  que como eu encheram os olhos de lagrimas, pois sabemos que ele estava lá para agradecer o nosso milagre que muitos diziam ser impossível". Disse Carlos Buril Uilson, um dos servidores reintegrados.

O Jornal tribuna da época descreveu "Alguns quilômetros atrás, em Pindamonhangaba, estava um outro grupo, liderado pelo funcionário público estadual Antonio Gilberto da Silva, 39 anos. Cinco servidores da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem) de São Paulo decidiram recorrer à Nossa Senhora Aparecida, a quem pedem a reintegração dos 1.700 trabalhadores demitidos pelo governo Alckmin em fevereiro deste ano.

"A esperança está nela (Nossa Senhora). A Justiça já determinou o retorno dos funcionários, que hoje estão passando fome, mas o governo ainda não acatou a determinação", afirmou Gilberto, que levava uma cruz." 

"Aquele dia 12 de outubro de 2005 jamais vou me esquecer, pois em plena basílica de Aparecida lotada e cheia de emissoras de televisão, o Giba fez o governador Geraldo Alckmin ficar desconsertado. 

Quando estava chegando no final da missa, o Giba chegou bem perto do governador e na hora que ele (Alckmin) começou a falar para as emissoras de TV, como um louco o Giba começou a gritar  Alckmin você não engana Nossa senhora, e ela vai te cobrar Alckmin do que você esta fazendo com os funcionários da febem, que você esta matando e torturando com a demissão. Cumpre a decisão judicial Alckmin. 
Na hora todas as câmeras deixaram de filmar o governador para filmar o Gilberto e os seguranças do governador ficaram atordoados, não sabiam se prendiam o Giba ou se tiravam o governador dali e optaram em tirar o Alckmin porque era evidente que prender o Giba ali iria acabar com a imagem do governador que posava de bonzinho" Disse Eduardo Oliveira da antiga UDM.
"Já Cleverson Fernandes acompanhava  a peregrinação pois seu pai Cleber Fernandes que era um dos funcionários demitidos estava muito adoecido para tal jornada. 
Ele conta que não satisfeito em desmoralizar o governador dentro da basílica, o Giba como ele o chama, pegou do lado de fora o então secretário de educação da época Gabriel Chalita cuja a febem estava subordinada. 
"O Chalita estava dando uma entrevista ao vivo para a tv bandeirantes e quando o Giba viu não teve duvidas, encostou do lado enfiou o dedo na cara dele e começou a esculhamba-lo ao vivo, o Chalita e o jornalista ficaram sem reação. Ai a Leila que era uma outra funcionária que também estava lá nos falou vamos tirar ele dali porque vão prende-lo. 
"O Giba é louco e acabou com eles, graças a loucura dele hoje meu pai é aposentado da febem e não demitido como torturador." Disse Cleverson emocionado.
Servidores demitidos pela 28 dias acampados no STF

Para Gilberto, o dia 10.07 é um dia sagrado. É dia de ir lá na padroeira que ele tanto confia agradecer a reintegração dos servidores, o que ele atribui ser um milagre dentre tantos que já recebeu segundo ele.
"Todos nós estávamos perdidos, pois a decisão do TRT só mandava reintegrar os funcionários com mais de 3 anos, mas na assembléia eu tinha dado minha palavra que reintegraríamos a todos os 1751. 
Na noite anterior dois companheiros um de Marília - Marcos Simões e Heitor Teodoro que era de  Bauru,  diretores do sindicato recém eleitos, dormiram na minha casa e questionaram o que dirianos aos trabalhadores com menos de 3 anos. 
De madrugada, enquanto eles dormiam, levantei e fui até o altar de Nossa Senhora e Santo Antonio que eu tenho em cima de minha geladeira e comecei a rezar e pedir ajuda. 
Fiquei ali por uns 40 minutos e depois fui dormir, mas sabe quando você dorme e seu cérebro continua trabalhando.
Ao acordar de manhã, fui até a cozinha olhei para a santa me ajoelhei e fiz um pedido para que ela mostrasse o caminho.
Quando estávamos saindo, lembrei de minha carteira e na pressa esbarrei na escrivaninha e vários papéis caírem no chão, ao junta-los, lá estava o acordão do TRT de 2004, processo 20231/2004.
Veja só, entre tantas paginas caiu aberto justamente na parte em que a desembargadora Dra. Vânia Paranhos dizia, estabilidade por tempo indeterminado enquanto perdurar a falta de segurança. 

Na hora me veio um clarão e o pensamento este processo esta com efeito suspensivo no TST e ainda não foi julgado, se conseguirmos que o TST mantenha a decisão, todas as demissões serão anuladas automaticamente, pois os servidores estarão protegidos por aquela estabilidade. E foi o que aconteceu graças a Nossa Senhora e a confiança que aqueles trabalhadores depositaram na minha palavra." Disse Antonio Gilberto da Silva
Diante de sua tese, Gilberto mobilizou os servidores, acampou em frente ao TST após negociar com o Ministro relator do processo Exmo. Min. Luciano de Castilho, que inclusive o elogiou publicamente em reunião do pleno daquele tribunal, além de acompanhar Gilberto para conversar com cada ministro que participaria da sessão de julgamento.

O final da história todos os reintegrados conhecem de cor, pois a vitória no TST foi estrondosa.
Mas a direção da FC que já estava desmoralizada, se negava a cumprir.
Mesmo sem o apoio da maior parte dos diretores do sindicato, Gilberto e um grupo de 120 servidores acamparam na porta do STF em greve de fome por mais 28 dias, chegando a comerem casca de melancia refogada, pelo fato do sindicato boicotar o movimento.
Mas para quem tem fé em Nossa Senhora da Aparecida e o apoio dos servidores de base, nada abalava.
Sensibilizados com a fé e coragem daqueles guerreiros que estavam acampados, os servidores das unidades começaram a se mobilizar e fazer vaquinha para manterem o grupo no acampamento. 
Entre os trabalhadores que enviavam recursos retirando de seus próprios salários, os do Tatuapé, Marília, Bauru e Lins foram os que mais contribuirão para a vitória.

A fé em nossa senhora me fortalece
No dia 10.07.2007, ao ver a convocação do ultimo lote de reintegrações, Gilberto silenciosamente foi até o Santuário de Aparecida agradecer a graça alcançada, pois sua palavra estava cumprida e assim, se retirou do sindicato.

Subindo as escadas de joelhos agradecendo a saúde do filho
Desde então, todos os anos Gilberto vai lá na no santuário de Aparecida agradecer o que considera um milagre.
"Fui Humilhado, pois muitos diretores como Julio Alves, Neves, Adônico, João Faustino, Gusmão e até mesmo alguns trabalhadores me chamavam de mentiroso e diziam que eu estava enganando a categoria. 
Gilberto, esposa e filho em aparecida hoje 10.07.16
No entanto, a minha fé em Deus e na justiça divina intercedida por Nossa Senhora, não me deixaram tremer e nem me abalar.
Pela fé trilhei o caminho dos justos e movimentei na categoria aqueles que tiveram fé,  e na fé fomos vencedores. 
Hoje digo aos que me humilharam, minha fé em Deus é meu galardão, meu baluarte, meu ouro e minha prata. 
Minha espada, é a fé em um Deus vivo, que não deixa que eu me curve diante do inimigo, mesmo sendo o inimigo poderoso.
A fé compartilhada com família e amigos
Hoje fui lá agradecer a Deus e a Nossa Senhora e claro, aproveitei para pedir que ela fortaleça e abençoe a cada trabalhador que na greve deste ano  mostrou sua coragem, honra e sede de justiça. 
Pedi que ela não os  deixe esmorecer diante das dificuldades que se apresenta no momento. Derrame sobre todos sabedoria e coragem para o embate final.
Por isso digo, tenham fé e não se abalem, pois vocês já são vencedores ao enfrentarem o inimigo de frente e com a coragem de um Gedião, pois aquele que luta com fé em busca da justiça e da sua dignidade, estará sempre protegido por Deus e andará de cabeça erguida e com orgulho. Disse Gilberto.
Por: Henrique Bodezan

sábado, 9 de julho de 2016

Trabalhadores Podem Executar Titulo Judicial na Greve e Encurralar Fundação Casa (Video)

Ontem sexta feira (8), houve reunião entre a direção da Fundação Casa e o Sindicato da categoria profissional. 

Na reunião, segundo postado nas redes sociais, a FC ofereceu 5,5% em duas vezes e o pagamento de 50% do bônus, se esquecendo ela que o bônus já é um direito que inclusive consta no orçamento do estado. 

Observa-se ai que além de rebaixar de 11,7% o reajuste concedido pelo TRT para 5,5%, a FC ainda quer negociar direitos já garantidos aos servidores, e como se sabe direitos não se negocia, se mantem. 

A proposta da FC gerou mais revolta ainda nas redes sociais, gerando um debate onde a maioria absoluta manifestou sua recusa.


Porém, foi importante pois gerou na categoria um debate sobre o que fazer e quais os caminhos a tomar.

Os debates, muitos deles jurídicos, mostrou que a categoria tem qualificação suficiente para construir caminhos alternativos para buscar garantir suas conquistas e dar um novo rumo para o conflito.

Dentre eles, se há ou não legalidade em promover uma nova greve. Neste ponto surge um argumento a favor da legalidade que se executado com sabedoria poderá deixar a Fc em uma posição não só desconfortável, mas também   em pé de igualdade com os trabalhadores.

A posição defendida pelo ex-presidente do sindicato Gilberto que contesta as teses de ilegalidade, se aplicada de forma correta deixa a Fc sem saida a não ser negociar e pode colocar água bem gelada nos sonhos de privatização da instituição e na limitação dos cargos de confiança.

Para Gilberto realmente haverá a litispendência e a ilegalidade da greve se for requerido os mesmos pedidos. Porém se as partes são as mesmas e os pedidos são diferentes, não opera este instituto jurídico.

Para que isso ocorra, ao invés dos servidores requererem as mesmas coisas, devem apenas executar um titulo judicial já garantido a categoria em 2004 e que lhe garante o direito de não ingressar no local de trabalho sem as devidas condições de segurança.

Este titulo já transitou em julgado como sentença declaratória e não cabe recurso. De posse deste titulo podemos executa-lo em forma de greve e coletivamente, pois a FC não poderá descontar os dias e todos poderão sair das unidades. 

Sem o cumprimento desta execução, o judiciário não poderá impor que os servidores voltem ao trabalho sem que as condições sejam sanadas.

Ai é que a FC fica engessada e os servidores vão ter ao seu favor um instrumento de legalidade que a FC não possa contestar e assim ficar no mesmo nível de igualdade da instituição, o que obriga o governo a negociar, ou seja, a FC usou da legalidade para suspender os reajuste dos servidores e eles podem também usar da legalidade para obrigar a FC a negociar ou será o caos.

Em um video de 12 minutos, Gilberto esclarece a categoria sobre suas duvidas e mostra a forma como a categoria pode fazer esta execução.

click no Vídeo e assista

Por: Gilberto Braw

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Fundação Casa Treme, Sindicato Com Medo Suspende Ato e Tenta dar Golpe de 5% em Assembleia Para Dia 16.07 (vídeo)

A direção da Fundação Casa de São Paulo, esta visivelmente abalada com a mobilização dos servidores. 

Nem mesmo o efeito suspensivo concedido pelo TST a favor da FC, retira dos servidores o espirito de lutar pelos seus direitos e conquistas asseguradas pelo TRT da 2ª Região

O sindicato Sitsesp-Sitraemfa, após tomar conhecimento da mega mobilização que vinha sendo organizada de forma independente pelos trabalhadores de base para o dia 07.07, lançou um ato para o dia 08.07, onde tinha dois objetivos. 


O 1º era dividir a categoria na base  e enfraquecer o ato dos servidores que inclusive tinha objetivo de requerer junto ao judiciário e MPT uma intervenção na entidade sindical diante das denuncias de dilapidação do patrimônio e de fraude eleitoral.

A 2ª, era de realizar uma manifestação pequena e após caminharem até a sede da Fundação Casa, realizarem ali uma reunião com a direção e apresentarem aos servidores uma contra proposta, conforme vem sendo denunciado nas redes sociais, onde a FC concede 5% de reajuste e o pagamento do bônus que não atinge a todos e talvez as 30 horas do setor pedagógico, 

Assim, pretendia o sindicato transformar o ato em assembleia na porta da FC e aprovar este acordo medíocre. 

No entanto, os trabalhadores de forma inteligente suspenderam o ato do dia 07.07 e convocaram os trabalhadores para o ato do dia 08 chamado pelo sindicato e lá rejeitarem esta proposta transformando o ato em assembleia, decretando uma greve pela falta de segurança nos locais de trabalho e o cumprimento dos dissídios coletivos de 2004 e 2005 que continuam em vigor e garantem aos servidores não ingressarem para o local de trabalho sem as condições de segurança.

O sindicato com medo dos trabalhadores que estão extremamente revoltados e mostram claramente que não vão aceitar esta proposta, suspendeu o ato e convocou uma assembléia para o dia 16.07, onde segundo denuncias dos servidores e de diretores dissidentes, pretende aprovar a proposta da FC enchendo a assembleia de seguranças para intimidar os servidores e também para votarem como se fossem trabalhadores.

Um exemplo disso, foi o que aconteceu na assembléia de 2014 e 2015, onde seguranças contratados  pelo sindicato, impediram os trabalhadores de se manifestarem na assembleia contra a propostas defendidas pelo presidente da entidade sindical e ainda votaram como se fossem trabalhadores da categoria.

Cabe lembrar o caro internauta que até então, a FC dizia que não tinha como pagar o Bônus, mesmo estando este no orçamento do estado, o que mostra seu temor diante da gigantesca mobilização dos servidores e do debate que vem sendo incorporado nos discursos da categoria que os cargos de gestão sejam de carreira e ocupados por concursados, uma vez que a instituição é publica.

Outro discurso que vem ganhando força entre os servidores é exigir uma intervenção do ministério publico e do judiciário na corregedoria da instituição que vem sendo usada pela administração para fazer perseguições politicas e preparar uma demissão em massa com a finalidade de privatizar a instituição.

O medo da instituição é tanto que colocaram até um dos maiores advogados da FC para seguir o nosso blog Gigi Fala Tudo, pois é por onde tem passado a maioria das informações que serve de combustível para a organização dos trabalhadores.

Mas os trabalhadores não recuam e não aceitam o peleguismo sindical e vão  a luta.

Marcaram para o dia 14.07 uma manifestação na porta do TRT/MPT e MP estadual, onde pretendem além de requerer do judiciário e MPT gestões junto ao TST para que cesse o efeito suspensivo e ainda exigir uma intervenção na corregedoria da FC e sindicato.

Já no MP estadual, os trabalhadores vão requerer uma investigação/auditoria na entidade sindical pela dilapidação do patrimônio, descumprimento do estatuto e abuso de poder, além de investigação contra a presidente da FC Berenice Gianella e Corregedor Jadir Pires Borba por crime de tortura cometido durante as intervenções do GIR e denunciado por adolescentes e trabalhadores a corregedoria.

No entanto, a direção e a corregedoria se omitiram de apurar uma vez que o GIR foi levado para dentro da FC pela presidente da Fundação quando esta assumiu o cargo.

Cabe lembrar que no crime de tortura responde quem comete e quem se omite diante da pratica de tal crime, é inafiançável e imprescritível.

Em um vídeo de 25 minutos, o ex-presidente do sindicato Gilberto esclarece a categoria das denuncias contra a FC, o debate que assusta a FC e do golpe que o sindicato tenta dar na categoria com a promoção de assembleias fraudulentas e quais os caminhos para evitar o golpe e chegar a vitória. Click no Vídeo e Assista.

Por; Gilberto Braw

Fundação Casa: Trabalhadores Suspendem Ato do Dia 07 Para Fortalecer Ato do Dia 08 Chamado Pelo Sindicato

Mais uma vez os trabalhadores da base dão demonstração de maturidade e união. O ato que estava sendo organizado pelas redes sociais para o dia 07.07 e que ganhou enorme adesão da categoria, esta sendo suspenso para que todos possam participar do ato chamado oficialmente pelo sindicato através de seu presidente Aldo Damião Antonio.

O ato do dia 07 vinha sendo preparado pelos trabalhadores de base diante da inercia da entidade sindical. Porém, inviabilizaria a vinda dos trabalhadores do interior e litoral, uma vez que o sindicato não bancaria o transporte.

Com a oficialização do ato pela entidade sindical,  os companheiros de todo o estado poderão vir e assim mostrar a Fundação Casa e a direção da entidade sindical que na base os servidores estão unidos, além do que poderão  deliberar encaminhamentos uma vez que todo o estado vai estar representado.

A mudança de data, também tem como pano de fundo tirar do sindicato o argumento de que a categoria tenha rachado, uma vez que a disposição de luta e indignação manifestada nas redes sociais é unânime.

Mas além de mostrar a união dos trabalhadores na base e, a disposição de lutarem em  busca do que foi conquistado, os servidores pretendem apontar os rumos da categoria o que pode desembocar em uma nova greve.

A Divergência entre a base e a direção sindical, é o fato do sindicato querer fazer a manifestação da secretária de justiça até a sede da FC. 

Já os trabalhadores entendem que deve-se sair da secretaria para o TRT e buscar uma intervenção do MPT e Judiciário tanto na questão dos 11,7% do  dissidio, quanto nas questões da segurança, corregedoria e medicina do trabalho, uma vez que a situação de segurança esta critica e os trabalhadores adoecendo em uma escala gigantesca, além da retaliação politica praticada pela corregedoria, entre outros.

Porém quem vai decidir os caminhos a serem seguidos será a categoria que estará representada  por todas as regiões e é soberana e caso a direção sindical tente manobrar ou, não tenha boas explicações a dar a categoria em função de sua omissão politica que esta levando a categoria ao prejuízo, poderá também ser denunciada ao MPT.

A categoria não confia mais na direção sindical e não vai aceitar calada manipulações da direção que tem atuado em desfavor da luta dos trabalhadores.

Enfim, parece que a tentativa do sindicato em enfraquecer a mobilização organizada na base para o dia 07, pode ter sido um tiro no pé, uma vez que o evento é oficial.

Sendo assim, os trabalhadores poderão tomar medidas drásticas dentro da legalidade tanto contra a FC que não pagou o reajuste, quanto com o sindicato  que mostrou de forma clara e evidente seu peleguismo e compromisso com a direção patronal.

Por tanto dia 08.07 as 9:00 horas da manhã em frente a secretária de justiça localizada no patio do colégio, é importante que todos os servidores compareçam, pois só assim o sindicato não conseguirá manipular o movimento e os trabalhadores de base unidos poderão dar uma resposta a altura ao governo e a direção sindical.

Por Gilberto Braw

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Fundação Casa Não Paga o Reajuste, o Que os Trabalhadores Tem que Fazer Para Garantir os Direitos

A fundação Casa de São Paulo, mais uma vez esfaqueia os servidores em seu direito e para isso conta com o apoio tanto da entidade sindical que se omite de seu papel de representante da categoria, como também com apoio de alguns membros da oposição.

A categoria revoltada e adoecia entra em desespero e se mostra irada, não mediando esforços para buscar a qualquer custo o fruto de sua árdua luta. No entanto em função da raiva e do ódio, muitos podem praticar atos impensados, o que pode trazer prejuízos individuais e coletivos.


Sem qualquer confiança da categoria, a entidade sindical tenta de todas as formas fortalecer as atitudes da direção da FC, pois, ao não efetivar as atitudes politicas e jurídicas necessárias em tempo hábil, a direção sindical joga a categoria num limbo jurídico e contando apenas com a própria sorte.

A direção sindical, tenta fazer a categoria acreditar que diante de um efeito suspensivo que possa ser concedido a FC pelo TST, nada poderia fazer os trabalhadores contra a FC para buscar garantir os seus direitos conquistados com suor, sangue e luta, o que não é verdade.

Em um vídeo de 22 minutos, o ex-presidente do sindicato Gilberto mostra a categoria com dados e exemplos práticos o que deve ser feito para reverter essa situação critica por qual passam os servidores.

Gilberto mostra com exemplos que diante das dificuldades apresentadas, novos caminhos são possiveis e que nesse grave erro da direção da FC em afrontar os servidores, pode surgir a grande chance da categoria conquistar não só o reajuste salarial, mas também, conquistar direitos historicamente reivindicados pelos servidores e definitivamente mudar os caminhos da fundação, acabando de  vez com a ditadura governamental que a mais de 25 anos expropria e esbulha o direito dos trabalhadores e da sociedade.

"Neste momento de angustia e de pessimismo da categoria, eu busco ver o lado bom do abuso de poder da instituição, pois os servidores com inteligência podem dar uma resposta tão pontual e tão forte que poderá mudar de vez os rumos da instituição e assim acabar de vez com esta década de tiranias e opressão contra os trabalhadores." Gilberto  ex-presidente do sindicato

Click no vídeo e assista quais os caminhos a seguir rumo a vitória definitiva.

Por: Gilberto Braw

terça-feira, 5 de julho de 2016

Mobilização Para Manifestação do Dia 07 Cresce, Fundação Casa se Preocupa e Oposição Tenta Desmobilizar

A mobilização dos servidores da Fundação Casa de São Paulo marcada para o dia 07.07 as 10 horas da manhã em frente ao TRT cresce nas redes sociais.

Esta mobilização foi marcada pelos parópios trabalhadores pelas redes sociais após verificarem a omissão da entidade sindical diante das evidências que a FC não irá cumprir o pagamento do reajuste salarial de 11,7% determinado pelo TRT da 2ª região no dissidio de greve 2016.


A mobilização vem surtindo efeito. Segundo informações dos trabalhadores, em algumas regionais a direção vem se reunindo com medo de uma nova paralisação.

A revolta da categoria é visível diante das manifestações, muitas delas de forma muito bem humorada. 

O interessante é verificar que ao invés do sindicato tentar desmobilizar o movimento, uma vez que na fala dos servidores eles querem no TRT denunciar não só a FC mas também a entidade sindical, a tentativa de desmobilização vem sendo feita pela suposta oposição sindical que tenta levar o servidores para o sindicato dia 07 ao invés de irem para porta do TRT.

Cabe lembrar que algumas lideranças desta mesma oposição durante a greve, também queriam levar a categoria para o núcleo de negociação do TRT e ainda em algumas falas tentaram enfraquecer a greve da categoria, greve esta que foi uma das maiores dos últimos anos.

No entanto a categoria parece estar determinada e caso o reajuste não venha na folha que deve ser paga amanhã dia 06.07, os trabalhadores prometem comparecer em peso na pota do TRT e nas varas regionais do trabalho das cidades mais distantes.

Em um Vídeo de 18 minutos o e-presidente do sindicato Gilberto informa os servidores dos caminhos  serem tomados e dos riscos que a categoria corre da  demissão em massa que vem sendo orquestrada pela corregedoria da FC. 

Fala ainda das ultimas rebeliões nas unidades e sobre a denuncia feita na imprensa pela FC da suposta máfia de atestados, onde foi descoberto que o médico do trabalho é um politico de um partido ligado ao governo, o que deixa suspeita que as denuncias sobre os atestados seja uma armação politica para demitir trabalhadores..

Click no vídeo e assista.

Por Gilberto Braw

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Fundação Casa: Trabalhadores Vão Protestar no TRT Dia 07 Contra o Não Pagamento do Reajuste

Cansados do abuso de poder da instituição e o não cumprimento do decidido pelo TRT da 2ª região no dissidio coletivo de 2016, os trabalhadores  começam a se mobilizar para exigir que a justiça intervenha neste abuso.

Para isso, começaram a se mobilizar pelas redes sociais, com o chamamento nas varias regiões do estado.


A mobilização é para protestarem no dia 07.07  as 10 horas da manhã em frente ao TRT de São Paulo e nas varas do trabalho para as unidades mais distantes.

O objetivo é mostrar a indignação da categoria, que após a greve, vem cumprindo sua parte repondo os dias. No entanto, a FC não vem cumprindo a parte dela, visto que as informações que chegam aos servidores é que não virá o reajuste de 11,7% na folha de pagamento deste mês.

Não bastasse isso, as retaliações vem acontecendo de forma clara, demissões e notificações de PADs de forma descabida e abusiva, e ainda, a pressão e ameaça de gestores que de todas as formas tentam prejudicar os servidores.

Mas se isso não fosse suficiente, as rebeliões, fugas e as precariedades nos locais de trabalho, faz cada vez mais vitimas entre os trabalhadores. Cansados de esperar pela entidade sindical, os trabalhadores começam a lutar sozinhos com a produção de documentos e denuncias que ganham mais e mais adesões.

Pior que isso, é verificar que o sindicato da categoria profissional ao invés de buscar de forma enérgica o que foi garantido na luta, ao contrário, caminha apenas nos trilhos da judicialização do dissidio, o que pode demorar anos e assim isentar a FC de cumprir o que foi conquistado.

Mas se nosso caro internauta acha que isso é tudo, o sindicato ainda tenta desviar o foco do dissidio, iludindo os servidores com promessas de estar debatendo para conquistar o porte de arma, no entanto para aquilo que depende de lei federal, a entidade busca conversar com um deputado estadual.

Mas o absurdo não para por ai. Segundo a fala de alguns diretores, o sindicato pretende prorrogar o mandato da direção sindical que vence em dezembro deste ano, usando para isso de uma assembléia ou um congresso ao invés de eleições diretas.

Em um vídeo de 18 minutos, vários trabalhadores de unidades do estado convocam a categoria para a mobilização do dia 07.07 e o ex-presidente do sindicato Gilberto faz denuncias sobre  as retaliações e sobre a contratação de um politico para o departamento médico do trabalho da FC.

click no vídeo e assista

Por: Gilberto Braw

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Fundação Casa Atropela TRT/MPT e Começa a Retaliação, Demissões a Vista e com PA Retroativo (vídeo)

A Fundação Casa de São Paulo, mais uma vez demonstra não ter qualquer respeito as decisões prolatadas pelo TRT de São Paulo e as insistentes intervenções do MPT contra os abusos da instituição.

Mais uma vez se colocando acima do poder judiciário trabalhista, a direção da FC se apresenta como soberana da ilegalidade e da impunidade e, desrespeitando o que foi decidido pela sessão de dissídios coletivos começa a retaliar os trabalhadores que participaram da greve de 2016.


Cabe lembrar que no julgamento, a FC foi compelida a não praticar qualquer tipo d retaliação contra os grevistas. No entanto, a FC de forma descarada vem retaliando os grevistas, usa para esse tipo de perseguição a corregedoria da instituição que vem abrindo centenas de processos administrativos absurdos e pior retroativo aos anos de 2012, 2013, 2014, 2015, pois assim tenta passar a imagem que estes PADs são anteriores e assim busca caçar os grevistas.

A todo momento os grupos de watszap noticiam novas notificações, em uma delas os servidores anunciam que na unidade Rio Nilo um plantão inteiro esta sendo processado, em outra uma servidora da saúde da unidade Rio Novo de Iaras, vem sendo perseguida por ter executado seu trabalho corretamente e ter cumprido não só as normativas da FC, Coren e CF, sendo obrigada a entrar em um sistema de rodizio que coloca em risco a saúde de seu filho portador de necessidades especiais.

Mas as retaliações não param por ai. Até mesmo um diretor do sindicato que não participa da panela do presidente da entidade sindical e que é considerado um diretor combativo recebeu na semana passada uma notificação de PAD que apura supostos atrasos dele em 2013. Ricardo Lopes como é conhecido na unidade de Batatais e nas unidades da região, também é blogueiro e utiliza-se de seu blog para informar e mobilizar os trabalhadores.

Ao processar este dirigente sindical combativo, a FC tem como intenção principal demiti-lo e assim calar seu blog, como fez com outros servidores que inclusive participaram da mesa de negociação de 2014, como Adriano Neiva, Michel George Munhoz e Antonio Gilberto da Silva que também usavam seus blogs para informar a categoria e mobilizar os trabalhadores, no entanto foram demitidos sob a alegação de fazerem publicações ofensivas a moral e a boa fama da instituição.

Lembramos aqui que estes servidores também estavam sob a estabilidade e clausula de paz determinada pelo TRT no dissidio de 2014.

Antonio Gilberto da Silva é ex-presidente da entidade sindical e goza de credibilidade junto aos trabalhadores, por isso foi demitido 3 vezes, nesta ultima foi reintegrado em janeiro de 2014, foi eleito para participar da comissão de negociação junto ao TRT por unanimidade,  em uma assembleia que contou com a participação de mais de 1700 trabalhadores. Mas foi demitido logo após em um processo administrativo viciado e que não respeitou o direito do contraditório e da ampla defesa, mesmo estando em afastamento médico junto aoINSS por conta de um acidente de trabalho que a FC se negou  abrir o CAT.

Teve sua demissão anulada em processo trabalhista de 1ª instância, onde o Juiz concedeu a tutela antecipada. No entanto, a FC ingressou com um mandato de segurança que suspendeu a tutela antecipada, o processo encontra-se com recurso ordinário no gabinete da desembargadora Lilian Gonçalves da 18ª turma.

Uma comissão de trabalhadores organizou um abaixo assinado em defesa dos demitidos políticos e pretendem entregar ao presidente do TRT, MPT e aos desembargadores que estão com os processos dos demitidos políticos, entre eles a desembargadora Lilian Gonçalves.

Para muitos trabalhadores, a demissão politica destes servidores tem uma finalidade por parte da FC e que conta com o apoio da entidade sindical, a de impedir que estes companheiros disputem a eleição sindical deste ano, tendo em vista o grande prestigio que todos tem junto a base.

Como se pode verificar, a perversidade da instituição é gritante, porém os trabalhadores prometem reagir e começam a buscar articulações para realizar manifestações junto ao TRT e MPT, visando um intervenção tanto na corregedoria da instituição que funciona como escudo politico da presidência da FC e do governo, como também uma intervenção na entidade sindical que pretende novamente realizar eleições fraudulentas e assim se perpetuar no poder.

Em um video de 18 minutos, o ex-presidente do sindicato Gilberto alerta a categoria para as retaliações e conclama os servidores se mobilizarem contra as fraudes dos PADs e pela garantia das conquistas junto ao TRT.

Click no vídeo e assista.

Por Gilberto Braw






terça-feira, 31 de maio de 2016

Greve Fundação Casa: Vitória o Que Ganhamos, Bônus, Retaliação e o Golpe do Sindicato

Saiu ontem (30), a publicação do acordão do dissido de greve dos servidores da Fundação casa de São Paulo.

Foram 18 dias de paralisação e os servidores mesmo boicotados pelo Sindicato da categoria profissional, de peito aberto e com coragem mantiveram a luta e não se curvaram.


O resultado desta coragem foi a vitória, onde alcançaram mais que o dobro dos 5% oferecidos em duas vezes pela direção da instituição, bem como seus reflexos nos benefícios e ainda, tiveram uma conquista politica ao conseguirem que o TRT condenasse a FC ao pagamento de multa pela prática anti-sindical e litigância de má fé.

Esta condenação do TRT contra a FC, serve como uma ferramenta importantíssima para que os servidores utilizem em seus diversos processos individuais, mostrando para o judiciário que se a FC tem este tipo de prática contra os servidores perante o TRT, imaginem o que ela não faz nos porões de sua corregedoria, que de forma ditatorial, abusiva e viciada prática os mais diversos absurdos e abusos contra os trabalhadores.

A vitória jurídica e politica da categoria poderia ter sido muito maior, se não fosse a omissão sindical que a todo tempo fazia coro junto com membros da oposição para que os servidores se curvassem mais uma vez aos caprichos da direção da FC.

Diante da postura enérgica adotada pelo TRT contra a FC, este desmoralizou não só a instituição governamental, mas também a entidade sindical e oposição, uma vez que, os desembargadores que julgaram o dissido, ouvindo o clamor dos trabalhadores que mostraram sua disposição de luta, trilharam por acolher suas suplicas e dar-lhes a vitória integral e irrestrita.

Mas agora fica a pergunta, o que devem os servidores fazerem para efetivamente verem as decisões do TRT serem cumpridas e entre elas o reajuste de 11,7%.? O que devem fazer para receberem o Bônus já aprovado no orçamento? O que devem os trabalhadores fazer para não deixarem que a FC realize a retaliação que vem sendo construída com o discurso de máfia de atestados?

Em um vídeo de 25 minutos, o ex-presidente do sindicato Gilberto fala sobre estas questões, orienta quais os caminhos a categoria pode seguir para que esta conquista seja garantida, e ainda, faz um alerta sobre o golpe eleitoral que sindicato e alguns membros da oposição pretendem aplicar na categoria para se manterem no poder, e assim, manter o sindicato no estado em que esta, e que beneficia a FC, prejudicando os servidores.

Em meio a esta guerra, onde os servidores saem fortalecidos pela vitória, um grupo de trabalhadores de base elaboraram um abaixo assinado para recolher a assinatura dos servidores de diversas unidades do estado, visando denunciar ao TRT que as demissões feitas no pós greve de 2014 e 2015, são na verdade demissões politicas, o que caracteriza também a prática anti sindical.

Este abaixo assinado, tem ainda o objetivo de servir como prova para que os demitidos, Antonio Gilberto da Silva, Adriano da Silva Neiva (membros da comissão de negociação no TRT 2014) e Michel Jorge Munhoz, José Maurílio Inocêncio, André Januário e Cesar Rocha lideranças da greve de 2014 demitidos em processos administrativos fraudulentos com o cunho de retaliação aos grevistas e suas lideranças, seja juntado aos processos individuais deste trabalhadores, para que assim, possam fortalecer e conquistar suas reintegrações.

Segue abaixo modelo do abaixo assinado, que após recolhidas as assinaturas nos locais de trabalho, devem ser entregues as lideranças de unidade que estão responsáveis pelo recolhimento ou escaneados e enviados para o e-mail bloggigifalatudo@yahoo.com.br ou agibas2007@yahoo.com.br

Por: Gilberto Braw


Abaixo Assinado dos Trabalhadores da Fundação Casa SP ao TRT/SP

Nós Trabalhadores da Fundação Casa de São Paulo abaixo assinado, vimos por meio de este denunciar ao TRT/SP o que segue:
É louvável e justa a postura deste egrégio tribunal ao aplicar no dissídio coletivo de greve 2016, a multa na empregadora Fundação casa de São Paulo, pelas práticas anti sindical e litigância de má fé em função de reiteradas práticas abusivas cometidas pela instituição contra nós trabalhadores.
Porém entendemos que há outro tipo de prática anti sindical e abusiva cometida pela empregadora, quando esta não respeitou as clausulas de paz aceita por ela nos dissídios de 2014 e 2015, quando esta se utilizou de sua corregedoria para processar administrativamente e demitir servidores sob alegações absurdas que vão desde o uso da internet onde o servidor desta instituição publica se organizam até a utilização de  processos administrativos que a anos estavam arquivados e foram reabertos contra lideranças com o claro intuito de praticar a retaliação contra servidores grevistas e membros da comissão de negociação.
Isso foi o que ocorreu com dois membros da mesa de negociação de 2014 os servidores Antonio Gilberto da Silva e Adriano da Silva Neiva, bem como com os servidores Michel Jorge Munhoz, André Januário, Cesar Rocha e José Maurílio Inocêncio, também demitidos através deste tipo de processo administrativo viciado, que tem o cunho de dar roupagem jurídica a decisões políticas da direção e assim, praticar o ato retaliatório contra a categoria, tendo em vista que estes trabalhadores foram lideranças em seus locais de trabalho durante a greve, atingindo assim frontalmente o acordado nas mesas de negociação e por tanto atingindo todo o corpo funcional que ficou vulnerável diante deste tipo de prática anti sindical.
Neste sentido requeremos a vossas excelências, que este tipo de prática cometida pela FC seja de pronto coibido, bem como seja feita uma observação nos processos de reintegração destes servidores que tramita perante esta justiça do trabalho, para que assim sejam sanadas tais injustiças.

Nome                               RE                                     Unidade                           Assinatura
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10